domingo, 13 de maio de 2012

As mães do dia

Não é surpresa para ninguém que uma grande quantidade de homens gays têm um relacionamento extremamente especial com suas mães. Até algum tempo atrás acreditava-se mesmo que a superproteção materna poderia ser uma das causas da homossexualidade. Hoje sabe-se que é o contrário: é a condição homossexual que faz com que os filhos se aproximem das mães.

A relação de criador e criatura que existe entre mãe e filhos é complexa. Um dos meus filmes favoritos sobre o tema é o aflitivo Os Esquecidos (The Forgotten, 2004) com a Jualianne Moore fazendo o papel de uma mãe que tem instinto materno e memória dos filhos embora todos ao seu redor, incluindo seu marido, insistam que as crianças nunca existiram.

E, para comprovar mais uma vez que existem coisas que só uma mãe é capaz de fazer pelo filho, várias mães de filhos gays saem hoje à tarde em São Paulo em marcha contra a homofobia. Se eu pudesse estar em São Paulo hoje eu iria levar uma rosa para cada uma destas senhoras corajosas que estão lutando, inclusive, pelos filhos dos outros.

6 comentários:

Lucas T. disse...

Acho que esse tipo de relação próxima com a mãe existe tanto no mundo hétero quanto no mundo gay. Os caras buscam aprovação da mãe para escolher com quem casar, ouvem todos os conselhos, e muitos tem uma relação de manipulação muito forte - onde eles são os manipulados, claro. Basta pegarmos o esteriótipo da mãe italiana que dá as ordens em casa e os filhos obedecem. É outro exemplo de superproteção materna que independe da orientação sexual do filho.
Você citou The Forgotten e lembrei de outro filme com a Julianne Moore sobre a relação mãe-filho (nesse caso doentia): Savage Grace de 2007.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Muita dignidade de todas elas ... nestas horas é q vejo o qto somos omissos ... era hora de termos 1 milhão de gays lá junto com elas ... mas enfim ...

Margot disse...

Vi esse filme duas vezes Luciano, mas parece que não consigo assimilá-lo. É tenso, sofrido... não sei se é louca... ou vítima. Não sei. Abraços Luciano, se sua mãe ainda estiver entre nós, espero que possa desejar-lhe um bom dia por mim.

Luciano disse...

Oi, Margot
Muito obrigado! Um abração para sua mãe também - já li várias coisas que você escreveu sobre ela.
Meus pais estão bem, apesar da idade. Têm 166 anos (83 cada um); minha mãe faz 84 na próxima semana. Eu falei dela de uma forma mais pessoal no ano passado, nesta postagem.
Abraço!

Anônimo disse...

Vi essa news na foia, achei a iniciativa maravilhosa, tb dou a cada uma delas um botao de rosas!!! O Bratz falou tudo tb!!!
Pena que a divulgacao nao foi mais ampla.
Keep up the good work!
Abracos

railer disse...

luciano,
este final de semana fui com minha mãe ver a exposição das mães pela igualdade, que está numa praça do leblon. foi bem legal e emocionante.

sobre o filme 'os esquecidos', realmente é um filmaço!