sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Deixando de gostar de quem se ama


Assisti ontem a Um Dia (One Day, 2011), o filme com Anne Hathaway e Jim Burgess baseado no livro de David Nichols sobre dois colegas de faculdade que mantêm uma amizade colorida e sempre se encontram no mesmo dia do ano, todo ano, durante vinte anos. Não vou falar do filme, mas desta cena que me impressionou bastante, quando a garota, muito decepcionada pelos rumos tortuosos que a vida do amigo tomou, o abraça apertado e diz "Eu te amo muito. Muito mesmo. Mas eu não gosto mais de você." E vai embora.

A frase ficou retornando várias vezes à minha cabeça mesmo depois do filme acabado. Acho que só agora me dei conta de que é possível deixar de gostar de alguém mas o continuar amando. E isto explica tanta coisa na minha vida...

14 comentários:

Anônimo disse...

Que lindo!

Dino Costa disse...

verdade mesmo.

Margot disse...

Luciano, me solidarizo com vc, pois eu também sei o que é isso. É pior quando a situação é familiar. Te digo de cadeira..... me entristeço por isso e sinto que realmente, parece não ter volta.
Mas apesar disso....BOM ANO NOVO. CHEIO DE PAZ, SAÚDE, DINHEIRO, NAMORADOS(pode ser um só, mas cheio de amor,carinho e com "boa pegada" rsrsr), enfim que tudo venha pra vc(se já não tiver) e prá mim..rsrsr.
Valeu a pena conhecer seu blog nesse ano.. Ab.

Lucas T. disse...

Feliz ano-novo, Luciano! Estou isolado num lugar lindo mas o 3G só funciona quando quer, então já deixo meus desejos de muita paz, saúde e realizações.

Cara Comum disse...

Luciano, ao ler essa frase tb entendi muito do que sinto e do que vivo...

#ValePorUmaSessãoComATerapeuta

Abraços!!

Egídio La Pasta Jr disse...

Foi a cena que ficou na minha cabeça também. E é bonito porque ela vai embora, como se engolisse o que ia dizer e volta. É uma cena bonita que dá tapa na cara porque ilumina um monte de coisas. Dá o estalo do 'ih', eu entendo isso aí que ela tá falando. :)

Lucas disse...

É aquele momento do relacionamento em que se abrem duas rotas na sua frente: Se afastar e deixar que o tempo cure ou persistir e dar murro em ponta de faca.
Eu já passei por isso numa amizade. É meio diferente, mas a ideia é a mesma. Tive que me afastar desse amigo por um bom tempo para, paradoxalmente, continuar sendo amigo dele.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

uma frase forte e tensa mas altamente reflexiva ...

bjão e um Feliz 2012

wair de paula disse...

"...e isto explica tanta coisa na minha vida..."
wellcome to the club, Lu.
forte abraço & tudo de bom

Danny disse...

Welcome to the club 2! Passo exatamente por isso em minha vida e, infelizmente, as respostas não vem com tanta facilidade, como em um filme...Hugs and Happy New Year!

Rodrigo disse...

bah!


(valeu pela dica)

railer disse...

o filme é bacana e eu também fiquei marcado com esta frase...

Rafael Souza disse...

Foi um dos filmes mais bonitos que já vi.
Chorei que nem um retardado ao fim do filme, justamente pela empatia que tive por esta frase...

Mas sou bobão, acredito no amor e que todo mundo mereça uma segunda (ou terceira, ou quarta) chance...

Anônimo disse...

drama da garota.. falar isso pra quem esteve com voce umas 20 ou 30 vezes em 20 anos é aceitável, agora querer usar essa muleta pra falta de centro que voce promove em uma relação diária, é pra voltar pra terapeuta..