segunda-feira, 16 de julho de 2012

Reação em cadeia

As redes sociais são, sem nenhuma dúvida, o grande barato da Internet 2.0. Muito além da infindável coleção de mensagens fofinhas com carinhas de cachorrinhos peludinhos, do povo maldizendo a segunda-feira e idolatrando a sexta, ou das indiretas dirigidas aos ex-namorados mas que são jogadas na cara dos oitocentos amigos, as redes agregam conteúdo gerado por usuários em outras plataformas como YouTube ou nos blogs e reúnem um incalculável poder de mobilização.

Ontem senti esta força e vi como o efeito ripple carrega rapidamente a informação em círculos cada vez maiores. Minha mãe teve uma crise aguda de diverticulite e sofreu uma internação de emergência pela manhã. Eu estava ao lado dela no hospital o tempo todo e para me distrair navegava pela internet. Postei a notícia no facebook e no minuto seguinte comecei a receber mensagens de parentes e amigos. Meu irmão que mora no Japão, as tias de Minas, os primos do sul, a amiga que está na Alemanha, colegas de trabalho, amigos virtuais... a notícia desencadeou uma reação que eu não esperava.

Minha mãe já está em casa e está melhor, mas a realização da velocidade da mobilização me deixou surpreso e maravilhado. Nos dias de hoje Zuckerberg é muito mais poderoso que Obama.

Um comentário:

Margot disse...

Fico feliz por sua mãe estar em casa e bem. Dê a ela abraços por mim.
beijos Luciano.