terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Fique por dentro

O meu consolo é saber que logo o sr. Malafaia vai estar morto e as ideias dele vão estar bem enterradas e apodrecendo tão rápido quanto o seu esqueleto fétido.

Se você não costuma assistir a GloboNews, não perca este especial de quase meia hora apresentado hoje, que cobre os avanços recentes da luta pela igualdade de direitos, começando pela votação que acontece na Inglaterra hoje e voltando para a situação atual no Brasil, com participação do André Fischer e do Jean Wyllys.

Mais uma vez, há que se tirar o chapéu para o Jean Wyllys pela perseverança e pela lucidez dos argumentos.

6 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

parabéns a ele ... um cara digno com certeza ...

beijão

Lucas T. disse...

Jean Wyllys é foda. Espero que ele seja candidato a reeleição e ganhe novamente. Vai ser bom pra todos nós!

Oliveira Santos disse...

Jean Wyllys show de integridade e conhecimento da causa, mas pelo que temos visto tudo isto vai avançar e vai se concretizar e não vai demorar não, assim espero, por mais difícil que seja, o meu voto o Jean Wyllys sempre o terá.

Oliveira Santos disse...

E quero acrescentar que o PT é o MAIOR ENGODO que este País já teve em sua História!!!!!!!!!!

ivan disse...

tudo no malafaia é bizarro - a começar por essa obsessão anal que ele tem - mas o que mais me impressiona é ele ter a audácia de invocar uma pseudo-ciência para tentar "explicar" a sexualidade alheia, enquanto simultaneamente se apoia justamente na bíblia, provavelmente o texto mais anti-científico de todos os tempos. Por que ele não usa a ciência também para interpretar o evangelho? Qual o fundamento científico de criação do mundo em 7 dias e aquela baboseira toda? Como pode a vagina de Maria desafiar as leis da física daquele jeito? Não, nada disso importa. A ciência só entra em cena quando é para combater aqueles que fazem o que ele mais gostaria de fazer também, que é dar aquele c* murcho e enrugado dele.

Anônimo disse...

Malafaia é herdeiro da tradição católica, que por sua vez é herdeira da judaica. O judaísmo dependia da procriação e, principalmente, da procriação dentro do grupo étnico. A história de Tobias e Sara claramente surgiu pra desestimular casamentos com estrangeiros.
Já a Igreja Católica, por mais de 1000 anos unida ao Estado, precisa(va) de casais que se unissem pelos seus ritos e criassem os filhos dessa união também por esses ritos, até o dia em que os filhos se casariam e o ciclo não acabaria, assim como sua dominância.
Silas Malafaia é só a pontinha do iceberg. E nisso a gente percebe a coragem imensa de quem luta pelo respeito às diferenças. É admirável!