quarta-feira, 11 de julho de 2012

Veado!!

Os jornais de hoje dizem que o advogado de Macarrão vai processar o advogado do goleiro Bruno por ter chamado seu cliente de gay. Independente de isto ser verdade ou não, a pergunta que não me sai da cabeça é: é difamatório chamar alguém de gay?

Se uma das batalhas atuais da comunidade GLBT é provar que os gays não são inferiores ou diferentes dos héteros e que a orientação sexual é apenas uma característica, então chamar alguém de gay teria o mesmo efeito que chamar alguém de alto ou de loiro. É claro que a homossexualidade ainda carrega um estigma pesado e que a realidade é bem diferente, mas este argumento já é debatido judicialmente. Nos Estados Unidos, há apenas dois meses, um tribunal de primeira instância de Nova York sentenciou por unanimidade que chamar alguém de gay não mais consiste difamação. A decisão do tribunal esclarece que sentenças anteriores se baseavam na premissa falsa que ser gay, lésbica ou bissexual era motivo de vergonha ou desgraça.

Eu aprendi com um amigo algumas respostas prontas ótimas para situações em que alguém tentar me ofender desta forma. Ainda não precisei usar, mas estão ensaiadinhas na ponta da língua e podem ser usadas independente de crença religiosa. Para o grito de "Veado!!" responda no mesmo tom: "Graças a Deus!". E para "Vá tomar no cu!" responda "Deus te ouça!". Simples assim.

11 comentários:

Edilson Cravo disse...

Luciano:

kkkkkkkkkkkkk
"Deus te ouça" é audácia puraaa..hahahaha.
Abraços.

Margot disse...

Rsrrs... boas respostas Luciano...kkk. Lutar para ser normal/comum, e processar, justo porque foi chamado pelo nome que lutou para ter/ser... é insano.
Beijos

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

kkkkkkkkkkk anotei as respostas para o caso de precisar algum dia ...

Diego Hatake disse...

Vou anotar essas respostas. XD

Sobre o assunto, não acho o termo gay ofensivo, assim como muitos não devem. Mas acho que deve ter cuidado com isso, depende muito da origem e de como tal termo foi transformado de algo pejorativo para algo que significasse força ou orgulho. "Gay" é mais fácil de ser perdoado se lembrarmos de onde se originou: gay = alegre em inglês. Mas outros termos acho difícil de serem esquecidos, relevados, como "viado". Tem coisa que será sempre pejorativa por conta de sua origem e nem tem como discutir, vide o que querem fazer com "macaco". Essa historinha de falarem que é só "referência ao bichinho" não cola nem a pau.

Anônimo disse...

detalhe o advogado resaltou bruno ( ativo) e macarrao ( passivo) kkkkkkkk

Raphael Martins disse...

Tomando nota. Now !

Anônimo disse...

Para 'vá tomar no cu' eu prefiro 'não me
venhas com gulozeimas'.

Anônimo disse...

O caso em questão, por tudo horrível, não tem nesse último lance um mero xingamento, mas uma tentativa de jogar a responsabilidade pelo crime em um dos envolvidos. Coisa de advogado.
E Bruno e Macarrão não vivem em Nova York, mas em um meio rude onde viado leva porrada [e nem por isso Macarrão dispensou a tatuagem nas costas com um incrível 'Bruno e Macarrão amizade verdadeira, amor eterno'].
Acho que, nesse caso, podem condenar todos os suspeitos e seus advogados sem julgamento mesmo.

Alex Bez disse...

Um amigo, muito querido, ultra-super fashion, antenado, usando todos os adereços da moda (ok, dando pinta, rsrsr)estava na rodoviária em Salvador e atras dele na fila um daqueles "machos" que o Thiago Lasco chama de CAFUÇU...pois bem, eis que o CAFUÇU em questão grita: "só tem veado nesta rodoviária hoje"
Meu amigo, olha para trás, dá uma scaneada no "aborigene" e responde:
"a-p-r-o-v-e-i-t-a".
Achei ótimo!
um abraço,

O ilumin@do disse...

Luciano ..... concordo em parte com as suas premissas. De fato, ser gay não é demérito para ninguém. O problema de revelar a orientação sexual de determinada pessoa é que esse assunto diz respeito à intimidade/privacidade do indivíduo e não pode ser exposto contra a vontade do interessado. Penso que um processo de indenização seria cabível com fundamento na violação da intimidade e não por ser ofensivo chamar alguém de gay. Aliás, toda e qualquer violação indevida da privacidade representa um ato ilícito e deve ser judicialmente reparado. Não se pode revelar, ainda mais para o país inteiro, que fulano é gay/hétero, que se relaciona sexualmente com A ou B, que se masturba tantas vezes ao dia, que já transou com duas mulheres ao mesmo tempo ... enfim, essas são informações de foro íntimo e só podem ser reveladas com autorização do interessado ou desde que haja interesse público relevante que justifique o sacrifício da privacidade alheia. Abs!

CriCo disse...

- Vaitománocu!!!!

- Só se for agora!!!!

KKKKKKKKKK!!!! :D