sexta-feira, 11 de novembro de 2011

De volta para o passado

Em contraste com toda a beleza arquitetônica que prevalece em Buenos Aires, o prédio da Biblioteca Nacional é uma das coisas mais horrendas que já vi na vida. Feio, pesado, esquisito, todinho feito de concreto. Dá a impressão que alguém descartou ali este bloco suspenso por quatro pernas e se esqueceu dele.

Nunca tinha visitado o prédio antes e aproveitei ontem para descobrir o quê aquele bloco hediondo esconde por dentro. Tive uma grande surpresa. Tudo em Buenos Aires me dá a impressão que o tempo parou, mas é normalmente um sentimento nostálgico e bom, quase reconfortante. A Biblioteca Nacional me deu a impressão que o tempo parou, mas em um tempo ruim.

O funcionamento da Biblioteca parece estar parado nos tempos das mentes atrasadas do militarismo, marcado pela síndrome do pequeno poder. Na recepção há quatro atendentes; um checando mensagens no celular, outro fingindo que está escrevendo alguma coisa, o terceiro desviando o olhar e tentando passar despercebido, e um quarto que solicita que os visitantes preencham uma "ficha". A ficha é tão longa que ele mesmo a pega de volta antes de preenchida e encerra com um "está bien, está bien" meio impaciente.

Quando o atendente me viu com a máquina fotográfica informou que para tirar fotografias no interior da Biblioteca eu precisaria ir ao primeiro andar e preencher uma solicitação por escrito. Foi a primeira vez que ouvi algo assim, especialmente nesta cidade que é tão camera friendly. Achei melhor desistir de fotos no interior da Biblioteca.

O lado de dentro é tão feio quanto o lado de fora, além de ser mal preservado, com cadeiras quebradas e almofadas encardidas, tudo guardado por atendentes sonolentos. Talvez a única coisa boa foi ver as enormes salas de leitura lotadas de adolescentes em absolutíssimo silêncio. Derrubar um alfinete ali no meio daquela multidão teria o mesmo efeito de uma bomba.

12 comentários:

Paulo Braccini - Bratz disse...

nem tudo é perfeito né? nem em Buenos Aires ...

Parabéns pelo niver querido ...

Luciano disse...

@Paulo:
Obrigado, Paulo. Grande abraço!
**

Dimas disse...

Parabéns Luciano!

Feliz aniversário, comemore bastante nessa cidade charmosa e interessante.

Grande abraço!
(extensivo ao Mr. Ed).

TONY GOES disse...

Mas vc sabe que essa biblioteca monsturosa foi construída no terreno do palácio onde morreu Evita, não sabe?

Demoliram o prédio antigo, para não virar lugar de peregrinação. Mas hoje há uma esteatua da moça no jardim, para lembrar a efeméride. Aposto que vc tirou foto com ela...

E aqui em SP hea vearios prédios que segume uma linha arquitetônica parecida. Mas nenhum tão feio como o de Bs. As., graças a Deus.

Bjs e feliz aniversário de novo (dessa vez em português mesmo)

S.A.M disse...

Pois é, se fosse aqui acho que teríamos silêncio, mas não esse.

Nem sabia do niver, então te felicito atrasado! :p

Fernando Gouvea disse...

Coincidencia, tbm vou todos os anos a Buenos Aires. Vamos, geralmente, em maio ou setembro que, na minha opiniao, é a melhor época.
Se tiver oportunidade e gostar de uma comida deliciosa vá ao TomoI. O lugar não é muito bonito mas num restaurante o que mais importa é a comida e o serviço. Sou apaixonado pela comida de lá. O menu degustação da direito a meia garrafa de vinho Rutini por pessoa. Vale a pena.
Fica na Carlos Pelegrini, 521 (9 de julho) no Hotel Panamericano, pertinho do Obelisco.
Abraço e feliz aniversário.

Lucas T. disse...

Parabéns Luciano, tudo de bom!

ivan disse...

se eu lesse seu texto sem olhar para a foto eu chutaria que você estava descrevendo um vôo - e o atendimento - da Aerolineas Argentinas.

Acho que a fonte do mal em ambos os casos é a mesma: a administração pública em ruínas.

i.

Álvaro disse...

kkkkkkkkkkk.Morando aqui mais de um ano me acostumei com tanta coisa estranha. As piores situações foram:
1- Ter que fazer barraco na loja de celular pq a imbecil da atendente começou a inventar um monte de problemas e levar o meu celular para outros atendentes fingirem que faziam algo para não levar para a assistencia tecnica. Era só fazer isso! Meu amigos falando que o problema era de configuração e a mulher a inventar vários problemas e eu tinha que descarta-los na cara dela!
2- Entrei em um supermercado com o capuz da ropa de frio e o segurança me faz abaixar. E me barraram em um evento no museu do recoleta por usar o capuz da ropa de frio! Um amigo me explicou que usar capuz da ropa de frio é algo de villero!!! Roupa de frio cinza de estilo esportiva nunca mais!
3- Estar na fila para fazer cambio no banco de la Nacion da Plaza de Mayo e do nada fecham os caixas e começam a cantar parabens para uma funcionaria que havia chegado. Todos na fila ficaram com um cara de bunda e depois começaram a rir!

Aldo disse...

Parabéns, Luciano
feliz Aniversário!!

Anônimo disse...

É, serviço público em ruínas mesmo, parece Brasil, aqui também têm cada coisa vou te contar viu!!!!

Cara Comum disse...

Uma pena quando a gente se depara com situações tristes assim. Mas ao mesmo tempo, penso que nestes instantes nós ultrapassamos a barreira do mero turismo e começamos a conhecer realmente o lugar que visitamos.

E, como não poderia deixar de ser, quero te parabenizar, mesmo que atrasado, pelo seu aniversário e desejar que tenha muito sucesso e paz.

Grande abraço!