segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A cura

A Folha de S. Paulo de hoje (aqui para assinantes) traz reportagem sobre projeto de lei proposto pela frente parlamentar evangélica para reverter uma decisão do Conselho Federal de Psicologia e instituir no Brasil a "cura de gays". Os evangélicos querem que a homossexualidade seja considerada uma "doença" e portanto passível de cura.

Ser evangélico obscurantista é uma opção perfeitamente passível de reversão. Precisamos urgentemente começar a nos compadecer destes cidadãos para forçar o governo a instituir com urgência programas de saúde pública para a "cura de evangélicos".

18 comentários:

Lobo disse...

Fiquei muito curioso para ler essa matéria. Será que tem outro lugar onde possamos ter acesso?

Eu estava lendo que houve um rebuliço em 2004 por um projeto de lei parecido... se trata do mesmo, será, ou é um novo ainda mais absurdo?

Luciano disse...

@Lobo:
Vou colar o texto do artigo abaixo. Abraço!

****

Projeto de bancada evangélica propõe legalizar 'cura gay'

Deputados querem modificar resolução do Conselho de Psicologia que proíbe tratar homossexualidade

Para órgão profissional, proposta interfere na autonomia da entidade para legislar sobre o trabalho de psicólogos

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER
DE SÃO PAULO
O paciente deita no divã e pede: não quer mais ser gay. O psicólogo deve ajudá-lo a reverter a orientação sexual?

Parlamentares evangélicos dizem que sim e tentam reverter uma resolução do Conselho Federal de Psicologia.

Um projeto de decreto legislativo quer sustar dois artigos instituídos em 1999 pelo órgão. Eles proíbem emitir opiniões públicas ou tratar a homossexualidade como um transtorno.

Segundo o projeto do deputado João Campos (PSDB-GO), líder da Frente Parlamentar Evangélica, o conselho "extrapolou seu poder regulamentar" ao "restringir o trabalho dos profissionais e o direito da pessoa de receber orientação profissional".

O conselho de psicologia questiona se o projeto pode interferir na sua autonomia. Para o presidente do órgão, Humberto Verona, estão lá normas éticas para combater "uma intolerância histórica".

Deve-se curar a "síndrome de patinho feio", e não "a homossexualidade em si", diz Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Para ele, é o preconceito que leva um gay a procurar tratamento.

"[Ninguém diz] 'cansei de ser hétero, vim aqui me transformar'", completa Verona.

FREUD EXPLICA?

O estudante de direito e homossexual Fábio Henrique Andrade, 18, foi mandado para o psicólogo pela primeira vez com dez anos. O filho deveria "tomar jeito" antes que virasse gay, na opinião de sua família adotiva.

A voz fina tirava o pai do sério. "Falava que era de veado." E também o fato de ele só brincar com as meninas.

Para o pastor e deputado Roberto de Lucena (PV-SP), cruel é deixar "um homem em conflito" ao léu psicológico. Ele é relator do projeto de Campos, hoje sob análise da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara.

A princípio, Lucena crê que os pais têm o direito de mandar seus filhos para redirecionamento sexual. Mas reconhece que o tema deve ser discutido em audiência pública, prevista para as próximas semanas em Brasília.
==

Psicóloga cristã se diz vítima de 'perseguição'

DE SÃO PAULO
Marisa Lobo, 39, que se diz "psicóloga cristã", luta contra o Conselho Regional de Psicologia do Paraná. Ela foi convocada a retirar da rede material vinculando psicologia e religião -o que fere o código de ética da categoria.

Um texto em seu blog sugere que para "alcançar a comunidade gay", deve-se seguir o exemplo de Jesus, que "não concordava com certos comportamentos, porém tratava com tolerância e amor".

Adepta da igreja batista, Lobo diz sofrer "perseguição religiosa". Ela nega oferecer "cura" a pacientes gays e rejeita acusações de homofobia. Diz ter a mesma opinião da cantora Claudia Leitte: "Amo [gays], mas prefiro meu filho machinho".

Para Verona, do Conselho Federal de Psicologia, "não existe psicólogo cristão: a psicologia é laica, a pessoa é cristã".
-------------------------

Dan disse...

to cansado desses merdas acharem que têm direito sobre a sexualidade das outras pessoas. acharem que são os senhores da razão. meu cú pra eles! quem eles pensam que são?

Anônimo disse...

É a costumeira confusão entre o público e o privado que não deixa o Brasil nem sob reza!
Por livre e espontânea vontade e escondido da minha família, participei em 2008 de "sessões de oração" que visavam curar a homossexualidade. É tenebroso!
Fui olhado com tanta pena que fiquei desconcertado, um senhora exclamou: "Mas ele é tão novo, tão bonito!". Daí seguiram-se gritos deles e meus pedindo misericórdia, muito choro e no final eu sentia uma repulsa insuportável pelo meu corpo. O pior, no entanto, vem depois.
Eu tinha que "assumir a cura", ou seja, não mais olhar pra nenhum homem com segundas intenções e começar a viver a "sexualidade plena e verdadeira" que traduzindo significa "namorar mulher, noivar, casar e PROCRIAR".
Isso não aconteceu na Universal, aconteceu na Católica em uma das chamadas Novas Comunidades como Shalom, Canção Nova, etc.
O discurso de "respeito e amor fraterno pelos homossexuais" esconde uma visão majoritária na qual homossexualidade é, mais que simples doença, pecado, maldição. Não desejo os tormentos que eu passei a ninguém.
Que a Psicologia resista, será duro. Vivemos em uma época na qual a batina e o jaleco se confundem, o médico detém o poder que o padre antes detinha de guiar as pessoas rumo à salvação. Numa época dessas, é perigoso debater um assunto que em si mesmo transmite a ideia de doença, pecado e maldição...

Anônimo disse...

Não existem palavras para tamanha ignorância. Já faz muito tempo que órgãos relacionados à saúde - a OMS, a APA e o CFP -(corretamente) deixaram de considerar o homossexualismo como doença de qualquer tipo. Isso é a prova que doentes são eles!

Anônimo disse...

Alguém me tira uma dúvida?O Brasil não é um país onde Religião não deve interferir no Estado?Como é possível a existência de uma Bancada Evangélica?

railer disse...

luciano, valeu por divulgar a matéria.

será que esse povo um dia evolui? fico de bobeiro quando leio coisas assim, de gente que parece que não tem o que fazer e fica inventando coisas pra diminuir pessoas ou fazê-las se sentirem mal. por que não deixam cada um na sua? absurdo.

TONY GOES disse...

A pergunta é: a legislação tem o poder de interferir sobre um órgão autônomo e não-estatal? Acredito que não.

O que é preciso ficar claro é que, com projetos como estes, os evangélicos estão simplesmente querendo obrigar gente que não é da mesma religião a seguir os preceitos da mesma. Isto é quebrar a barreira entre estado e igreja, sim. Mas duvido que uma lei dessas passe, ou que não seja vetada.

| Diego Dellano disse...

Definitivamente, tanto com que o se preocupar nesse nosso Brasil...

Tentam retroceder, em cima de algo que o mundo segue em um caminho oposto.. é brincanagem isso sim...

#inconformado

Anônimo disse...

....não vamos esquecer que em um passado proximo o kit anti homofobia foi usado como moeda de troca pelos evangelicos derepente surge um novo escandalo dentro do nosso governo e oes evangelicos irtam usar seus projetos como moeda de troca..


Herbert

ivan disse...

acho que está na hora de lançar a campanha

ABAIXO A DITADURA EVANGÉLICA E O TALIBAN BRASILEIRO. O BRASIL NÃO É O AFEGANISTÃO. POR UM ESTADO LAICO. PAZ.

ivan

Margot disse...

Fico me perguntando porque não existe um projeto de lei para o estudo da "cura do preconceito", "da cretinice" e "da homofobia". Quem sabe um para a "cura da corrupção". Até que nós que os colocamos lá em cima(ou seria embaixo?),não tomarmos alguma atitude... seremos vítimas de absurdos iguais ou piores. Ab.

Aldo disse...

Cansei destes evangélicos e católicos ufanistas, que querem se aparecer por meio dos gays.

Eles é que são doentes, citam o nome de Deus, coitado, em vão pra agaranhar fundos de dinheiro e aumentar a cota de ''fiéis''esquisitos e fingidores.

Isso é o que ele são fingidores .

A única coisa que eu queria é que esse Deus em que eles tanto falam, colocassem juízo nas cabeças destes seres e que parassem ao menos de nos perseguir.

Abraço, Dear Luciano!

Mr.FG disse...

É incrível como esses alienadores de mentes agem não é? Candidatam-se a deputado federal para legislar em nome de cristo, será que há segundas intenções? Vamos ver, mais de 80% da população brasileira se diz cristã, logo pode surgir grandes oportunidades em carreiras politicas para pastores, padres, bispos etc. Ai eles se elegem, e ao invés de se ocuparem de projetos para garantir a aplicação do dinheiro público na a qualificação do ensino fundamental e médio, melhoria nas instalações e no atendimento hospitalar, aplicação correta de recursos em saneamento básico e segurança, por exemplo, que são os maiores problemas desse país. Não!! Dizem vamos diminuir ainda mais os direitos dos homossexuais, sim porque homossexuais não seguem o que diz a bíblia logo devem ser punidos para entrarem na linha! (mas não podemos mencionar isso nas leis porque não passa na comissão de direitos humanos, fica só entre nós então). Deve ser assim a conversa na bancada evangélica, para não dizer maquiavélica.
Estão a deturbar a resolução do conselho de psicologia que impede os profissionais da área de tratar homossexualidade como doença, alegam que os pais devem ter o direito de tentar redirecionar a orientação sexual do filho se assim julgarem correto.
O porquê dessa resolução não fere nenhum direito dos pais? Porque de qualquer forma eles podem procurar orientação de um psicólogo, e esse pode sim prestar o devido atendimento a pessoa em questão, o que o profissional não pode fazer é dizer que é uma doença e que ela deve ser tratada e que a mesma pode ser curada.
Quer um exemplo bem claro do porque homossexualidade não é doença? Você já ouviu algum hetero a dizer que queria mudar sua sexualidade? Não! Sabe por quê? Porque ele já está no padrão do que é “normal” a pessoa que “diz querer mudar a sexualidade porque não se sente bem assim” pensa isso porque a sociedade responde com discriminação a sua sexualidade, ou seja, o problema não está com a pessoa, mas com uma cultura discriminatória que leva a pessoa a querer se encaixar.
Está mais do que provado por vários órgãos internacionais de psicologia que homossexualidade não é uma patologia por isso não necessita de tratamento. E até deixam a ressalva de que tentar mudar a sexualidade de alguém pode trazer grandes decepções e problemas emocionais e consequentemente físicos, levar a depressão e outras doenças psicológicas que podem comprometer a integridade física e mental de uma pessoa. Em outras palavras, tentar tratar homossexualidade que não é uma patologia pode frustrar uma pessoa levar essa a desenvolver uma doença de verdade ou a consequências piores (exemplo pessoas que desistem de viver por não se encaixar na sociedade e cometem suicídio).
Esses deputados da frente evangélica nada mais querem do que impor seus preceitos a toda à sociedade, ou seja, impor os dogmas da sua crença a todos os cidadãos desse país. Cabe a nós que estamos a ser perseguidos por essa corja de lobos em pele de cordeiros, lutar contra essas campanhas de ódio e doutrina religiosa (para não dizer ditadura religiosa).

Att. Mr. FG
http://queermrfg.blogspot.com/

Mr.FG disse...

Espero que meu comentário anterior não seja excluído por se extenso. Publiquei meu pensamento na integra sobre o assunto no meu blog, http://queermrfg.blogspot.com/2012/02/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html

Antonio Carlos disse...

Ai que preguiça de Evangelícos que eu tô...posso sugerir algo? Porque nao pegam um pedaço de algum estado da Federação que não produz muito, dá pra esses ridículos e deixem eles lá fazerem o país deles, com as leis deles, assim nao ficam torrando a porra do saco da gente com essas coisas pequenas e que nao levam a lugar nenhum...vixe...com tanta coisa importante a ser discutida no país, esses merdas querem empurrar a gente de volta pra Idade Média...PQP

Lucas disse...

O mais sensato seria os membros da bancada evangélica organizarem um protesto em frente a American Psychiatric Association pedindo que esta volte a reconhecer a homossexualidade como doença.
Só tem um porém: eles não aceitam citações da Bíblia como evidência científica...

Cara Comum disse...

Isso tá me assustando de verdade!! Cada dia parece que vou acordar com uma lei que me condene à morte...

Aproveitando que esse é um ano de eleições, fiquemos todos mais atentos e politizados. Essa é uma importante dica!

Eu só tenho a acrescentar o comentário perfeito da Dani Calabresa sobre essa notícia: "Existe cura pra homofobia também e se chama Ensino Fundamental Completo." Vejam:

http://www.youtube.com/watch?v=9zCylTZguAw

(aos 2:39 do vídeo)