quinta-feira, 30 de junho de 2011

Ela é a glória

Que Glória Pires é uma das maiores atrizes de sua geração, se não a maior, ninguém duvida. Mas o mais delicioso é poder comprovar esta capacidade extraordinária em alguns de seus papéis mais marcantes. Na reprise de Vale Tudo ela é Maria de Fátima Acioly, a arrivista sem escrúpulos que roubou a novela em parceria afinadíssima com a Odete Roitman de Beatriz Segall. E em Insensato Coração a gente se delicia com Norma Pimentel Amaral, a técnica de enfermagem que amargou tempo de cadeia por um crime que não cometeu enquanto arquitetava um jeito de se vingar do homem responsável por esta injustiça.

No capítulo de ontem Norma se revelou para Léo (Gabriel Braga Nunes) e foi possível avaliar toda a transformação da personagem comparando-a na cena atual e nas cenas de flashback do início da novela. E a mudança não pode ser creditada somente à maquiagem e ao figurino. A metamorfose da personagem inclui nuances sutis de gestos, sorrisos e tons que só uma grande atriz consegue transmitir com eficiência. Glória Pires está batendo um bolão com este personagem que evoluiu de mocinha pobre inocente e sonhadora do interior a viúva milionária e vingativa.





同志亦凡人


Uma sugestão para estas noites de frio polar: uma comida chinesa deliciosa e uma sessão de cinema chinês com um filme sobre diversidade, tudo isto sem precisar colocar o nariz para fora da porta de casa. A comida pode ser pedida por telefone no Xingaling Delivery mais próximo e os filmes chineses estão disponíveis na internet no site Queer Comrades, uma organização voltada para a divulgação e conscientização da diversidade na China.

A quantidade de material disponível no site é impressionante; é impossível não encontrar alguma coisa que interesse. Eu recomendo começar pelo documentário Come To Daddy que cobre a vida de homens gays com mais de 70 anos na China, Itália, Bélgica e Holanda. É um choque de realidade necessário neste nosso mundinho onde quase todo mundo parece padecer do complexo de Peter Pan.

Cures That Kill é outra dica boa. É um documentário sobre as clínicas que curam a doença do homossexualismo na China! O que me faz lembrar que minhas chances de ser babá ou motorista da Myriam Rios algum dia não estão completamente descartadas.

E se todo o assunto sobre a China o deixou animado a visitar o país, então não deixe de ver Eye On Gay Shanghai sobre a vida gay na maior cidade da China - os clubes, os bares, os lugares de ferveção, os clubes de ursos gays (isto existe!), e muito, muito mais.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Novos tempos

Quando o STF equiparou as uniões estáveis entre cônjuges do mesmo sexo às uniões heterossexuais não abriu uma porta, mas uma porteira. O ministro Fux mencionou que existem 119 consequências jurídicas conhecidas da união estável. As implicações destas consequências nas uniões homoafetivas serão pouco a pouco conhecidas conforme mais e mais casais façam uso do direito. Em alguns casos poderá haver indefinições que forcem o STF a se pronunciar novamente, mas o conceito geral está estabelecido clara e inequivocamente.

Este conceito geral é que as uniões homoafetivas constituem uma família nos mesmos moldes das famílias heterossexuais. O recado é claro: o rumo que se quer para o país é o de uma sociedade mais igualitária e mais justa, sem preconceitos, onde os cidadãos vivam em liberdade com seus direitos e garantias individuais reconhecidos, respeitados, assegurados e preservados.

Estes rumos perseguidos pelo STF podem ser claramente sentidos na decisão do juiz Fernando Henrique Pinto que converteu a união estável de Luiz André e José Sérgio em casamento em Jacareí nesta semana. A decisão é um documento bastante lúcido, que abre com: "Os prováveis entraves a tal entendimento [de legalidade do casamento civil entre homossexuais] podem advir de discriminação e/ou de convicções religiosas. Mas o Estado Brasileiro, do qual o Judiciário é um dos Poderes, repudia constitucionalmente a discriminação e é laico, ou seja, não vinculado a qualquer religião ou organização religiosa." O texto pode ser lido aqui, e merece ser amplamente divulgado.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Diana quer ser sua amiga no facebook

Se não tivesse morrido naquele túnel em Paris a princesa Diana estaria completando 50 anos de idade daqui a três dias, em 1º de julho. Ela foi talvez a mulher mais observada, admirada, invejada, e copiada dos últimos anos. Uma reencarnação de Grace Kelly somada a altas doses de melancolia e traições palacianas. Apesar de viver num conto-de-fadas Diana foi uma mulher moderna. Era uma princesa que ia à academia, que tinha casos extraconjugais, que chorava em público, que era amiga de gays, que nadava no Mediterrâneo, e que certamente falava mal da vetustez da família real pelas costas.

Como seria esta mulher moderna hoje na era da Internet? A Newsweek fez um exercício de imaginação para criar o que provavelmente seria a página de Diana no facebook. A lista de amigos seria invejável, e o mural teria mensagens que compiladas certamente virariam um bestseller. Como faço para adicionar?

segunda-feira, 27 de junho de 2011

O peixe morre pela boca

Talvez a Myriam Rios seja mesmo só uma senhora honesta tentando defender seus sólidos valores familiares. Talvez sua moral rígida e seus valores religiosos inabaláveis a tenham impedido de se expressar de forma clara.

Afinal de contas, os sólidos valores familiares e a moral rígida desta senhora já são bastante conhecidos desde o tempo em que ela enfeitava capas de publicações masculinas de segunda categoria.

Rios de ignorância

Esta com cara de bolacha da foto é a Myriam Rios. Ela foi atriz da Globo, foi casada com o Roberto Carlos, é deputada estadual, é missionária católica radical, e apresenta um programa na Canção Nova. A este invejável currículo ela acaba de acrescentar ignorante juramentada, burra de papel passado, homofóbica de carteirinha e idiota certificada.

Em discurso na assembléia do Rio de Janeiro na semana passada ela defendeu o direito de demitir funcionários homossexuais. Como argumento ela deu o exemplo de uma eventual babá lésbica que poderia cometer atos de pedofilia contra seus filhos. A burrice da deputada vai mais além: "Se eu contrato um motorista homossexual, e ele tentar, de uma maneira ou outra, bolinar meu filho, eu não posso demiti-lo. Eu quero a lei para demitir sim, para mostrar que minha orientação sexual é outra”.

A burra juramentada não sabe a diferença entre homossexual e pedófilo. Ela também não sabe que a maioria dos pedófilos são heterossexuais.

Assista até o final se você conseguir não vomitar antes. E que o Espírito Santo faça cair o fogo do céu sobre a cabeça desta energúmena.

Owen Duff

Owen Duff vive em Londres, é cantor e compositor, gay assumido, e sabe que a vida não está fácil para ninguém. Há algum tempo ele vem divulgando suas composições com a esperança de algum dia poder viver de sua carreira musical. Considerando-se seu indiscutível talento, é surpreendente que ele não tenha ainda tido a sorte de ser descoberto por alguma grande gravadora que o tenha alçado à fama.

Owen Duff - A Boundary:
 




Para promover sua música Owen Duff a distribui de graça em seu site (aqui). Owen Duff comprova que, assim como muita porcaria pode custar caro, também muita coisa boa pode sair de graça.

Criatividade é o que não falta a Owen Duff, como comprova o vídeo de London You're My High, todo montado a partir de imagens do Google Earth. É certamente só questão de tempo até o sucesso lhe fazer justiça.

domingo, 26 de junho de 2011

Cuidado. Eu mordo.


Eu já critiquei muito a parada gay pela carnavalização e por achar que aquela gente eufórica demais não me representava. Também julgava estranha a princípio a ideia de casamento gay por achar que estavam almejando a cópia de uma instituição heterossexual imperfeita.

Foi preciso amadurecer um pouco para perceber que o movimento gay não gira ao redor do meu umbigo. Que tudo isto que está acontecendo é muito maior. Que precisamos antes provar que somos gente, que merecemos respeito, que temos direitos. Que tudo isto é o resultado de um movimento iniciado por quem teve a coragem de ir lá primeiro e dar a cara a tapa para ser reconhecido, para provar que os homossexuais não são uma aberração da natureza, um monte de lixo, uns trastes que podem ser pisoteados, mortos e mutilados em esquinas escuras a tijoladas e golpes de marretas.

É preciso gritar bem alto que não aceitamos mais isto. Por isto a melhor mensagem que eu vi nas fotos da parada de São Paulo foi esta estampada em uma camiseta, que eu espero esteja sendo lida por todos os religiosos radicais, pelos juízes homofóbicos, pelos machões ignorantes, e por toda a sociedade que ainda vive na hipocrisia: Cuidado. Eu mordo.

sábado, 25 de junho de 2011

E do meio do ódio brotou a esperança...


Não poderia haver momento mais emblemático destes novos tempos do que a cena linda do beijo do casal encurralado no meio da violência que tomou conta das ruas de Vancouver na semana passada. Não, a foto não é uma encenação. A história está aqui, e o depoimento do casal está aqui.

Há no ar sinais de que alguma coisa está para acontecer. Algo bom. E justamente aqueles que se autoproclamam arautos de Deus - como o juiz de Goiás que ouve vozes divinas quando tenta proibir as uniões estáveis entre gays em todo o estado - parecem ser os únicos que não estão ouvindo.

Do meio do show de intolerância que foi a marcha religiosa da última quinta-feira brotaram vozes dissonantes que começam a denunciar os sinais de cansaço da ditadura dos bispos de ocasião. A gente ja sabia que quando se aperta demais o parafuso acaba espanando.

Algumas publicações religiosas e jovens evangélicos deixam transparecer que o rumo homofóbico intolerante que os pastores mercenários impingiram a suas igrejas não é compartilhado por todos. Dentre estas vozes discordantes ressalta-se a declaração de d. Jovelina das Cruzes, evangélica, aposentada, 68 anos: "Meu sobrinho é gay e é um rapaz maravilhoso. Ótimo filho, muito educado, muito honesto e estudioso. Já o meu filho é machão e vive batendo na esposa, não respeita ninguém, não para no emprego". Alertada sobre o perigo de sua declaração, continuou: "Igreja é o que não falta por aí. Se me impedirem de ir em uma, vou em outra. Não tem problema." A Parada do Orgulho Gay no próximo domingo deveria preparar uma homenagem para a d. Jovelina.

Celebrate good times, come on! (Let's celebrate)


Depois de uma semana de debates acalorados o senado de Nova York aprovou ontem a igualdade no casamento para os casais do mesmo sexo, tornando-se o sexto estado americano a reconhecer o casamento homoafetivo. Faltavam 5 minutos para a meia-noite quando o governador sancionou a lei que entra em vigor em 30 dias. A população celebrou nos bares e nas ruas durante toda a noite.

A vitória em Nova York trouxe uma força enorme ao movimento americano por ser o estado mais populoso onde a união já foi aprovada, e por ter grande influência sobre outros estados menores. Nova York é o terceiro estado americano em população, só ficando atrás da Califórnia e do Texas.

Um dos votos mais emocionantes foi o do senador Mark J. Grisanti, republicano de Buffalo, que lutou contra a igualdade durante muito tempo e não havia revelado seu voto até o último instante. "Desculpo-me com aqueles que se sentem ofendidos, mas eu não posso negar a uma pessoa, um ser humano, um contribuinte, um trabalhador, o povo do meu distrito eleitoral e de todo o estado, o estado de Nova York, e a todos que fazem com que ele seja um grande estado, os mesmos direitos que eu tenho com a minha esposa".

Nova York agora se juntou a Connecticut, Iowa, Massachusetts, New Hampshire e Vermont. O casamento igualitário também é reconhecido no Distrito de Columbia, que sedia a cidade de Washington. Os especialistas foram unânimes em afirmar que a vitória em Nova York transforma todo o debate a nível nacional nos Estados Unidos.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

A marcha da intolerância

Foi realizada ontem em São Paulo a Marcha para Jesus organizada pela igreja Renascer em Cristo com apoio de outras denominações evangélicas e que reuniu um público estimado em 1 milhão de pessoas pela Polícia Militar e em 5 milhões pelos organizadores, segundo a Folha de S. Paulo (link para assinantes). O pastor Silas Malafaia aproveitou a marcha para recomendar aos participantes que não votem em políticos que apoiam a união homoafetiva. O senador pastor Marcelo Crivella disse que "não é possível que seis iluminados se julguem capazes de decidir por 200 milhões" em crítica direta ao Supremo Tribunal Federal pela decisão de maio em favor da união estável homoafetiva (embora o Supremo seja composto por onze ministros e não seis). O senador Magno Malta emendou com "O verdadeiro Supremo é Deus". Os líderes criticaram também a recente decisão do SFT em favor da liberdade de expressão em relação às manifestações pela legalização da maconha.


O parágrafo anterior é um resumo da notícia publicada na Folha de S. Paulo e em outros veículos de comunicação. Você também notou algo de estranho? Pois a primeira coisa que me veio à mente foi a estranheza que de uma pretensa Marcha para Jesus só saiam declarações de intolerância, homofobia, obscurantismo, atraso e ignorância. Que Jesus é este, do qual estas denominações religiosas se apossaram, que prega o ódio, o desamor, e a intolerância? Não seria esperado que de uma Marcha para Jesus saíssem, ao contrário, mensagens de paz para o mundo, de convivência harmoniosa com a diversidade, de tolerância, de solidariedade, e sobretudo de amor ao próximo? 



quinta-feira, 23 de junho de 2011

Rede Globo mostra beijo em horário nobre

A Rede Globo exibiu não apenas um, mas dois beijos gays, em horário nobre e em seu programa de maior audiência. Foi ontem, em reportagem do Jornal Nacional sobre o casamento coletivo realizado no Rio de Janeiro. Será que os tempos estão realmente mudando?

Eva Cassidy



Foi nesta cena do seriado Smallville, mostrada no final da primeira temporada há dez anos atrás, que eu ouvi Eva Cassidy pela primeira vez. Eu me lembro que fiquei muito tocado pela beleza da cena e principalmente pela interpretação tocante de Time After Time, originalmente escrita pela Cyndi Lauper.

Eva Cassidy era uma garota linda de Washington que se apresentava em clubes e pequenos concertos da região. Depois de sentir uma forte dor nos quadris durante um show, Eva Cassidy descobriu que estava com câncer já em fase terminal, vindo a falecer três meses depois, em 1996, aos 33 anos de idade.

Depois de sua morte a família se ocupou de resgatar suas gravações, que foram sendo lançadas aos poucos e acabaram atingindo um sucesso repentino, começando pela Inglaterra, onde a gravação de Over The Rainbow fez a música retornar à parada. O sucesso foi impulsionado pelo endosso de Sting, que declarou ter chorado quando ouviu sua música Fields of Gold na voz de Eva.

É impossível não ser tocado de alguma forma pela voz doce e melodiosa de Eva Cassidy. Eu sempre paro o que estou fazendo para ouví-la melhor. E é triste saber que ela não chegou a ver o próprio sucesso. Morreu antes mesmo que seu primeiro disco tivesse sido lançado. Hoje é possível até mesmo ouví-la em duetos montados postumamente, como na belíssima versão de What A Wonderful World em dueto com Katie Melua. Michael Bolton também montou um dueto póstumo com Eva Cassidy para Fields of Gold, incluído em seu album Gems: The Duets Collection lançado esta semana.


Eva Cassidy - Fields of Gold:


Eva Cassidy - Yesterday:


Eva Cassidy - What A Wonderful World (feat. Katie Melua):

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Esquentando os motores

São Paulo está esquentando os motores para a maior Parada do Orgulho Gay do planeta. A mensagem desta foto linda que achei na Internet, de um casal de lésbicas na Califórnia, diz tudo: nós não vamos desaparecer. É justamente esta visibilidade que mais tem incomodado atualmente os fundamentalistas religiosos de direita. Porque antes era mais fácil fingir que a gente não existia.


Eu sinto muita pena destes evangélicos e católicos fundamentalistas pela mediocridade de suas vidinhas melancólicas e desimportantes. Tenho certeza que se eles gozassem uma vez na vida conseguiriam ver o mundo com outros olhos. Porque evangélico não tem ORGASMO, tem AFLIÇÃO!

Amém

A esta altura, todo mundo bem informado já sabe que a desembargadora Beatriz Figueiredo Franco derrubou o veto do juiz de primeira instância de Goiás às uniões estáveis de casais do mesmo sexo. A justiça trabalhou rápido. Ótimo.

O que muita gente ainda não sabe é que os deputados da frente parlamentar evangélica aprovaram ontem uma homenagem a este juizinho, uma "nota de louvor pela decisão sábia, inteligente e adequada ao texto constitucional" e pretendem recebê-lo hoje na Câmara para cumprimentá-lo. A notícia está aqui (para assinantes da Folha de São Paulo e do UOL).

Como é possível que deputados façam uma homenagem a alguém em flagrante desrespeito da lei, na Câmara, e com dinheiro público? Como é possível que deputados ajam como pastores e tratem a Câmara como sua igreja e os contribuintes como sua congregação? Desde quando estão permitidos a evangelização e o proselitismo com verbas públicas? Será que não existe nada que possa ser feito contra isto? Temos que aguentar calados e simplesmente dizer amém?

terça-feira, 21 de junho de 2011

O ocaso de uma estrela

Elizabeth Gilbert, autora de Comer, Rezar, Amar, deu uma palestra ótima há dois anos (pode ser vista aqui e é imperdível) sobre o peso da genialidade. Na Grécia Antiga e na Roma Antiga acreditava-se que a genialidade era uma entidade que descia ou saía das paredes e vinha inspirar os artistas. Com o avanço do Humanismo a genialidade passou a ser vista como parte do artista. Os artistas deixaram de TER gênios para SER gênios. E aí apareceu o peso nas costas que muitos não conseguiram suportar. Muitos recorreram ao álcool e às drogas e viveram vidas curtas, muitas vezes tiradas pelas próprias mãos.


A nós, meros mortais não agraciados pelo dom da genialidade, resta o suplício de testemunhar a morte inexorável dos gênios que se entregam aos excessos. Whitney Houston não tem hoje nem um fiapo da voz que tinha no seu auge há não muito tempo atrás, e Amy Winehouse acaba de cancelar toda a turnê europeia ainda no primeiro dia, depois de ser muito vaiada ao subir ao palco cambaleante e completamente alterada em Belgrado. O vídeo é confrangedor e patético e muito, muito triste.

Por outro lado, Barbra Streisand ainda canta maravilhosamente bem aos 69 anos. Para conseguir esta longevidade artística ela viveu, por opção ou imposição, uma vida careta que certamente envolveu muita disciplina e abnegação. Neste ponto talvez Whitney Houston e Amy Winehouse possam se confortar dizendo "pelo menos eu vivi".

Anônimo

Menos de 5% das pessoas que me lêem já me viu ou me conhece pessoalmente. Eu posso ser uma senhora de meia idade entediada que passa o dia na frente do computador blogando. Ou um velho obeso inválido preso a uma cadeira-de-rodas que passa o dia se divertindo na Internet. A Internet é o paraíso dos anônimos - e talvez esteja justamente aí um de seus maiores fascínios.

A Gay Girl in Damascus
No começo deste ano o blog A Gay Girl in Damascus com notícias do dia-a-dia de uma garota lésbica na Síria simplesmente bombou. Amina Abdallah Arraf al Omari ficou conhecida da noite para o dia, principalmente depois que as postagens foram interrompidas repentinamente e um primo aproveitou o blog para anunciar que Amina havia sido sequestrada pelas forças de repressão do presidente Assad. O mundo ocidental, principalmente as organizações de defesa dos LGBT, entrou em polvorosa. Pouco tempo depois uma garota da Inglaterra reconheceu-se nas fotos que estavam sendo usadas no blog e a verdade veio à tona: Amina era só um personagem criado por Tom MacMaster, um americano que escrevia o blog de sua casa na Escócia.

Na semana passada eu também aproveitei para testar até que ponto as pessoas acreditam no que a Internet informa. Inventei no facebook uma viagem de fim de semana para a França para cumprimentar um amigo, assim como se eu estivesse cheio de dinheiro sobrando, e fiz algumas postagens esparsas com fotos catadas da rede e em tom pretensioso. Embora uma viagem assim não seja impossível, quem me conhece sabe que não é de meu feitio escrever de forma pedante. O resultado surpreendente foi que meu "fator popularidade" aumentou consideravelmente.

Gostei tanto dos dias de popularidade em alta que estou pensando em levar meu Avatar do facebook para uma nova viagem na semana que vem. No virtual da Internet o céu é o limite. Desta vez acho que iremos para Londres. Ou Katmandú.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O vírus da burrice

Alguma vez já me disseram que burrice era contagiosa e eu não acreditei. Mas no ano passado, na Argentina, logo após a aprovação da igualdade no casamento, uma juíza disse que se recusaria a realizar casamentos gays mesmo que isto custasse sua vida (notícia aqui). Não sei se ela fez a todos o favor de morrer, mas o fato é que os casamentos continuaram e da juíza ninguém mais ouviu falar.

Mas burrice parece não somente ser contagiosa como também atravessar fronteiras. Deve ser algum vírus. Agora foi um juiz de Goiás que decidiu anular a união estável entre Odílio Torres e Liorcino Mendes em Goiás, além de sentenciar que nenhum cartório do estado legalize uniões estáveis entre pessoas do mesmo sexo (notícia aqui). Ele confronta a decisão histórica do Supremo Tribunal Federal e alega que este tipo de união estável fere a constituição federal. Em resumo, ele diz que sabe mais do que todos os ministros do STF que votaram unanimemente pela equiparação.

Pessoalmente, estou achando ótimo!! Isto vai obrigar o Supremo a se pronunciar novamente sobre o caso para acabar com qualquer vácuo de interpretação que possa existir. O ministro Gilmar Mendes (nenhum parentesco com Liorcino) já falou do assunto hoje (aqui). Agora é só esperar mais um pouco para comemorar novamente quando o STF colocar os pingos nos i's, as vírgulas, e cruzar os t's na decisão, de forma que ninguém mais tenha qualquer dúvida. Mas se a burrice continuar, não tem problema - a gente faz um desenho!

domingo, 19 de junho de 2011

Posso ser seu amigo?

Você já acordou alguma vez pela manhã e descobriu que um amigo havia escrito uma mensagem no seu muro para todo mundo ver? E como você reagiria se encontrasse um desconhecido na rua que insistisse em ser seu amigo? E, caso você topasse, como se sentiria se subitamente ele passasse a lhe mostrar um álbum de fotos com retratos de seus peguetes, de suas aventuras nas baladas, dos churrascos e dos aniversários em família? E ainda se ele lhe permitisse escrever comentários em cada foto, ou marcar se você gostou ou não?

Surreal? A gente nunca se detém para pensar um pouco, mas o mundo virtual funciona exatamente assim. A descrição acima é o procedimento típico de adição de um novo amigo no facebook, que no mundo virtual é a coisa mais natural do mundo.

Eu também adoro a Internet e adoro passar horas no mundo virtual. Mas às vezes me dou um choque de realidade para lembrar que não, eu não tenho 827 amigos. O vídeo abaixo é ótimo para isto.

sábado, 18 de junho de 2011

Os filhos da Internet

A Internet virou o veículo por excelência quando o objetivo é promover e divulgar. Já não dá mais pra contar a quantidade de pessoas alçadas à fama no clicar de um mouse, que o diga a Banda Mais Bonita da Cidade. Hoje em dia é só alguém com cara de mocorongo surpreender cantando mais ou menos bem para ser saudado como a nova Susan Boyle, e o YouTube continua recebendo milhares de videos diariamente de aspirantes a artistas torcendo para serem descobertos.

A Colbie Caillat, por exemplo, que é uma gracinha e eu adoro, foi recusada duas vezes no American Idol até resolver gravar suas músicas no estúdio do pai, que é produtor musical, postar no My Space e virar celebridade internacional.

O Boyce Avenue começou assim. Lembro-me do primeiro vídeo deles em 2008 com uma regravação de 4 Minutes da Madonna - um cara ao violão e outro batendo em uma caixa de madeira (o vídeo ainda está no ar, aqui). De lá pra cá, os irmãos Alejandro, Daniel e Fabian Manzano, da Flórida, já gravaram discos e vivem de shows lotadíssimos nas Filipinas, na Indonésia, na Tailândia, e em outras partes do mundo onde viraram super celebridades e têm uma base de fãs bastante sólida.

Esta semana eles divulgaram uma regravação de Superman (It's Not Easy), do Five For Fighting. Eles cantam direitinho e ainda devem ir muito mais longe. E logo a Internet terá netos.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Chegado numa baixaria

O gaúcho Juliano Cazarré já mostrou seu talento em filmes como A Festa da Menina Morta, Tropa de Elite Bruna Surfistinha, e agora pode ser visto em Insensato Coração na pele de Ismael, um gostosão de moral bastante frouxa. Nos próximos capítulos ele vai usar este corpinho talhado para o pecado para pirar a cabeça da aspirante a socialite Eunice (Deborah Evelyn), que vai segui-lo até um hotelzinho bolorento e asqueroso onde transarão loucamente.

A cena vem comprovar uma das mais incontestáveis verdades da humanidade: o ser humano pode ser muito fino, falar línguas, cruzar a perninha e levantar o dedinho na hora de segurar a xícara, mas na hora do sexo todos gostam mesmo é de uma boa baixaria. Como dizia uma amiga minha, não dá pra chupar pau com guardanapo.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Young man, there's no need to feel down

Quer protestar? Tire a roupa! Protestar hoje em dia virou algo tão banal que o mundo só vai prestar atenção se o protesto for realmente original.

Os trabalhadores da ABB da cidade de Trapagarán, na Espanha, resolveram gritar para o mundo a sua indignação com o fechamento da fábrica (notícia aqui). Como? Através de um vídeo bem humorado em que aparecem peladinhos - afinal, o fechamento da fábrica vai deixá-los sem nada. No vídeo eles improvisam uma coreografia para YMCA do Village People.

A notícia já correu o mundo - sinal que o protesto está sendo bem sucedido. E me deu uma ideia. Alguém mais topa tirar a roupa na próxima reunião da frente evangélica?

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Insensata relação

Se você estava sentindo falta do Julinho e do Thales, o casal mais fofo de Ti-Ti-Ti, já pode matar as saudades no mesmo canal em outro horário: o casal reencarnou no Hugo (Marcos Damigo) e no Eduardo (Rodrigo Andrade) de Insensato Coração.

A novela tem vários personagens que representam diferentes modalidades do espectro gay: desde a pintosa afeminada até o assumido discreto que trabalha de terno e gravata em uma grande corporação. Há que se tirar o chapéu para Gilberto Braga e Ricardo Linhares por terem desenhado personagens gays perfeitamente integrados na trama, vivendo os outros dramas de uma vida normal onde ser gay é só mais um detalhe - assim como ser loiro, ser alto, ou ter olhos azuis.

Mas, é claro, não poderia faltar a clássica história da saída do armário. As inseguranças que povoam a cabeça do personagem gay na fase da negação (que também poderia ser chamada de fase de fazer cu-doce) ainda rendem boas histórias e prestam excelente serviço para quem está atravessando a difícil fase de se assumir.

Sejam bem-vindos, Hugo e Eduardo, o novo casal mais fofo do Brasil, que ontem protagonizaram uma cena de desejo contido cheia de tesão implícito, que elevou a temperatura da noite gelada.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Promessa é dívida

Lembra do senador Magno Malta? É aquele que tem cara de cruzamento de caramujo com boto e um quilo de tintura errada no cabelo. Presidente da "Frente Parlamentar em Defesa da Família Brasileira", ele vem dizendo há muito tempo que os gays estão querendo criar um império homossexual no Brasil. Pois bem, agora ele fez beicinho e prometeu em seu site que renunciará caso a lei anti-homofobia (PL-122) seja aprovada.

Segundo o senador, “Se o Projeto de Lei 122, que excita a criação de um terceiro sexo, for aprovado, com dignidade de cristão, renuncio do mandato de Senador da República”.

Como se já não houvesse motivos suficientes para a aprovação da lei, o senador acaba de dar mais um. Agora, mais do que nunca, esta lei precisa ser aprovada.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

O ovo e a galinha

Juiz Vaughn Walker
Descobriu-se que o juiz Vaughn Walker, que declarou a Proposição 8 inconstitucional na Califórnia, é gay e vive com outro homem há mais de 10 anos. Com base neste argumento os grupos contra a igualdade no casamento entraram com um pedido de anulação do julgamento alegando que o juiz tinha conflito de interesses no caso e não poderia tê-lo julgado. A audiência foi realizada hoje e o resultado deve sair amanhã mesmo.

É dado como certo que os juízes não devem aceitar a argumentação. Afinal de contas, se o argumento dos grupos anti-gays era de que o casamento homossexual prejudicaria o casamento tradicional, então um juiz hétero também teria conflito de interesses em julgar o caso por querer defender seu próprio casamento. Resumindo, a argumentação dos grupos anti-gays é tão absurda que para eles o julgamento só teria valor se feito por juiz que não fosse hétero nem gay. Até parece aquele dilema sobre o quê surgiu primeiro: o ovo ou a galinha.

Eu olho agora para as fotos do juiz Vaughn e acho ele ainda mais digno. Só de imaginar que este homem ouviu toda a argumentação dos grupos anti-gays durante os 12 dias do julgamento da Proposição 8 e se manteve firme. Imaginem só a vontade que ele deve ter tido de mandar esta gentinha chupar um canavial de rola.

O seu amor você inventa

Eu acho super legal que exista um Dia dos Namorados para os casais comemorarem o fato de estarem juntos. Mas acho uma tristeza o drama em que muita gente transforma a data pelo simples fato de estar só. Se estas pessoas não gostam da própria companhia, como esperam encontrar alguém que goste?

Também me irrito um pouco com a infantilidade das reportagens e artigos que inundam as publicações nesta época, que tratam os leitores como adolescentes bobinhos vivendo em uma eterna comédia romântica açucarada.

Uma das reportagens que eu gostei bastante foi esta, que põe os pingos nos i's em relação ao amor e à paixão. Se você quer um relacionamento avassalador que dê calafrios e o faça suar gelado toda vez que o amado se aproxima então você precisa procurar um médico.

A maioria das reportagens reforça as convenções hétero-cristãs de relacionamentos idealizados que só conseguem se manter com um alto grau de hipocrisia e uma dose de renúncia quase bíblica. A realidade é bem menos açucarada, nem por isso menos interessante. Não há fórmulas. Não há regras. O seu amor você inventa.

Se o meu bem recebesse uma cantada do gostosão da academia eu não sentiria ciúmes. Sentiria inveja, que é algo bem diferente. É algo assim que eu chamo de deixar de lado a hipocrisia.

(a foto que ilusta esta postagem eu roubei do Ciello, que me fez uma homenagem linda ontem)

domingo, 12 de junho de 2011

Molly Johnson

Molly Johnson é canadense e vem de uma família de artistas. O irmão Clark Johnson é ator e diretor, e a irmã Taborah Jonhson é atriz e cantora. Nos anos 80 e 90, Molly participou das bandas de rock Alta Moda e Infidels, e foi só a partir dos final dos anos 90 que seu repertório começou a se inclinar para o jazz.

Se você ainda não conhece Molly Johnson, comece ouvindo a interpretação de Miss Celie's Blues, de A Cor Púrpura - e a cantora o terá conquistado para sempre, irremediavelmente.









Molly Johnson - Miss Celie's Blues:


Molly Johnson - Rain:

sábado, 11 de junho de 2011

EXTRA! EXTRA! EXTRA!
Descoberta a cura para a homofobia!

Se eu fosse entrevistar o bispo Malafaia eu começaria perguntando qual o seu grau de escolaridade. A maioria dos bispos eleitos deputados não tem nem ensino médio completo (muitos nem terminaram o ensino fundamental), enquanto os ministros que compõem o STF têm, na maioria, grau de pós-doutorado. Será que isto implica em alguma coisa? Certamente que sim, e não é pouco.

A Fundação Perseu Abramo realizou no ano passado em conjunto com a Fundação Rosa Luxemburg Stiftung uma pesquisa sobre a Diversidade Sexual e Homofobia no Brasil. A apresentação dos resultados está aqui (clicando-se nos ítens no menu do Indice à direita tem-se acesso aos vários gráficos representando os resultados de vários levantamentos interessantes).

Entre os resultados há dois que me chamaram bastante a atenção:


A parcela da população que pode ser considerada homofóbica corresponde a apenas 25% das pessoas. Isto representa uma quantidade grande de pessoas, mas significa também que 75% da população não é homofóbica. E mais: o barulho todo que ouvimos sai da boca de apenas 6% da população que é fortemente homofóbica.

Mas o mais impressionante, embora não surpreendente, é o gráfico que associa homofobia ao nível de escolaridade:

As conclusões são bastante óbvias. Quanto mais ignorante, mais homofóbico. Quanto mais instruído, menos homofóbico. Ou seja: a cura para a homofobia é a educação. Simples assim. Também não precisa muito para concluir que homofobia é sinônimo de ignorância e burrice.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

O corpo do bombeiro

Desde os tempos do José Albucacys (eike saudades!) que não se falava tanto em corpo de bombeiros. Acabei de ler que foi decretada a soltura dos 439 bombeiros presos no Rio e fiquei contente. Era um abacaxi enorme que a corporação tinha em mãos. Eles tinham que ser presos porque a disciplina militar não permite que um motim fique na base do deixa-pra-lá. Por outro lado não existe organização mais querida e admirada no Brasil. Os estudantes, os artistas, as donas de casa, a Luma, eu, a tia Zulmira, a dona Esmeralda e todo mundo da minha rua, achamos a prisão uma puta falta de sacanagem.

Em 2002 um instituto de pesquisas fez um levantamento sobre confiabilidade de instituições. Descobriu-se que para 90% dos brasileiros as instituições mais confiáveis eram a família, os correios, e os bombeiros. Família, cada um tem a sua e sabe onde está pisando. Os correios, da lá pra cá, viraram uma organização corrupta com participação ativa nos mensalões e nas arrecadações ilegais de campanhas políticas com a consequente deterioração da qualidade dos serviços. Mas os bombeiros continuaram firmes no posto, embora a gente só lembre deles quando lê nos jornais sobre os atos heróicos principalmente nas temporadas de chuvas e enchentes.

Os bombeiros arriscam suas vidas o tempo todo para tapar os buracos de segurança deixados por uma administração corrupta que só sente descaso pela população. Um bombeiro do Rio de Janeiro recebe em média um salário de 750 reais no final do mês - são os mais mal pagos do país. Nunca na história deste país se sentiu tanta vergonha.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Kwanten comigo

Em True Blood o australiano Ryan Kwanten é o pegador insaciável Jason, irmão da protagonista Sookie, e já traçou o elenco feminino inteiro de A a Z sem dar mostras de que vai sossegar o facho.

Em entrevista à revista The Advocate no início do ano passado Ryan Kwanten contou sobre seu irmão Lloyd, que é médico e gay assumido, e sobre sua família liberal e de mente aberta.

Mas a notícia que está circulando no momento é que talvez Lloyd não seja o único gay da familia. O controverso blogueiro Perez Hilton garante que Ryan também é gay e que vive sua vida abertamente e sem nenhum grilo, e mais: que o ator vai se assumir publicamente nos próximos dias.

Cá entre nós, eu tive certeza que Ryan Kwanten era gay na primeira vez que o vi em True Blood. Ele é muito bonito, perfeito, sensual, e gostoso para ser hétero.

Assim de anjo, com asinha e tudo, vai conseguir convencer qualquer evangélico que homossexualidade não é defeito, é qualidade!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Will you still need me
Will you still feed me
When I'm 64?


Sei que virá um tempo em que minha memória talvez falhe, minha lucidez resvale, minhas mãos fraquejem. Meus cabelos vão perder a cor, minha pele vai perder o viço, meu andar vai perder a força. Nada disto me apavora. Eu só me desesperaria se soubesse que estaria só.

Ser gay idoso não é necessariamente sinônimo de solidão. São emocionantes as cenas mostradas neste trailer do documentário Out In America que o canal PBS está lançando nos Estados Unidos, principalmente porque é rara a oportunidade de ver pessoas gays idosas tão de bem com a vida. Pensando bem, é rara a oportunidade de ver pessoas gays idosas, ponto. O apelo gay sempre foi muito associado ao vigor da juventude. É preciso que todos saibam que a vida não acaba aos 40.


Watch the full episode. See more PBS Specials.

PDC-224

A expressão PDC-224 significa alguma coisa para você? Se você ainda não ouviu falar nela, então é melhor abrir os olhos porque se você continuar aí parado pode ser que em pouco tempo você seja até proibido de sair na rua em nome da decência. Porque segundo os parlamentares que governam este país, pessoas como você e eu são uma aberração da natureza que não devem ter direitos, ou sequer existir.

O PDC-224 é o projeto de lei para o qual os parlamentares solicitaram agilização na aprovação, e que susta a interpretação dada pelo Supremo Tribunal Federal pelo reconhecimento das uniões homoafetivas. A íntegra do texto do projeto pode ser lida aqui, e mais notícias estão aqui no site oficial da Câmara dos Deputados.

A propósito, PDC não é putos-do-caralho. É projeto de decreto legislativo. Putos-do-caralho são os autores.

Beyoncé - 4

Vazou ontem na Internet o album 4, quarto album solo da cantora Beyoncé que tem lançamento oficial no próximo dia 28. Neste tempo que se passou desde o lançamento de I Am Sasha Fierce em 2008 Beyoncé nunca esteve parada; no início do ano passado mesmo mostrou as caras na colaboração Telephone com Lady Gaga.

Eu já ouvi o novo disco algumas vezes e ainda não consegui formar uma opinião. Achei agradável de ouvir porque gosto da voz potente e afinada da cantora, mas não consegui detetar nenhuma faixa com o mesmo poder de All The Single Ladies, Halo, Irreplaceable, If I Were A Boy, ou Beautiful Liar, que em discos anteriores saltaram ao ouvido logo na primeira audição. Ainda não consegui definir a personalidade do album, e talvez o trabalho sofra mesmo de falta de uma. No final do ano passado quando declarou que estava trabalhando no novo album Beyoncé disse "Well, I wouldn't say I'm inventing a new genre... I'm mixing every type of genre that I love and I'm inspired by every type of genre... It's not R&B. It's not typically pop. It's not rock. It's just everything I love all mixed together in my own little gumbo of music." Dependendo do resultado isto pode ser uma qualidade ou um defeito.

Senti que ela não tenha incluído alguma versão cover de algum sucesso antigo como fez com Honesty (do Billy Joel), incluída na versão platinum de I Am Sasha Fierce. A voz de Beyoncé consegue revigorar antigos sucessos - sua reinterpretação dos grandes clássicos de Etta James para o filme Cadillac Records, principalmente I'd Rather Go Blind e At Last, são de arrepiar.

Vou continuar ouvindo 4. Talvez este "gumbo of music" criado pela Beyoncé acabe se tornando gosto adquirido.

Beyoncé - 1 + 1:

terça-feira, 7 de junho de 2011

É guerra?


A foto acima é uma reprodução do site da Parada Gay de São Paulo que foi lançado ontem e já sofreu um ataque de hackers deixando lá um lembrete tirado da bíblia. Lembram do que o Tony escreveu recentemente sobre a certeza que a violência contra os gays deve aumentar ("Quem ama não mata")? Eu também acredito que sim. Acredito que a guerra já começou.

O crescimento do movimento evangélico, que já transbordou para a esfera política e já afeta a vida civil dos habitantes do país, me deixa muito apreensivo. Se o que a gente vê na esfera federal com a bancada evangélica em Brasília já é tão preocupante, imagina saber que na esfera municipal a coisa é muitas vezes pior.

Minha cidade é moderna e geralmente muito progressista. No entanto, vereadores evangélicos estão fazendo um estrago enorme. Tem até um que pretende banir das escolas qualquer menção à homossexualidade e que afirma que homofobia é uma invenção do governo. Imagine então outras cidades menores e mais atrasadas. Algumas cidades já têm 100% da bancada de vereadores formada por religiosos de direita. Em Aparecida o prefeito já quis fazer uma lei proibindo que mulheres usassem minissaia e homens usassem bermudas.

Eu estou a um passo de sair queimando bíblias em praça pública.

Homofobia mata

Insensato Coração mandou ontem um recado importante para a presidente Dilma e para todos os deputados que ainda não se convenceram que a homofobia mata.


segunda-feira, 6 de junho de 2011

It started with a kiss...

Você já desejou secretamente que a dupla de galãs de Crepúsculo desse um chega-pra-lá na aborrecente chatinha e se pegasse deliciosamente? Pois ontem o vampiro e o lobisomem finalmente se entregaram à volúpia. Foi no MTV Movie Awards, logo depois de Robert Pattinson e Kristen Stewart receberem o prêmio de melhor beijo. Que Kristen Stewart que nada - Robert Pattinson saiu correndo atrás do Taylor Lautner para tascar-lhe um beijão na boca.

Ele é vampiro, mas não é bobo!

Bonus track

Você já não morreu de raiva alguma vez depois de comprar um disco e descobrir que ele foi relançado com várias bonus tracks que não existiam na sua versão? Para quem não fala inglês: bonus track é uma expressão complexa que pode ter dois significados; quando está no disco que você comprou significa "que-sorte-a-minha", mas quando está no novo lançamento do disco que você já tem então significa "senta-e-chora". Em tempos de downloads digitais é um convite à pirataria.

Tome Adele, só para ficar em um único exemplo. A não ser que Madonna lance um disco de inéditas espetaculares com Mary J. Blige, Rihanna, Beyoncé, Jennifer Lopez, Britney Spears e Shakira fazendo backing vocals, o que é altamente improvável, 21 já é o álbum do ano. É perfeito, é delicioso. É tão bom que dá até raiva. Talvez a mais perfeita ode à dor-de-cotovelo que se tem notícia. É para ouvir sozinho na sala mal iluminada e cortar os pulsos em seguida. Mas só quem comprou a versão da loja iTunes ou a versão japonesa ficou com um fio de esperança no final, com a música I Found A Boy, que não aparece nas versões oficiais do disco. Depois de todo aquele chororô delicioso I Found A Boy soa como um bálsamo cicatrizante, a certeza que ela reencontrou alguém e vai continuar vivendo.

O disco oficial da Adele tem 11 faixas e se encerra com Someone Like You. A versão lançada no Reino Unido tem 13 faixas, incluindo também If It Hadn't Been For Love e Hiding My Heart. E existe também uma Target Deluxe Edition que inclui uma gravação de Need You Now que Adele canta em delicioso dueto ao vivo com Darius Rucker e que ficou ainda melhor do que o original com o Lady Antebellum, além das 3 versões acústicas extras que estão também na versão japonesa.

Aliás, esta Target Deluxe Edition não se contentou com as bonus tracks e incluiu um bonus CD (este disco extra da Target Deluxe Edition com 4 faixas pode ser baixado aqui, mas não fui eu que coloquei). Para quem não fala inglês, bonus CD significa aquilo que eu expliquei lá em cima para bonus track, só que elevado ao quadrado.

domingo, 5 de junho de 2011

Smoma

Para quem já curte o tango eletrônico talvez o termo jazz eletrônico não soe tão estranho. Esta repaginada do jazz é a especialidade do Smoma, o trio italiano formado em 2000 por Andy G, Simona e Tobia, que em 2005 conseguiu finalmente lançar seu primeiro disco: Casual Lounge. Depois vieram Songs To Remember (2007) e Unconventional Glam Music (2009).

O jazz com pegada eletrônica tem conquistado adeptos até entre os admiradores mais puristas do jazz de raiz, e o Smoma traz em sua discografia versões irresistíveis de The Sweetest Taboo, Waiting In Vain, Summertime, Ain't No Sunshine, e outros clássicos.


Smoma - The Devil Is Loose:

sábado, 4 de junho de 2011

Coração encantado

Não é de hoje que as novelas vêm perdendo audiência para a Internet e os canais pagos, e para os novos hábitos de uma geração que simplesmente não aguenta ficar com a bunda no sofá muito tempo. Parece que todo mundo desta nova geração sofre de síndrome de Tourette - ninguém consegue ficar parado. Mas para a sorte de quem é noveleiro como eu, a Globo conseguiu colocar simultaneamente no ar dois produtos que trazem um pouco de ar fresco para a velha arte.

Insensato Coração tem ritmo de filme policial e uma trama bem amarrada que não caiu na mesmice de outras novelas. Desde A Favorita que não se via uma novela sem a tradicional "barriga" da falta de assunto no meio do drama; Insensato Coração não passa uma semana sem grandes revelações. Histórias paralelas com personagens especiais que entraram para apenas alguns capítulos deram um ar de minissérie para tramas menores que ajudaram a suportar a estrutura pesada da história dorsal mais longa. De uma destas tramas surgiu Araci, o personagem que certamente será um divisor de águas na carreira de Cristiana Oliveira.

Uma das personagens principais passou mais da metade do tempo na cadeia. Agora que a novela caminha para sua fase final Norma prepara sua elaborada vingança que promete render cenas com requintes de crueldade. Se você não liga por saber antes, clique aqui e leia os detalhes da vingança que Norma despejará sobre Léo. Não vejo a hora de ver estas cenas e sentir enorme prazer de ver o bandido pagar por tudo que fez. Se eu encontrar com o Gabriel Braga Nunes na rua ele corre o risco de levar um sopapos.

Mas a jóia rara da coroa é exibida pouco depois das 6 da tarde: Cordel Encantado, uma história encantadora que combina reis e rainhas de reinos de contos de fadas com cangaceiros e justiceiros do sertão nordestino sem deixar que a coisa desande para um samba do crioulo doido. A técnica de imagem dá à novela uma aparência de filme de cinema e valoriza os incríveis e elaborados cenários e figurinos. Tudo é um primor. Cada cena merece ser paralisada e transformada em quadro para se apreciar todos os pequenos detalhes dos móveis, das cortinas, das paredes, do vestuário.

Cordel Encantado revelou também um outro encanto: Domingos Montagner. Aos 49 anos Montagner é o protótipo do homem viril e charmoso naquela medida certa que resulta no rude excitante. Na novela ele é Herculano, o temível chefe dos cangaceiros. Na vida real ele é um pacato pai de familia que já teve até um circo e hoje está tentando processar o sucesso repentino. Montagner é atualmente o objeto de desejo de dez entre cada dez noveleiros.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Pelo direito de ser takei

No Tennessee existe um projeto de lei para proibir a menção nas escolas da palavra 'gay' e de tudo relacionado à homossexualidade. O projeto ganhou o apelido de "Don't Say Gay". Não, o Tennessee não fica no Irã.

Talvez os Estados Unidos sejam realmente um dos países mais hipócritas do mundo. Vivem se arvorando de defensores dos direitos humanos e não olham para o próprio rabo. Dá para acreditar que em Nova York, praticamente a capital do mundo, só agora estão colocando em votação o casamento dos gays? E que na Califórnia, onde está o coração de Hollywood, a situação ainda continua naquele impasse que no linguajar culto da hermenêutica e da exegese jurídica costumam chamar de não-fode-nem-sai-de-cima ou de não-caga-nem-desocupa-a-moita? Enquanto isso até a Argentina...


Mas o ator George Takei de Jornada nas Estrelas, que não bobeou e já se casou com o maridão em 2008 enquanto ainda era permitido casar em Los Angeles, resolveu emprestar o próprio nome para dar uma solução para o problema do Tennessee. Está proibido dizer "gay"? Então digam "takei"! Lutem pelos direitos takei! Apóiem o casamento takei! E mostrem para estes mal-amados que os takeis não desistem assim tão fácil.

E para provar que burrice nunca anda sozinha, um vereador aqui de São José dos Campos teve a mesma ideia - proibir nas escolas a discussão de qualquer assunto relativo à homossexualidade (notícia aqui, contribuição do Daniel). Este vereador com cara de quem está no maior atraso e que não é comido há muito tempo tem um blog que começa com a frase "Verbum Domini: a palavra do Senhor!". Preciso dizer mais?

quinta-feira, 2 de junho de 2011

As cachoeiranas

Eu não sei onde é que eu estava que ainda não tinha visto esta sátira de As Cariocas feita por alunos da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Bom demais. Os 8 episódios, cada um com cerca de 10 minutos, seguem o mesmo esquema da série da Globo com narração em off, aqui focando nas mulheres cachoeiranas - todas representadas por homens. Tudo é propositadamente tosco. A jogada de cabelo no final da abertura é um primor!

Ao final da abertura mostrada abaixo há links para cada um dos episódios. O episódio 2 - A Santinha de Cabeluda, sobre uma evangélica radical, é simplesmente imperdível.

Maria Gadú e o preconceito (meu)

Talvez o preconceito seja mesmo uma característica inerente ao ser humano, infelizmente. Porque o preconceito nada mais é do que uma generalização torta, e generalizar é algo que fazemos desde cedo. Até mesmo quem é alvo constante de preconceito e vive lutando pela conscientização não está livre de ser surpreendido formando opiniões sem o devido exame crítico.

Eu tinha preconceito em relação à Maria Gadú. As poucas vezes que a vi na televisão a achei muito masculinizada, com jeitão de moleque, e acho que meu cérebro acendeu uma luz vermelha. Parece que minha cabeça não transa bem a androginia - já percebi que gosto das coisas mais bem definidas. Para piorar eu a associava à música Shimbalaiê, que foi tocada à exaustão e virou um porre.

Há duas semanas atrás eu estava meio de mal-humor fazendo compras em uma loja movimentada, e quando entrei no silêncio do provador a música ambiente se fez ouvir. E a música que estava no ar foi me tocando, foi mexendo comigo, me transformou e melhorou o meu dia. Memorizei alguns versos e fui correndo googlar quando cheguei em casa e não deu outra: Maria Gadú. Fui correndo comprar o disco e amei!

Maria Gadú - Altar Particular:


É uma pena que não existam vídeos legais dela no YouTube. O que tem lá são só vídeos caseiros feitos em shows, com câmeras tremidas e som horrível. Ela merecia ser melhor divulgada.

O disco da Maria Gadú ainda inclui esta versão deliciosa e irresistível de Ne Me Quitte Pas.

Maria Gadú - Ne Me Quitte Pas:


Eu olho agora para a Maria Gadú e a enxergo diferente. Consigo ver muito mais do que aquela primeira impressão que eu tive. E o que eu vejo agora é muito bom. Preconceito é foda!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Rip & roll



O cartaz acima faz parte de uma campanha na Austrália de conscientização para o uso de preservativos como forma de combate à AIDS. Depois de espalhado por pontos estratégicos da cidade de Brisbane o cartaz teve que ser retirado devido à uma enxurrada de reclamações indignadas. Em menos de 2 dias descobriu-se que as reclamações tinham a mesma origem e eram parte de uma campanha orquestrada pelo Australian Christian Lobby. Precisa dizer mais?

O diretor executivo da comissão da prefeitura encarregada de publicidade institucional declarou na TV que o Australian Christian Lobby usara de um golpe baixo, e  determinou que todos os cartazes fossem recolocados imediatamente. A notícia está aqui.

Será que este bando de religiosos radicais mal-comidos e mal-amados não vai aprender nunca?