sábado, 24 de dezembro de 2011

Porque hoje é Natal


Nesta noite de Natal eu quero compartilhar esta história linda de dois homens que se conheceram em Nova York em 1957 e nunca mais se separaram. Durante quase sessenta anos, William I. Campbel e John V. Hilton juntaram suas vidas em uma única história, que atravessou até uma separação de continentes quando um deles foi trabalhar na Europa. Durante todas estas décadas eles se apoiaram e caminharam juntos, sempre preocupados em ajudar o outro a crescer.

No início deste ano eles concordaram em contar sua história para o projeto Devotion - que resultou no vídeo abaixo e comoveu gays e héteros sem distinção. A filmagem foi feita nos dias 15 e 16 de abril deste ano. William faleceu duas semanas depois.

5 comentários:

Dimas disse...

Mais uma vez obrigado Luciano, pelo vídeo, um presente de Natal.

Não curto essa época do ano, de tanta correria, de tanto consumo, e agora menos ainda, pois minha familia morando em SJC e eu aqui no interior do Ceará -ajuda no distanciamento dessa comemoração.

A história deles é uma lição ,pois nos dias de hoje a maioria não conseguiria ficar tanto tempo com a mesma pessoa...

Margot disse...

Luciano,
O post de hoje me lembrou de uma biografia que li. Willian Gordon Merrick, um escritor americano, pioneiro na literatura gay, que em um dos seus livros (que por sinal tinham sempre finais felizes - pelo menos na ficção), um de seus personagens diz ao companheiro a seguinte frase: "Se é amor, o Senhor não se importará, porque já existe tanto ódio”. Então, uma vida devotada ao outro por décadas na busca de crescimento, só poderá fazer feliz ao Senhor. Bom Natal. Ab.

Anônimo disse...

E porque hoje é Natal quero te desejar toda a felicidade do mundo. Pois se a internet me tirou do isolamento e me mostrou que não estou sozinho enquanto homem gay, seus textos e tantos outros gays fantásticos que descobri na blogosfera me ajudaram a compreender melhor minha própria natureza. Se ainda não saí do armário publicamente pelo menos digo para mim mesmo "eu sou gay" sem os dramas de antigamente, aliás, isso eu não dizia, nem em pensamento.
Hoje me olho nos olhos diante do espelho e digo em pensamento "eu sou gay. Ninguém sabe, talvez alguns desconfiem, mas eu sei e tenho certeza disso. E isso é bom. Eu sou gay. E além de gay, eu posso ser tudo mais que eu quiser".
Luciano, thank you very much.
And Merry Christmas!;)

Anônimo disse...

Muito bonito e tocante, aliás vejam este link abaixo com o título
"Pai Mãe, eu sou hétero" uma inversão dos fatos e aparências.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=wDkN1d510kQ

Le1dro disse...

Que história linda,einh?