domingo, 11 de março de 2012

Voltando para o armário

Aguinaldo Silva revelou ontem que no final de Fina Estampa daqui duas semanas, Tereza Cristina (Christiane Torloni) foge e Crô (Marcelo Serrado) se tranca no armário. É Baltazar (Alexandre Nero) quem vai convencer Crô a sair do armário. E em seguida Crô funda o "Centro de Assistência ao Homossexual Pintoso", uma ONG de ajuda aos homossexuais que, como ele, "são discriminados até pelas outras bibas".

Fina Estampa é sucesso de público, e fica óbvio que Aguinaldo Silva está tentando dar um tapa com luva de pelica na cara de quem criticou o personagem espalhafatoso que ocupou a telinha depois dos gays bem resolvidos de Insensato Coração. O que Aguinaldo Silva não entende é que o sucesso talvez se deva ao fato de ele ter escrito uma novela à moda antiga, direcionada para a audiência cativa que se esparrama no sofá no final do dia e que ainda não trocou a TV pela internet ou por outras formas de entretenimento. Esta audiência fã do humor escrachado e descerebrado de programas como o Zorra Total ainda se diverte com a afirmação de estereótipos e não assimila bem os novos "modismos" culturais.

Marcelo Serrado esteve estupendo e impecável e o personagem certamente entrará para os anais dos personagens inesquecíveis da teledramaturgia brasileira, mas muito pouco ou nada contribuiu para a luta atual pela igualdade e aceitação. Aguinaldo Silva continua preso à luta de quarenta anos atrás pelo direito de ser diferente.

20 comentários:

Gino Carvalho disse...

Bota 40 anos atrás, essa perturbação das bibas dessa novela por Pica, é do tempo que o povo não tinha internet, nem revistas de nus masculinos, pois só isso explica o Crô ficar desorientado qdo vê uma, o gay atual não quer só isso,quer isso e muito mais, quer um companheiro,um parceiro.

Cara Comum disse...

Bom, só dele se propor a dar um final que sugira um envolvimento com alguma causa a um personagem que só servia de palhaço já é melhor do que o personagem terminar numa nulidão total. Muitíssimo distante do que seria bom para a luta pela igualdade e aceitação, mas ao menos parece que as críticas o tocaram de alguma forma.

Abraços!!

Aldo disse...

Ainda bem, que eu não gosto de novelas, coisa muito tupiniquim. E além do mais não tenho a menor paciência, sem contar que é uma perda de tempo, né!!

Ainda mais de uma emissora que se acha a dona do mundo - coitada -, e escrita por este senhor aí!!

Gus Tav disse...

haha nem sei qual piada nos comentários foi melhor, se falar que gay não se abala mais por causa de uma pica, se achar que todo personagem gay tem que ser um libelo contra homofobia, ou se falar que novela é muito tupiniquim, esse deve ser ou se achar yankee, e pior, se acha superior aos "tupiniquins" hahahahahahahahahahahahahahahaha

Anônimo disse...

Ai que saudade de Vale Tudo, Brilhante, Agua Viva, Pedra Sobre Pedra, Tieta, Roda De Fogo, Selva de Pedra 2 versão, Sol de Verão, e tantas outras que foram novelas mesmo e deixaram saudade, hoje é isso aí que vemos, o que salva mesmo são as novelas das 18:00.

Guilhermino disse...

kkkkkkk, seu texto é ótimo,mas os comentários são de matar...kkkk

Aldo disse...

Gus Tav, desculpa se te deixei chateado. Não foi nenhuma preconceito o que eu disse.

Assim, tupiniquim é um termo que se usa geralmente para caracterizar o Brasil ou os brasileiros, assim as novelas fazem parte da cultura dos brasileiros, porém eu quis dizer que estas novelas são chavões, clichês que sempre recai nas mesmas histórias repetitivas e o povo acha isso bom, porque os deixam cômodos, pois já está impregnado no dia-a-dia dessas pessoas. Isso é ser tupiniquim. Achar que novela muda uma sociedade,não muda, tem 60 anos estas produções e o Brasil, mudou? óbvio que não, não acho que os brasileiros tenham ficado mais inteligentes por causa destes folhetins.!

Ianque é quem nasce nos EUA, não é ? não querido eu sou da Polinésia.
Kiss

Anônimo disse...

Engraçado foi ver a entrevista do Marcelo, com ele volta e meia desmunhecando involuntariamente, de tão absorvido pelo personagem... A entrevistadora, lógico, notou e comentou. Muito comédia! Quanto ao assunto em sí, totalmente desinteressante. Não entendo o porque de novela ainda atrair algum interesse.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Assino em baixo do coment do Cara Comum ... uma forma de reabilitar-se frente às declarações iniciais dele ...

que assim seja e tudo fica bem ...

Anônimo disse...

O Marcelo esteve estupendo mas também andou falando as bobagens dele por aí, como a justificativa para que não seja mostrado o bendito beijo gay.

Eu assisto novela meio que por hábito já que cresci assistindo, mas é impressionante como a dramaturgia européia e americana, sobretudo esta última, estão mais avançadas que a brasileira nesse assunto.

Outro dia eu assisti um filme com o Will Smith, no qual ele interpreta um bandido gay que se faz passar pelo filho do ator Sidney Poitier para aplicar golpes em famílias ricas, no meio de tudo ainda tem cena de sexo gay com o gatão do Will, acho que o filme é de 1993.Nunca imaginaria algo como essa história no Brasil, seja em novela, filme ou teatro. Ainda temos muito chão pela frente...

Ricardo disse...

Se estabeleceu uma regra não escrita no mundinho "gay intelectual" de que todo personagem gay na TV tem que contribuir para a luta da causa. Não concordo com isso. A maioria dos gays que andam por aí não ligam para a tal "causa" e são mais parecidos com o Crô do que com o André Fischer. A tal "luta" diária dessas pessoas nos seus locais de trabalho e moradia, onde são vítimas de bullying, outra palavra que agora virou moda usar, essa sim, deveria ser retratada.

Anônimo disse...

Gostaria apenas de fazer uma ressalva em relação ao filme do Will Smith, é que embora o personagem seja de fato um bandido, ele não é vítima, não é uma aberração, ser gay não é sua única característica, e ele foi humanizado a tal ponto que é justamente através dele que a personagem principal do filme tem um novo despertar para a vida.

CriCo disse...

Eu até gosto do personagem sim, nem todos os gays são discretos, existem as qua-quás e as poc-pocs. Também acho que não se deve mudar se a pessoa é pintosa, as pessoas tem que ser honestas consigo mesmas. Marcelo tá arrasando!

Luciano disse...

@Anônimo:
Pela sua descrição o filme é SEIS GRAUS DE SEPARAÇÃO, e é realmente muito bom. Vi há muito tempo e também gostei muito.
Abraço,
**

Alan Fins disse...

COncordo, Lu!

Alan Fins disse...

Concordo, Lu! A personagem foi um grande destaque, palmas para o Marcelo, mas nada acrescenta mesmo. Infelizmente...

P. Florindo disse...

Apesar de os homossexuais estarem finalmente saindo do armário, eles ainda não são um grupo social unido e ele mesmo se segrega. Por exemplo, não gosto que retratem os gays como personagem Crô ou aqueles do Zorra. No entanto, não somente temos homofóbico heterossexuais como homofóbicos homossexuais, como se o fato de um cara ser afeminado o fizesse merecedor de menos respeito.

Aliás, pegando gancho nisso, te dou essa sugestão de texto: a segregação de gays entre gays.

madá disse...

olha, bicha discreta é tudo, casais à David Burtka ( faz uma foooorça pra não quebrar o pescocinho pro lado mas dxa keto) e Patrick Neil Harris são aceitos em quase todas as faixas sociais. Uma discriminaçãozinha aqui outra ali, uma surra aqui outra acolá, episódios pontuais que geram muita indignação, gritaria, reportagens socio-educativas do Fantástico e até podem resultar em prisão para os agressores, vejam só que progresso minha gente. Mas vai ser igual Crô ou Valéria Vasquez. Na periferia ou nos Jardins nego taca é pedra e as finas se afastam como se as póbi tivessem lepra. Que nojo q elas causam! As pintosas e as travestis são o povo mais discriminado do Brasil. Tá na hora de começarem a ser inseridas na categoria "ser humano" senão vão continuar a ser mortas a pauladas só pq dão ( ui!)pinta. E as que fazem o tipo esporte fino e camisa pólo vão continuar na vibe Martin Niemöller até a canoa virar e a história conta: a canoa vira. Não cantem vitória antes do tempo.
Ainda está fecundo o ventre de onde surgiu a coisa imunda.

Anônimo disse...

Vai ser um tiro pela culatra.

Associar alguém que é cúmplice de uma criminosa como Teresa Cristina ao ativismo?

A não ser que seja essa a intenção dele mesmo, tentar minar a credibilidade do ativismo gay brasileiro.

Gino disse...

Não duvido nada se o Crô e o Zoiudo derem o tão falado "primeiro" beijo gay da TV... Afinal, segundo dizem o público está torcendo para que terminem juntos! Qto as pintosas tem várias circulando por ai numa boa, o Dudu Bertolini, o Marco Biaggi, o Bruno Astuto e que eu saiba nunca levaram lâmpada na testa