terça-feira, 11 de outubro de 2011

Chris Isaak - Beyond the sun

Eu gosto do Chris Isaak, embora não seja fã ardoroso. Wicked Game está, para mim, entre as dez melhores baladas românticas já escritas e já serviu de trilha sonora para algumas das minhas dores-de-cotovelo. Mas sempre achei o Chris Isaak assim meio anos cinqüenta.

Também nunca gostei muito do rock de raíz. Curto alguma coisa do Elvis Presley e do Jerry Lee Lewis, mas nunca consegui ouvir um disco inteiro.

De repente, tudo fez sentido com o novo disco do Chris Isaak que vazou ontem e tem lançamento oficial para a próxima semana. O novo trabalho é um álbum duplo com 25 regravações que homenageiam os artistas que começaram a carreira no famoso Sun Studio de Memphis no início dos anos 50 - daí o nome Beyond the Sun. As músicas de Elvis Presley, Roy Orbison, Jerry Lee Lewis, Johnny Cash, Carl Perkins - os pais do rockabilly - parece que caem feito uma luva na voz de Chris Isaak.

E, confirmando minha teoria, o Chris Isaak parece estar muito à vontade nos anos 50, passeando com desenvoltura nesta seara onde o rock anda de braços dados com o country. Passei a manhã toda ouvindo e chego ao final do dia gostando um pouco mais do Chris Isaak e do rock caipira americano.

Chris Isaak - Can't Help Falling In Love:


Chris Isaak - I Walk The Line:




2 comentários:

Cara Comum disse...

Pois eu AMO (com todas as minhas forças) Rock dos Anos 50!!!

Abraços!!

Ricardo Marques disse...

Legal, curto Chris Isaak faz muito tempo. Já viu ele no cinema? O pai do "pequeno Buda" de Bertolucci. Relembrar é viver! :-)