domingo, 3 de fevereiro de 2013

108 razões para continuar lutando

Você sabia que no Paraguai o número 108 é associado a veados e considerado maldito? Normalmente os hotéis não têm quarto com este número (pulam de 107 para 109), ninguém compra esta centena na loteria, ninguém usa esta combinação nas placas dos carros.

A razão? Durante a ditadura, Alfredo Stroessner mandava publicar listas com nomes e endereços de homossexuais que eram afixadas em lugares públicos e arruinaram as vidas de muitos cidadãos e suas famílias. A primeira destas listas continha 108 nomes.

Eu não tinha conhecimento deste fato até hoje, quando li um artigo sobre o filme Cuchillo de Palo (Faca de Madeira, em tradução livre, expressão pejorativa usada para se referir a pessoas inúteis), produzido em 2010 por Renate Costa, paraguaia que atualmente mora na Espanha. O filme é um documentário sobre a vida dupla e a morte misteriosa de seu tio Héctor Costa Torres, o número 41 da lista, e o legado homofóbico herdado pelo próprio pai de Renate, irmão de Héctor.

Nunca imaginei que a Uganda estivesse tão perto.

6 comentários:

Mr. Ácido disse...

Ah, sim, Uganda é aqui do lado! Moro em Foz do Iguaçu, na divisa com Ciudad del Este, segunda maior cidade do Paraguai. Extremamente homofóbicos, talvez devido ao catolicismo. Mas não é só contra gays que as coisas são duras. Ali, a virgindade feminina ainda é crucial. Os gays paraguaios vem curtir a noite em Foz, onde sentem-se mais à vontade para viverem sua sexualidade...

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Nojo destas coisas ... mas o "querido" ditador já está nas profundezas do inferno ...

bjão

Margot disse...

É a selvageria nos rondando...aos poucos entra por nossas fronteiras e qualquer dia ela aparece na nossa porta.... triste isso!
Beijos Luciano e bom domingo.

Lucas T. disse...

Loucura isso, não fazia idéia.

Daniel disse...

Aí ontem o Oviedo morre num acidente misterioso...
Paraguai está para o Mercosul como o México para o NAFTA.

Anônimo disse...

Também sou de Foz do Iguaçu, mas confesso que não fazia ideia de que Uganda era mesmo do outro lado do rio!