domingo, 2 de junho de 2013

Faroeste Caboclo


Não pode existir sensação melhor do que ir ao cinema sem grandes expectativas e sair da sala com a sensação de ter assistido a um dos melhores filmes nacionais dos últimos tempos. Não há o quê criticar em Faroeste Caboclo: direção certeira, fotografia impactante, desempenhos impecáveis, e uma história árida e violenta mas que não deixa de ser extremamente envolvente em nenhum momento.

O diretor confiou na inteligência do espectador e conseguiu, com muita eficiência, desenvolver a maior parte da história através de imagens fortes que dispensam palavras. Faroeste Caboclo tem poucos e curtos diálogos, e com isso o filme se transforma numa viagem sensorial mais prazerosa. Uma grata surpresa.

5 comentários:

João Carmo disse...

E ai..

Cara, assisti ao filme ontem. O que eu mais gostei foi estar sentado com a sensaçao de que deu certo.
Passei a vida imaginando o filme. E claro, cantando errada a maioria das 145 estrofes da musica.
De fato o filme eh impecavel, mas pra mim tem la suas falhas.
A falta de dialogo de Joao e Maria eh uma delas.
Agora imperdoavel pra mim foi nao montarem o grande circo do final da musica, que eh o seu apice.
Inadimissivel nao ter tido os reporteres da televisao, dando noticia do duelo da tv, dizendo a hora o local e a razao.
Inadimissivel nao ter tido no sabado o povo todo assistindo o homem que atirava pelas costas... Faltou as bandeirinhas e o opovo a aplaudir. Faltou o sorveteiro e as cameras da tv que filmava tudo ali...
Eh poetico esse final. Pra mim a unica falha do filme...

Abcs
Joao

Nelson disse...

O Rubens Ewald Filho ESCULHAMBOU o filme numa vinheta chamada "Cinema no rádio" que ele apresenta na Tarde FM aqui em Salvador. ESCULHAMBOU. Disse que na primeira metade do filme todo mundo só fuma maconha, na outra todos só fazem usar cocaína, que os personagens são superficiais, o roteiro fraco e muito mais.

Nelson disse...

Achei a versão escrita: http://tinyurl.com/ktqdk6e

Luciano disse...

@Nelson,

O Rubens Ewald Filho achou o filme nefasto e desagradável. Mas, opinião é que nem bunda, todo mundo tem. Eu acho que ele deve ter assistido ao filme de mal humor.

Achei o filme poético. Como em toda poesia, muita coisa não precisa ser explicada, e achei que a quantidade ínfima de diálogo é um dos pontos altos do filme e não um defeito.

O filme foi inspirado pela música de Renato russo mas não pretende usá-la como roteiro, daí algumas inexatidões em relação à canção.

Parece que, no geral, os fãs da canção têm gostado do filme.

Abraço!

Nelson disse...

Meus pais assistiram ontem e odiaram hehehehe.