quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Quem ama...

Até algumas décadas atrás a honra de um homem valia mais que a vida de uma mulher. As mulheres tinham pouquíssimo valor patrimonial na sociedade - podiam ser apenas mães, irmãs e filhas. E o homem podia invocar a "defesa da honra" para acabar com a vida de uma mulher adúltera. 

Felizmente a evolução dos costumes nos fez enxergar a realidade destes "maridos violentos". E não deixa de ser irônico neste caso de Santo André que o réu Lindemberg Alves - que matou a namorada por ter seu orgulho de macho ferido - tenha seu destino comandado exatamente por três mulheres. A advogada de defesa é mulher, a promotora é mulher, e a juíza é mulher. Os tempos estão mudando.

4 comentários:

P. Florindo disse...

Estão mudando, mas lentamente. Ainda existe muito machismo não somente por parte dos homens como por parte das mulheres também!

Embora o Brasil ainda seja muito machista, os tais assassinatos pra lavar a honra são comuns em muitos países pobres da África, de alguns países do Oriente Médio e, como sempre, na China!

TONY GOES disse...

É, mas não é por acaso que o júri tenha uma única mulher. Os outros são todos homens. A defesa espera que esses homens todos se "solidarizem" com Lindeberg.

Daniel disse...

Sim, tanto a acusação como a defesa podem dispensar até 3 jurados sorteados sem jusitificativa nenhuma. Assim a defesa "filtra" o conselho um pouco a favor do réu por motivos totalmente subjetivos.

Anônimo disse...

Já reparam que tem mais mulher do que homens pelas ruas, e por todo lado, as mulheres vão dominar o Mundo!!!!!