terça-feira, 21 de julho de 2015

O Pipo


Há coisa de uns quatro anos eu fui levar uns documentos na casa de uma pessoa onde eu nunca havia estado antes e, assim que entrei e sentei, um gato apareceu na porta. Ele me olhou de longe e em passos largos e rápidos correu até mim, pulou no meu colo e ali se aninhou. A moça se desculpou, e disse ter ficado muito surpresa porque a gata era normalmente muito arisca e nunca chegava perto de estranhos. Foi nesse dia que eu tive a certeza de algo que já desconfiava há muito tempo: eu sou o que muita gente chama em inglês de "cat person".

Gatos sempre me fascinaram. Sou incapaz de passar perto de um felino sem parar para olhar com admiração. Há uma conexão invisível entre a gente.

Pois no último sábado eu finalmente venci a resistência e resolvi adotar um gatinho para exercitarmos de perto este estranho amor. Procurei o CAV (Centro do Amigo Viralata), que faz um trabalho lindo de resgate de animais abandonados e intermedeia adoções responsáveis. Quando entrei no local eu e o Pipo nos escolhemos de imediato.

O Pipo tem quatro meses, é muito lindinho, e tem uma energia inesgotável. Ele tem o péssimo hábito de lamber a minha orelha e a minha barba, mas ainda estamos estabelecendo limites. Ele já destruiu uma planta que eu tenho na cozinha e está arranhando todo o sofá. E eu estou absolutamente maravilhado. De que vale um sofá se não tiver marcas dos momentos felizes que você já viveu nele?


7 comentários:

Anônimo disse...

Pois digo-lhe que você ainda tem muito ainda para se apaixonar perdidamente e se surpreender. Quem nunca teve gatos costuma dizer que são animais frios e pouco sociais. Que nada, gatos são tão inteligentes e brincalhões como os cães, só que do modo deles. Os cães amam de modo servil, os gatos, de modo independente. Mas amam.

Obs: reza a lenda que um quesitos para se saber se um homem é gay é saber se ele prefere gatos aos cães (junto com aquele lance de gostar de Madonna ou Lady Gaga, não gostar de futebol, curtir moda e grifes...). Não sei se é verdade, só sei que eu adoro gatos! ;)

Marcus Gomes disse...

Cara, sempre leio seu blog sem comentar, mas hoje foi irresistível. Você não vai encontrar animalzinho mais carinhoso, presente (ao modo dele) e sensível. Você vai ver o quanto ele conhece a gente e reage de acordo. É incrível ter um gato. Ah, eles são os donos da casa e a gente só mora com eles.

Anônimo disse...

Uma graça mesmo, gato é independente e gosta de ficar na dele, ele só vem quando quer, mas ele retribui o carinho e o bom trato e a sintonia, eu acho bonito e interessante gatos, não tenho, mas vivi alguns momentos com eles minha tia tem, e meu namorado já teve, só aconselho se for macho castrar e ainda mais se for fêmea pois se não não aguentará os miados desesperados dela rsrsrs e quanto ao macho a fazer xixi em tudo demarcar ambiente, tirando isto é uma ótima companhia.

varzo disse...

Os gatos são muito bacanas e super companheiros... já tive três.
Depois dá uma olhada no site http://www.gateiro.com.br/ que tem dicas ótimas e o arranhador de papelão é um sucesso, faz seu gato esquecer o sofá, rs.
E adotar sempre é uma das grandes expressões de amor e posso falar isso já que também sou adotado.
sucesso para este novo integrante da sua família.

JorgeGomes disse...

Parabéns pelo novo amigo.Voce foi sortudo,ele te escolheu...
Um abraço.

Gera Souza disse...

Que fantástico!!! Fico muito feliz quando vejo alguém com sensibilidade para cuidar desses anjinhos.
Minha história com os felinos começou com meu amigo Luciano, que partiu há 02 meses para o plano superior. Eu fiz um breve comentário no meu ultimo post.
Depois que descobri esta ligação, que eu chamo de espiritual, adotei a primeira gatinha na semana que cheguei aqui no interior da Bahia. Foi a melhor coisa que já fiz na vida. Meg, a minha primogênita é carinhosa, obediente, inteligente e companheira. Tudo é um aprendizado que requer de você muita observação e doação. Os felinos são sensitivos, percebem todas as nossas emoções, olhares, timbre da voz. Estão atentos a tudo o que acontece. Nunca os rejeite seja em qualquer situação. Eles só querem nossa atenção e companhia. E em troca basta deixar água e ração a vontade, além de muito, mas muito carinho...
Ahh..dica importante..mantenha a caixinha de areia sempre limpa. Além de não deixar nenhum cheiro na casa, são praticas. No meu face tenho fotos de tudo o que fizemos para nossas gatinhas.
*PS: fique tranquilo pois o Pipo vai aprender rapidinho onde fazer suas necessidades. É só vc mostrar o local pra ele, cada vez que ele fizer fora. Isso demora uma semana no máximo! outra coisa super importante..nunca, nunca bata no seu anjinho, além dele não esquecer, irá se distanciar de vc e deixará marcas irreversíveis...
Vida longa pra você e seu anjinho..abração

Luciano disse...

Gera,
O Pipo já usa a caixinha de terra desde o primeiro dia. É incrível como gatos estão sempre se limpando e sempre limpos. O Pipo tem cheiro de bebezinho.