sábado, 14 de dezembro de 2013

Não esconda nunca


Só hoje vi esta imagem utilizada pela Ray-Ban em uma campanha no ano passado, e me peguei viajando na foto por vários minutos. Imaginando a vida nos anos 1940 e como estaríamos vivendo muito melhor hoje se a defesa dos direitos humanos tivesse começado mais cedo.

5 comentários:

railer disse...

estaríamos mesmo...
bela foto!

Anônimo disse...

Luciano, antes de ler o que você escreveu eu também fiquei um tempinho viajando nesta foto (achei tão bonita...), mas pensando de uma forma um pouquinho diferente da você. Meu querido foi justamente nos anos quarenta que a declaração Universal dos Direitos Humanos foi apresentada ao mundo com o nascimento da ONU e consequentemente o que entendemos por direitos humanos hoje. Na verdade, se pararmos para pensar, a defesa dos direitos humanos sempre fez parte da história, porém foi preciso que chegássemos ao fundo do poço devido à II Guerra Mundial e ao Holocausto para que tais direitos fossem institucionalizados. Quando vi esta foto (que aparentemente é representada como se fosse naquela época) me peguei pensando em quantas conquistas já foram alcançadas neste campo, apesar dos percalços. A questão é que antes foi preciso quebrar tabus: raciais, religiosos, de gêneros, e de sexo. Ou seja, precisamos primeiro aprender a ver que a cor do outro não o faz diferente de mim, que o credo do outro ou a falta dele não é mais ou menos importante que o meu, que homens e mulheres podem ser iguais nos direitos mesmo sendo diferente na natureza. E precisamos aprender a falar e fazer sexo livremente para poder falar de outras formas de amar. A defesa dos direitos humanos começou bem antes sim. A diferença pé que agora é a nossa vez. Desculpe o longo comentário, mas é que estou inspirado hoje. Culpa deste blog.
Beijo!
Francisco

Marcos Campos disse...

Demais a foto !!

Anônimo disse...

Fico pensando como uma foto suculenta como essa é feita? Primeiro, segundo, terceiro e quarto planos e ainda um pano de fundo, tudo casando à perfeição e sem concorrer com a mensagem comercial, que é também política, devidamente sútil e inevitável.
Alguém ou uma equipe definiu o tema e passou para um produtor, que providenciou modelos e vestes, selecionou cenários e veio o fotógrafo para chutar no gol. Ou seriam fotos diversas montadas e tratadas no computador?
Seja como for, é um exemplar trabalho profissional.

Oliveira Santos disse...

Linda foto e reflexiva, gostei, por vários motivos.