domingo, 9 de outubro de 2011

A hora do espanto

Eu sempre gostei muito da versão original de A Hora do Espanto, de 1985, com a história do adolescente que descobre que um vampiro acaba de se mudar para a casa ao lado. E ninguém acredita nele, obviamente. No final, para exterminar o monstro, ele busca a ajuda de um apresentador de TV decadente que apresentava programas de terror em um horário de baixa audiência na madrugada. O filme tinha Chris Sarandon esbanjando charme e sedução no papel do vampiro e a graça de Roddy McDowell fazendo o apresentador de TV decadente Peter Vincent, e acabou se tornando cult na subdivisão de filmes de adolescentes contra vampiros, ao lado do também ótimo Garotos Perdidos (de 1987).

A Hora do Espanto original continua bom. Os vampiros e os efeitos especiais continuam assustadores. Quem envelheceu mal foram os adolescentes. Os cortes de cabelos repicados, as vozinhas chatinhas, as ombreiras - as cenas com os adolescentes ficaram com um carimbo de "anos 80" em cima que tira um pouco do foco do terror.

A nova versão (Fright Night, 2011) trouxe a história para os tempos atuais e as sutilezas foram abandonadas em nome de sinais mais claros. O vampiro (Colin Farrell) não tem a sedução tênue do original - agora ele é despudoradamente cafajeste. Os efeitos foram modernizados para incluir muito, muito sangue, corpos explodindo sob a luz do sol, braços arrancados, cabeças cortadas, estacas que atravessam corpos - tudo que um filme de vampiros tem direito. Em um determinado momento tem até uma piada com Crepúsculo, o filme de vampiros assépticos.

Outra grande sacada da nova versão é o personagem Peter Vincent. Agora ele veste calça de couro justa, tem um monte de tatuagens fake, cabelo e bigodes falsos, e apresenta um show de horror em Las Vegas - uma daquelas coisas cafonas tipo Siegfried & Roy, e vai ser obrigado a descer do salto quando perceber que a coisa agora é pra valer. E para coroar o elenco temos a sempre ótima Toni Collette, que traz dignidade para qualquer papel, até mesmo o da mãe de um adolescente caça-vampiros.

Filmes de vampiros não são para qualquer um. Mas quem curte o gênero não vai se decepcionar nem um pouco. Eu adoro na mesma proporção que morro de medo. Levei muitos sustos, cheguei a derrubar a pipoca, e hoje provavelmente vou dormir com a luz acesa. Não poderia ter sido mais divertido.

9 comentários:

Lucas T. disse...

Doido pra ver. Toni Collette <3

DPNN disse...

adoro a versão original, mas depos que o maridão soube que o vampiro é o colin, vou ter de esperar sair em dvd...

Pedro Bitencourt disse...

eu sou medroso³... só assisto acompanhado e pra dormir vai ter que ser de luz acessa!!

:P

Cara Comum disse...

Não gosto de filmes de terror e afins. Acho meio bobo...

Abraços!!

FOXX disse...

convida alguém pra dormir com vc, assim vc se sente mais protegido...

Dan disse...

Quero ver!

E.O.Q.A. disse...

Doido pra ver... Colin Farrell!

Jack disse...

assisti em 85 e em 2011. ambas são ótimas versões. colin farrell é excelente, como todo bom irlandês, menos o bono vox quando não está cantando.

railer disse...

achei muito fraco. nem se compara com o original. quem não viu nenhum, recomendo mesmo o original.

o que eu gostei foi o vampiro do original (chris sarandon) fazendo participação! ele é o cara que aparece na estrada e bate o carro.