domingo, 27 de novembro de 2011

Não sei como ela consegue

Não Sei Como Ela Consegue (I Don't Know How She Does It, 2011), sobre os malabarismos que uma executiva precisa fazer para conciliar as vidas profissional e pessoal não funcionou nos Estados Unidos. Mas não é um filme ruim. Sarah Jessica Parker transforma a personagem em uma espécie de Carrie Bradshaw com marido e filhos alguns anos depois que o sexo e a cidade deixaram de ter importância fundamental em sua vida.

É um filme feito para mulheres, mas que pode ser aproveitado também pelos homens. Há tiradas espirituosas e o recurso de falar com a câmera ou paralisar a imagem para que a personagem descreva o que está passando na sua cabeça é usado com parcimônia suficiente para não perder a graça e transformar o filme em um documentário confessional maçante.

Os personagens coadjuvantes são interessantes, principalmente a secretária fria e eficiente que odeia crianças, e os "inimigos": os homens do escritório que não foram programados para sentir culpa quando precisam chegar em casa mais tarde, e as mães fúteis que não trabalham e passam o dia na academia criticando a executiva/ mãe desnaturada.

Só é mesmo difícil acreditar que possa existir um marido (Greg Kinnear) com a paciência maior que a de Jó, sempre com um sorriso no rosto e uma palavra de apoio. Durante o filme todo eu fiquei pensando: como é que ELE consegue?

2 comentários:

O filho da Chiquita. disse...

fiquei muito apegado a Carrie, tudo que a Sarah Jéssica Parker fez além dela acho sacal, chato e até uma cópia da Carrie mesmo, como você disse aí. ;)

Cara Comum disse...

Eu ainda não vi, mas só pela sua descrição com certeza a pergunta é como será que ELE consegue...