quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Assumindo na firma

Embora Rupert Everett continue aconselhando os atores gays a não se assumirem publicamente - o contrário do que faz o mais bem resolvido Ian McKellen - está comprovado que tirar o peso dos ombros influi positivamente em todos os aspectos da vida. As empresas grandes no Brasil já possuem políticas de inclusão da diversidade e de combate à homofobia, e tem sido cada vez mais comum que funcionários gays se sintam seguros para se assumir na firma sem temer represálias.

Este é o tema deste artigo interessante publicado no UOL hoje: Assumir homossexualidade favorece desempenho no trabalho. Todo mundo já sabia, mas é importante conversar sobre isto para que a sensação de segurança seja maior. Em uma empresa séria ninguém está preocupado com quem você se deita, contanto que não seja com a mulher (ou marido) do chefe.

8 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Excelente artigo ... eu tinha lido sobre isto por lá ...

bjão

Anônimo disse...

O Rupert é um belo de um canastrão que se não fosse assumido seria vendido por Hollywood como uma versão aristocrática de Hugh Grant. Ian, sim, é um ator de verdade.

CriCo disse...

Aqui no meu trabalho a maioria já sabe de mim e eu acho isso ótimo. Não conseguiria viver e trabalhar de outra forma.

CriCo disse...

O que mais importa é a sua postura, pessoal e profissional.

Ro Fers disse...

Cada caso é um caso, cada um tem uma forma de agir e pensar.
Sempre falo que para se assumir algo, o cara tem que ser muito macho para enfrentar tais preconceitos.
Portanto vai da vontade de cada um, o importante é se dar o respeito e ser respeitado acima de tudo...
Abraços!

Daniel disse...

Crush no chefe pode? Já tive. hihihi

Anônimo disse...

Claro que pode, seu Daniel (às vezes até deve). Eu também já tive. E foi óootimo!!

railer disse...

verdade o que vc falou. quando a coisa é falada, em qq situação, tudo fica diferente.