segunda-feira, 5 de agosto de 2013

O Papa, a Rede Globo, e as voltas que o mundo dá

Eu gostei muito que o Papa tenha feito uma declaração positiva em relação aos gays, e continuo esperando ansiosamente que a Rede Globo exiba em beijo gay em uma novela no horário nobre. Escrevo isso assim, meio fora de contexto, só para ter a oportunidade de responder a um anônimo que costuma passar por aqui para condenar a atitude de alguns homossexuais que, segundo a óptica míope dele, vivem à espera de aprovação da Igreja Católica ou da Rede Globo.

Eu não sou religioso, sou muito bem resolvido, não dependo de bênçãos de ninguém, e estou pouco me lixando para o futuro da Igreja ou da Rede Globo. Mas me animo muito com cada pequena demonstração da diminuição da homofobia e do avanço da igualdade de direitos. A cada vez que presencio uma evolução - mesmo que pequena - por parte da igreja, das televisões, ou de qualquer setor da sociedade, me vem a certeza de um futuro melhor para tanta gente que sofre com o preconceito. Essas atitudes deveriam ser aplaudidas por todos. E eu não digo isso como homossexual, mas como cidadão.

8 comentários:

Margot disse...

Falou e disse Luciano.....onde assino?

Beijos

Lucas T. disse...

Não achei nada demais os comentários do Papa sobre os gays, mas pensando nos jovens - do interior principalmente - que tem que lidar com o preconceito pautado por religião, foi uma grande coisa. Agora pelo menos podem falar "O Papa disse pra não julgar". Um belo cala boca em pais e famílias retrógrados.

Anônimo disse...

Sempre estivemos à margem, não é novidade, mas tb acho que se tivermos exemplos positivos de tolerância e respeito, vindos desta emissora ou de um chefe de igreja, é sempre melhor que não ter nada dito à respeito de nós, que existimos, consumimos e pagamos impostos.

Anônimo disse...

Concordo plenamente, Luciano. Tive a oportunidade de assistir aquele diálogo entre a irmã do Félix e o filho dele na novela das 9 e achei muito bacana, super educativo! Se pelo menos uma pessoa começou a pensar diferente e perder preconceitos sobre os gays após assistir essa cena (e todo o conjunto que foi a saída do armário do Félix), já fico feliz.

Anônimo disse...

Penso que a inclusão de forma relax, mas consequente no dia a dia da midia, novelas, variedades, propaganda, entre tantas possibilidades, é muito importante.
Não só as matérias revindicativas e os editoriais, mas aquelas vezes em que o tema gay não é o objeto central, mas de alguma forma faz parte dele.
A participação do Marcelo Adnet no último Fantástico foi exemplar.
Como o primeiro video de uma série que homenageará apresentações históricas de cantores da MPB nesse programa, ele viria dressed to kill de Ney Matogrosso cantando Homem com H.
Mas antes teve uma introdução consistente, em traje urbano, resumo do tema gay e sociedade - fogueira para gays e canhotos, casamento, declaração papal etc etc. E a música foi cantada à la Ney, mas com letra by Adnet ilustrando o tema.
Informação bem positiva levada com muito humor e simpatia, totalmente palatável até para famílias TFP.
[bem mais razoável do que, de bunda de fora, quebrar imagens de santos]

Anônimo disse...

"Bergoglio dizia que o projeto [casamento igualitário] era obra da inveja do Demônio, 'uma jogada do pai da mentira, que pretende confundir e enganar os filhos de Deus', e por isso chamava a 'defender a família argentina' e acrescentava, com dramatismo: 'Esta guerra não é vossa, mas de Deus'."

Chico, Chico...

http://oglobo.globo.com/blogs/prosa/posts/2013/08/03/o-papa-os-gays-505600.asp

Vale a leitura. Mesmo se indiferente a religião como eu.

Anônimo disse...

Falando em Chico, sou mais este:
http://blogs.band.com.br/vitaminapop/files/2013/08/Chico-Bento-Mo%C3%A7o.jpg

Como o menino cresceu hein...

railer disse...

apoiado!