terça-feira, 30 de julho de 2013

Porque os homofóbicos estão perdendo a guerra

Uma das estratégias mais fortes do lobby antigay sempre foi pintar os homossexuais como criaturas estranhas - pessoas pervertidas, imorais, indecentes, sem pudor e sem senso de família e sociedade. Claro que existem homossexuais depravados, da mesmíssima forma que existem heterossexuais depravados, mas a associação forçada da perversão com a homossexualidade sempre foi muito mais constante. Os Nardoni, a Suzane Richthofen, a Elise Matsunaga - são todos assassinos frios mas nunca a imprensa se apegou ao fato de serem todos heterossexuais. Ser heterossexual não é notícia.

Andrés Gioeni, ex-padre
Estamos agora entrando na época em que ser homossexual também está deixando de ser notícia. Jornais já escrevem sem alarde que fulano estava com o namorado ou que sicrana abandonou a família para fugir com a namorada. E nunca os homossexuais tiveram tanta visibilidade mostrada com tanta naturalidade.

A situação avançou tão rápido que chegamos à primeira menção positiva e direta sobre os homossexuais por um Papa. A repercussão foi imediata e em nível global. E já tem até padres escrevendo diretamente para o Papa, como o argentino Andrés Gioeni, que antes era um padre gato e hoje é um ator gatíssimo (veja as fotos do facebook dele aqui, e apaixone-se).

Alguns gays torcem o nariz para o fato de outros gays buscarem um estilo de vida padrão de comercial de margarina. Acham esta configuração heteronormativa decadente. Pois não poderia existir bobagem maior. Há várias formas de ser feliz e realmente nem todo mundo, hétero ou homossexual, nasceu para viver junto assistindo ao Fantástico no final do domingo de mãozinhas dadas na frente da TV. No entanto, é justamente esta configuração que mais perturba o lobby antigay. Qualquer coisa, detalhe ou aspecto que mostre os gays como pessoas normais joga por terra os argumentos dos que combatem a igualdade. Se no passado os gays lutaram pelo direito de ser diferentes, hoje batalham pelo direito de ser iguais.

Um vídeo como este abaixo, por exemplo, que mostra o casal Paul e James com os filhos gêmeos Emmet e Gabriel é extremamente perturbador para quem está tentando combater os gays, pelo simples fato de mostrar uma família não apenas perfeitamente "normal", mas também absolutamente adorável. Impossível não se apaixonar por eles logo no primeiro minuto do vídeo.





9 comentários:

Anônimo disse...

Que família linda né Luciano! Eu adorei!
Fofos. Todos eles.
Vi que foi indicação de um outro leitor nos comentários outro dia e fiquei feliz por você ter postado o vídeo.
Cá para nós, que pais gatos hein? Gatíssimos!

Anônimo disse...

Post suculento, para todos os gostos. O Globo Repórter é hilário, e periga de acontecer mesmo.
Respeito seus traumas de Sul de Minas, pois minha família também é de lá, fui criado muito católiquinho, mas no Rio e assim os meus traumas, me parece, foram mais leves e, se me tenho ateu, não guardo tantos rancores da Santa Madre. Mas você há de convir: ese papa es del carajo.
Esse superstar de 76 anos, que não canta, dança ou faz caras e bocas, depois de uma semana de total exposição, quase um big brother, mas sem direito a abobrinhas, volta para casa e dá uma entrevista com essa calma. E ainda agradece à reporter que lhe perguntou sobre os seus gays.
Não espero que ele faça tudo o que eu considero que precisa ser feito, mas se saiu bem melhor do que a encomenda. Entendo que institucionalizou as demandas das manifestações das ruas, sem a hipocrisia dos palacianos - alguns desses assistiram ali a sua própria missa de sétimo dia, sem saber quem era o morto. -.
Só isso já me parece bastante.
Esvaziar uma candidatura evangélica à Presidência, preocupante quando as coisas estão tão reviradas, é muito positivo.
A declaração tão informal no avião, na verdade um bate papo, também foi boa, embora tivesse sido muito melhor se tivesse ocorrido na véspera.

railer disse...

realmente inspirador!

Marcos Campos disse...

É, sempre bati nessa tecla: somos normais !
Ainda há um longo caminho, mas as coisas estão melhorando ...
Abraço !

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Sensacional o post e os comentários acima ... compartilhando ...

beijão

Anônimo disse...

Na verdade, a grande pergunta que nessa matéria o Globo Reporter não poderia deixar de esclarecer seus telespectadores não seria 'o que comem?', mas 'quem come?'

Margot disse...

Marcos falou tudo... sem discussão.
Beijos Luciano

Anônimo disse...

Esse Andrés Gioeni, hein, queria muito rezar com ele, como que faz? A zoação com Globo Repórter me lembrou as esquetes gloriosas que o pessoal do extinto Saturday Night Live (RedeTv) fazia... rs rs rs.

Oliveira Santos disse...

Excelente texto, disse tudo!!!! Gostei mesmo.