sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Você está me dirigindo louco!

Desde há algum tempo que vivem anunciando que o inglês vai acabar matando a língua portuguesa. Nada poderia estar mais longe da verdade. A língua portuguesa vai muito bem, obrigado.

É normal que neste mundo globalizado haja aquisição de estrangeirismos, e ver uma placa de SALE 50% OFF ou de DELIVERY na vitrine da loja do shopping não é motivo para ninguém sair se descabelando e pegar em armas contra a invasão estrangeira. A língua portuguesa é tão mais forte do que os vocábulos que importa que não raras vezes adapta o significado deles para a nossa realidade. Foi assim que smoking (a vestimenta), living (a dependência da casa), shopping (o centro de compras), fashion (usado como adjetivo para designar 'na moda'), e outras, adquiriram significados que só existem no Brasil.

Perigo existiria se os estrangeirismos começassem a influenciar a sintaxe da língua. O dia em que se começar a ouvir "Faz você gostar samba?" (de 'Do you like samba?') ou "A casa é não grande" (de 'The house is not big') aí sim precisamos começar a nos preocupar.

Enquanto isto, o que me deixa irritado é o que eu costumo chamar de "tradução preguiçosa". É a importação apressada e irresponsável da palavra ou termo. E os exemplos abundam. Hoje, ao fazer uma retirada em um caixa automático recebi a mensagem "Sua operação foi completada com sucesso". Em português bastaria "A operação foi concluída" - o 'sua' é vício do inglês (que abusa dos possessivos), e o 'com sucesso' é perfeitamente dispensável e soa artificial. Em português a operação é concluída ou não. Já em inglês é comum usar o 'com sucesso' (como em diplomas que trazem 'has successfully completed High School' enquanto aqui se diz simplesmente 'concluiu o Ensino Médio').

E o que dizer então desta nova tendência de dizer "cinema silencioso" onde sempre se usou "cinema mudo"? Só porque é mais parecido com 'silent movies'? É muita preguiça de pensar.

Ah, e para quem não atinou o verdadeiro signficado daquela plaquinha da foto colocada em um "restaurante serv-serv" (self-service), estavam tentando dizer "molho barbecue".

7 comentários:

Aldo disse...

Putz, não sabia qua a barbie tinha virado matadora de suínos!!

hahahaha!
Mas tenho a impressão, que isso não acontece em outros países, com em Portugal, ou frança, por exemplo, lá o inglês é importante sim, mas como complemento profissional ou socil, mas não cultural..

beijos!

Cara Comum disse...

E eu que fiquei tentando entender o que poderia ser o título do seu post antes da "tradução"... Vc me diverte muito. rs

Anônimo disse...

Mas o uso excessivo do gerúndio já não é uma influência na sintaxe? Aqueles "vamos estar repassando" etc.

Anônimo disse...

Nossa, como vc consegue ser TÃO engraçado?

marta matui disse...

E as traduções na legenda do cinema? Terrivelmente preguiçosas!

ivan disse...

suas afirmações de como algo deve ou não ser traduzido são no mínimo altamente arbitrárias. Quem disse que em português tem que ser assim ou assado? Relaxa. A língua é viva, dinâmica, não se sujeita a decretos.

railer disse...

eu já vi isso e muito mais. infelizmente o brasileiro tem a mania de achar que palavras em outro idioma trazem qualidade aos produtos...

comentei sobre isso também tempos atrás (aqui). o que você falou sobre as traduções então, lamentável.