sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Discutindo a relação

Hoje começamos a nos despedir de Buenos Aires; no próximo final de semana já estaremos de volta em casa. Comentei hoje com o Mr. Ed durante o almoço que se as férias durassem mais uma semana nós provavelmente voltaríamos divorciados para o Brasil. Não é fácil dormir, acordar, tomar café da manhã, almoçar, jantar, passear - enfim, passar o dia inteiro com a mesma pessoa durante vários dias seguidos.

As pessoas que mais amamos são também, ironicamente, as que têm a maior capacidade de nos exasperar. É assim em qualquer relação e é justamente a administração eficiente deste conflito que faz com que a relação perdure. Por outro lado, se o Mr. Ed se ausenta mais do que uma semana eu sinto uma angústia incontrolável. As relações humanas são mesmo um grande mistério.

20 comentários:

Anônimo disse...

muito simples e sem misterio nenhum: isto significa que vcs nao se amam verdadeira/te

Anônimo disse...

Nao é fácil? Sério? Para mim é tao natural estar com quem amo.

Luciano disse...

@Anônimos:
Puxa, obrigado mesmo! Vocês me economizaram meses de análise e tiraram um grande peso da minha cabeça. Mr. Ed também aproveita pra agradecer.
**

Marco disse...

Quer conhecer MESMO uma pessoa ?! Viaja com ela.

Salum H. disse...

Com certeza quem mais nos ama/amamos são as pessoas que tem maior porcentagem de nos magoar. A tal da intimidade as vezes é foda, mas com certeza ela pode proporcionar mais momentos bons que ruins. Na nossa vida, em todos os quesitos precisamos tirar 10 em harmonia senão fica quase que impossível viver...principalmente a dois.

FOXX disse...

por isso q não existe melhor forma de saber se daria certo morar com alguém do que viajar com ela.

Alan Turing disse...

Quanta fórmula tosca pra um aspecto da vida que - como quase tudo - não tem regra nenhuma. Tem gente que viaja numa boa sem ter atrito algum mas não consegue morar junto, tem gente que mora junto mas não curte viajar muito tempo junto, tem gente que nem mora junto nem viaja, tem gente que mora e viaja o tempo todo. As relações não são algoritmos, ainda que pela vida optemos o tempo todo por padrões. Eu nunca amaria alguém com quem não consigo viajar muito tempo. Mas isso sou eu, que adoro viajar e com namorado.

S.A.M disse...

Viajar é realmente conhecer. Olha eu sofro disso com meu namorado tambem, a diferença é que ele não possui essa comprteensão tua. Resultado: Uma DR encavalada na outra. MEDO.

Dan disse...

eu entendo perfeitamente. Apesar de buenos aires deixar a gente sem stress, alguém do lado o dia todo é algo dificil de lidar. mesmo que seja seu amor. ehehe
bjo

Paulo Braccini - Bratz disse...

e eu não sei disto? quem disse q amar é ter harmonia em tudo e sempre?
a análise do Salum foi perfeita ...
amar é compreender, ter paciência, tolerar ... cada um é uma singularidade q não pode ser anulada ... amar é somar singularidades e não anular em nome de uma pretensa criação de um SER único ...
construímos, eu e o Elian, nossos 37 anos assim ...

bjão

Dino Costa disse...

Não é fácil conviver com um espelho. Principalmente quanto ele fala. rsrsrs

marta matui disse...

Buenos Aires também tem um efeito melancólico sobre as pessoas. Hoje, depois de muitas idas, não acho que seja o melhor destino para um casal que está junto a muito tempo. Estou apaixonada pelo México e suas cores e vibração. Minha sugestão é: troquem de destino nas próximas férias!!!! Novidade também ajuda a deixar o convivio mais ameno!!! bjs

marta matui disse...

Com relação a comentários agressivos de anônimos tenho pensado muito sobre isso. É bom ter o blog aberto para cometários anônimos porque ajuda algumas pessoas legais a darem sua contribuição. Mas é dose abrir um comentário como esses acima. Primeiro porque claramente destilam inveja. Segundo porque deprimem a gente em momentos que tudo o que precisamos é de conforto. Sabemos, quando escrevemos um blog, que não seremos unanimidade, que nem sempre concordarão conosco afinal não somos donos da verdade. Mas é duro saber que somos lidos por gente que morre de inveja da coragem do outro em se expor. É duro saber que nos odeiam por isso. E que nos desejam mal. E é difícil compreender porque ainda continuam lendo o blog. Porque não vão fazer outra coisa com suas vidinhas medíocres? Não, preferem ler, invejar e escrever anonimamente. As vezes questiono a democracia...

Lucas T. disse...

Acho que todo mundo falou um pouco do que eu queria dizer, principalmente a Marta Matui. Ninguém merece essas asneiras anônimas. Enfim...

Augusto dos Anjos disse...

"...claramente destilam inveja. Segundo porque deprimem a gente...com suas vidinhas medíocres".

E por que alguém com, segundo a ilação da mocinha, vidinha medíocre conseguiria (será?) deprimir um autor de blog com comentário invejoso?
Não seria o caso de tentar aprender a lidar com ação e reação? Você fala/escreve alguma coisa, e se falou quer ser ouvida/lida, e algum eco vai voltar. Se vc só quer elogio, aí vc talvez não precise de um blog, mas de um personal elogiator.
Porque nem é o caso de defender xingamentos ou ofensas, mas descobrir o que se pode aprender com uma opinião diferente, contrária.
Quem escreve sobre a vida particular, está se expondo e se sujeitando a isso.
Ou não, basta censurar comentário.
Mas quem abre está tendo a chance, abstrata ou concreta, de ter contato - no meio de muita bobagem , é inevitável - com aquilo que os afagadores não falam e é tudo que vc talvez nunca tenha ouvido/lido.
A gente aprende na adversidade, na rejeição. A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Kleber Lourenco disse...

Putz... Augusto dos Anjos disse tudo para todos.
Concordo plenamente.

Dimas disse...

Cada um tem sua reação muito particular na convivência com o outro, não dá para palpitar na vila alheira.

Eu há 08 anos durmo, acordo, tomo o café da manhã...enfim: 24hs ao lado de meu companheiro.

Claro que temos discussões, desencontros, chateação, mas sem traumas, curtimos nossa rotina diária e quando viajamos melhora ainda mais nossa relação.

Tudo tem os dois lados, tempo de exasperar, tempos de conflitos e reconciliação- é a vida.

Zeka Viola disse...

Viver é difícel, a dois muito mais. Se expor requer coragem, é pra poucos.Ibraim Sued (Cronista Social das décadas 40 e 50) tinha uma máxima que dizia: "Os cães ladram e a caravana passa".

anonimo.com disse...

luciano,
eu acho super normal o que aconteceu com vcs.
cara, isso faz parte da arte do relacionamento, o conhecer.
essa viagem foi ótima pra vcs, agora um sabe o que é irritante no outro.
eu sempre falo que vc só conhece alguém quando come um quilo de sal com ela.
não acho que isso é motivo pra acabar uma relação ou que vcs não se gostem, acho que estão amadurecendo ela.

td de bom!
abraço

Cara Comum disse...

Olha, na minha opinião, é importante que a gente tenha sim um momento só nosso. Convivência 24h por dia aumenta as chances de que a gente confunda a individualidade e comece a criar conflitos pór misturar os limites entre o que é meu e o que é do outro. Por isso, entendo o que vc diz.

Mas, como cada um tem uma visão sobre a própria vida e sobre como conduzir seus relacionamentos, o ideal é cada um descobrir sua necessidade.

Abraços!!