quarta-feira, 12 de junho de 2013

Juventude em desencanto


Foi este artigo escrito por Márcia Pinheiro, que eu não conhecia até hoje, que me abriu os olhos. Porque o texto poderia ter sido escrito por mim, tal a concordância que encontro com cada palavra que ela colocou no papel.

As manifestações que temos visto em países árabes e na Turquia tiveram um evento catalisador, mas não há dúvida que são impulsionadas por anos de muita raiva, descontentamento e desalento. E para mim não resta dúvida que as manifestações que estão acontecendo em vários lugares do Brasil, disparadas pelos aumentos nos preços do transporte público, estão também impelidas por muita raiva guardada de longa data e com outras origens.

Isso acontece quando se passou do ponto da indignação. E, convenhamos, indignação era papo de alguns anos atrás e de lá para cá as coisas parece que só pioraram. A gente abre o jornal pela manhã e lê sobre assassinatos de jovens na porta de casa, estupros de mulheres dentro de ônibus, arrastões em restaurantes, políticos corruptos que compram ilhas e castelos, escândalos sem fim, obras superfaturadas. Tenta fazer uma ligação e o celular não funciona. Tenta acessar a Internet e está fora do ar. Tenta sair de casa e encontra o trânsito parado. E se dá conta que nossa política é feita por um bando de salafrários que não consegue ser contido pelas poucas e honrosas exceções presentes no Congresso. O fato de a Comissão de Direitos Humanos ser presidida por um deputado abjeto de natureza reconhecidamente homofóbica e racista é só um retrato 3 x 4 da situação maior. 

E quando tentamos nos consolar que somos um país emergente e que tudo isso deve ser parte da fase de desenvolvimento, vem a sensação de estarmos num Boeing sem piloto a 30 mil pés de altura. Não há soluções à vista, não há esperança. Os governos vivem de tapar buracos, fazer remendos e criar puxadinhos em todas as esferas. Já não cola mais a falácia de que vamos consertar tudo nas urnas. Não vamos. Todos os governos estão povoados de candidatos reprovados no voto e que voltam como ministros, assessores, representantes e todas as outras formas possíveis de aspones. São como zumbis que não sucumbem nem a marretadas.

Tem uma multidão por aí com muita raiva represada, só esperando uma oportunidade para iniciar um dia de fúria. Isso tudo é o reflexo da situação de desalento e desencanto a que chegamos

10 comentários:

TONY GOES disse...

Gostaria de pensar que é isso mesmo. Mas os protestos aqui em SP tiveram momentos tão violentos que dá até para pensar que havia mesmo agentes infiltrados entre os manifestantes.

Acho ótimo que as pessoas saiam às ruas e reclamem mesmo. Que façam até um pouco de bagunça. O Brasil só vai às mil maravilhas na propaganda do governo. Mas tentarem linchar um PM ou depredarem a Capela Imperial no Rio de Janeiro não dá para aceitar. É contra-producente.

Margot disse...

O pior nisso tudo Luciano é que essa indignaçao é geral, sabida e antiga. Que esse dia de "furia" venha logo, mas que nos não o ignoremos.... como até agora temos ignorado os desrespeitos para com o povo.
Excelente a postagem... uma das melhores ate hoje.
Abraços

Joel Bartelt disse...

Muito bom o texto... Compartilhei em meu Facebook!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Perfeito ... já passou da hora de reagirmos enquanto sociedade mas com organização e respeito ... isto é básico ... depredação, agressão tiram a legitimidade de qualquer movimento ...

Anônimo disse...

Se nós tivéssemos um sistema político que realmente representasse a sociedade brasileira seria sim possível sanar os problemas do país. Acontece que no Brasil não há o voto distrital e o resultado é esse que temos hoje: políticos corruptos eleitos sem compromisso algum! Devemos lutar rápido por uma reforma política séria no Brasil!

Dimas disse...

Assino embaixo Luciano.

Espero sinceramente que o POVO, QUE OS JOVENS ACORDEM!
A imprensa (toda comprada pela propaganda oficial) só mostra o vandalismo (condenável) - não mostra o lado real da história- tá todo mundo de SACO CHEIO.

E ainda não vejo grande esperança de mudanças- muita gente ainda tem que sair nas ruas protestando , ainda é muito pouco.

Essa semana acontece uma passeata em contra a violência que impera em Fortaleza- e até o FACE tirou a página da comunidade (deve ser a pedido do governador do Ceará).

Vamos esperar - aguardar o movimento crescer em todo Brasil e quem sabe mude alguma coisa...

Márcia Pinheiro disse...

Obrigada, querido. Márcia Pinheiro

Oliveira Santos disse...

O Brasil está caminhado para revolta em todas as cidades, não duvido mesmo que isto ainda vá acontecer!!!! Só não enxerga quem não quer!!!!

wair de paula disse...

O texto é bom, o argumento procedente. Mas quando a violência é usada como argumento, este perde a força.
E quando a gente lê matérias como a abaixo, percebe que tem algo realmente errado nesta história toda
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/entidade-que-e-dona-de-dominio-do-movimento-passe-livre-recebe-dinheiro-da-petrobras-e-do-ministerio-da-cultura-e-tem-incentivo-da-lei-rouanet/

PORAQUIESO disse...

Oi... Ótimo texto. Compartilhei, literalmente.
Abraços !!