sábado, 11 de janeiro de 2014

O homem que salgou a Santa Ceia

Amor à Vida tem milhares de defeitos que são apontados todos os dias em diferentes artigos e comentários nos jornais e na internet. Tem outros defeitos que ninguém falou ainda, e talvez outros que só descubram depois que a novela terminar. Mas tenho sentido falta de um artigo que realce o lado bom da novela e os caminhos que ela abriu.

Para começar, a novela tirou os gays da zona de conforto com um vilão gay maléfico capaz de jogar uma criança numa caçamba logo no primeiro capítulo. Mostrou um homem gay casado com filho que vivia uma vida dupla e que foi arrancado do armário na frente de toda a família. Mostrou um gay que abandona o companheiro por uma mulher em busca de uma vida social idealizada, para depois se arrepender e descobrir que gostava mesmo era de homem. E vai terminar com uma torcida para o final feliz de um casal gay, em uma história em que os casais héteros são desinteressantes ou estão juntos por interesse.

E quando todos os analistas criticam o autor por ter desconstruído um dos mais notáveis vilões da teledramaturgia brasileira ao aproximá-lo da comédia e encaminhá-lo para a redenção é que eu vejo que ninguém entendeu nada mesmo. Walcyr Carrasco desenhou uma grande jogada de mestre ao atribuir a vilania do personagem à repressão e ao bullying sofrido em família. Félix começou sua redenção depois que foi expulso da mansão e foi morar no subúrbio com a Márcia (Elizabeth Savalla). Não foi a pobreza que o redimiu, mas a aceitação.

16 comentários:

Margot disse...

Já li tanta critica ao personagem Felix que nem saberia enumerar. Quando em qualquer lugar eu digo que gosto do Felix, e até que entendo as razões que o levaram a agir de maneira má, eu ouvia que ele era malvado, ruim, etc.
Mas, como vc escreveu, a vilania dele sempre foi uma "torta" compensação por um comportamento realmente mal de outro personagem; o pai dele.

Estou torcendo por ele...como desde o início... rsrsr

beijos Luciano

Anônimo disse...

É, você estava devendo esse post, pois o Félix e seu intérprete Mateus Solano se destacaram no 2013. Não conheço bem novelas, mas suponho que nessa dramaturgia os personagens gays nunca estiveram envolvidos em uma trama tão suculenta e destacada.
E, com sua atuação, Solano conseguiu atrair não só as atenções como a simpatia do público. Gente que, no início, reclamava que tinha viado demais na novela agora está torcendo pelo Félix, para ele terminar bem, e para o Eron pagar pela traição.

Luciano disse...

Fiquei contente de ler este artigo logo cedo:

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2014/01/1395948-gays-de-amor-a-vida-ganham-o-publico-que-espera-beijo-entre-homens-no-horario-nobre.shtml

Será que agora vai?

Anônimo disse...

Hitler tb tinha problemas de aceitação. Que falta não faz ter que trabalhar numa van de cachorro quente na 25 de março, não é? Por falar em pensamento "torto".

P. Florindo disse...

Sobre a novela, acho fraca e com um casalzinho sem sal, quase infantil. Os personagens Félix e Valdirene carregam a novela nas costas.

Sobre o Félix, concordo com seu ponto de vista. Mostra o homossexual como uma pessoa como todas as outras (que tem um lado bom e ruim como todo mundo), e não ou como um coitadinho ou como o homossexual espereotipado afeminado nas funções de cabeleleiro, por exemplo. Acho uma abordagem mais aproximada da realidade, inclusive com as características de ele ser mais descontraído e irônico; em geral, os gays são mais alegres mesmo que não tenham tantos motivos para isso devido ao preconceito ou paranoias.

Também concordo com o tapa na cara ao abordar um tipo homossexual que se casa com mulher e vive uma vida dupla. Espero que essa novela tenha sido o começo da tal ~apologia gay~ que mostra o que o fato de ser homossexual implica na vida de um ser humano e nas que vivem ao seu redor, especialmente daqueles que vivem em um meio onde a aceitação (quando se dá) não é fácil. Acredito que grande parte do preconceito aos gays se dê pela falta de conhecimento sobre o assunto, onde muitos pensam que é uma questão de "escolha". A tal ~apologia~ precisa ser feita de modo a entender o motivo de existir o preconceito, mas contornando-o com calma pois para muita gente, a homossexualidade não é fácil de assimilar, especialmente daqueles que nunca sentiram na pele as condições que isto implica perante a sociedade...

Anônimo disse...

O problema da dramaturgia desse autor é que soa fake, assim como de sua colega Glória Perez. Em que mundo a redenção de um ser humano ocorre pq Mamy Poderosa pediu para que ele se desculpasse com quem ele tenha feito mal? O cara cometeu crimes, alguns deles hediondos!
Mas enfim, as qualidades que vc registrou realmente procedem, e isso é de fato uma conquista!

Julio Paiva disse...

Eu sou um daqueles que reclamou da desconstrução de um personagem magnífico, escrevi um post no meu blogue: Félix, símbolo ou arquétipo, porém concordo contigo que este personagem abriu os caminhos para um novo ponto de vista, no entanto reclamo como dramaturgo pelas facilidades mágicas na trama onde esta redenção não seria possível, dado o tempo e contradição do mesmo. Ele errou muito, e ainda afirmou que o HIV nasceu nos estados unidos em princípio com os gays, isto não é verdadeiro, portanto este é só um exemplo de um autor não dominar um assunto e escrevê-lo a qualquer custo.

[ joe ] disse...

Eu não acompanho a novela, mas pela sua reflexão, me parece que foi mesmo um plot twist muito do esperto pra uma trama que soa bem mais interessante e realista do que tantos personagens gays das novelas desse Brasil de que eu já li a respeito. Quem faz o marido que largou a família?

[j]

Luciano disse...

[joe]
O Félix, personagem do Mateus Solano, começa casado e com um filho adolescente. É tirado do armário à força pela própria mulher que o flagrou com um namoradinho na academia. Recebeu o apoio do próprio filho.
Agora, na reta final, ele está separado e disputando o amor de outro cara (interpretado pelo Thiago Fragoso) um gay super do bem que acabou se tornando a grande mocinha da novela e para quem o Brasil inteiro está torcendo.

BTW, você viu que legal a declaração do Lee Ryan (de quem aprendi a gostar através de você) esta semana?

Bjs,

**

Anônimo disse...

Minhas críticas: Félix não precisava ser tão efeminado (não, não precisava) e Eron tomando trejeitos mais masculinizados quando estava com a Amarilys. Na minha cabeça, me deu a entender que a mensagem passada é que efeminações e masculinizações dependem do gênero pessoa com a qual estamos envolvidos carnal e sexualmente. E isso não é verdade, pff.

Anônimo disse...

Que o 'Thiago Fragoso acabou se tornando a grande mocinha da novela', essa é mesmo do cacete. E é a pura verdade.
E olha que a Globo conduz as novelas na base de pesquisas para estar segura de agradar de preferência a todos.

Anônimo disse...

Onde foi parar o mecânico Juscelino? O Eron deveria levar uns trancos dele pra voltar a realidade!

Marcos Campos disse...

Não assisito muito a novela, de vez em quando pego algo, e a acho ruim.
Mas por um lado, vc apontou várias situações que realmente são legais de se ter mostrado num personagem gay, algumas das quais, vários de nós já passamos. Mas em relação aos crimes, crime é crime, e ele fez alguns bem ruins, vitima de preoconceito ou não, aceito ou não pela familia. Isso, acho que ficou bem mal resolvido.
Mas me chamou a atenção na novela o outro casal gay, seu comportamento. Vi um video há um tempão atrás que abordava esse assunto, vc já deve ter visto:
http://www.youtube.com/watch?v=_7V_bjbdXBc
Mas, é uma novela, é ficção ... será que dessa vez o beijo rola ? Ainda acho dificil ... ainda mais na Globo, que de uns tempos pra cá, anda arrastando a asa para os evangélicos, que abominam a idéia ...

Oliveira Santos disse...

Então, eu achava que o Félix seria o vilão até o fim e terminaria bem mal, mas ele mudou né, até que ficou mais interessante, pelo jeito o final será interessante. Eu tenho pena dele, acredito que a falta de amor familiar e os incidentes da vida o tornaram ruim, mas a mesma vida incumbiu para que ele mudasse enquanto é tempo.

[ joe ] disse...

Confesso que essa reação nacional que você descreveu é até difícil de acreditar. Mas é notícia boa de se ouvir. E o Thiago Fragoso é um fofo, fiquei até curioso pra ver, mas não consegui encontrar cenas numa busca rápida pelo YouTube.

Não tô sabendo da declaração do Lee Ryan, o que houve??

[j]

Luciano disse...

[joe]

Pensei que você tivesse visto a declaração do Lee Ryan na semana passada. Veja só:

http://www.towleroad.com/2014/01/brit-boyband-singer-lee-ryan-ive-been-with-a-man.html