quarta-feira, 9 de maio de 2012

A emenda que separa

Como já era esperado, a Amendment One foi aprovada ontem na Carolina do Norte com uma derrota acachapante para os defensores dos direitos dos homossexuais. Os opositores do casamento igualitário se tornaram tão violentos e apoiados por organizações tão poderosas que hoje conseguem proibir até que leis sejam criadas no futuro. A Carolina do Norte nem tinha casamento homossexual, mas a nova lei proíbe que o estado venha a tê-lo ao inscrever na constituição que "o estado só reconhece casamentos entre um homem e uma mulher". As previsões mais otimistas são que seriam necessários não menos que vinte anos para se reverter a situação agora que chegou a este ponto.

Assim a Carolina do Norte se torna o 30º estado americano a acrescentar um artigo semelhante na constituição estadual proibindo que o casamento igualitário tenha qualquer possibilidade de virar lei em um futuro próximo.

Preocupante também é a diminuição do ritmo de crescimento da aceitação do casamento igualitário nos Estados Unidos. A tendência ainda é de crescimento, mas nos dois últimos anos o ritmo tem sido menor. A razão é clara: a investida das organizações religiosas tornou-se feroz e sem meias palavras, e o povo americano parece susceptível à crença que o casamento igualitário significa o fim do mundo.

4 comentários:

Margot disse...

Nunca fui muito crente na inteligencia dos atuais cidadãos americanos. Passam uma fachada de modernidade, mas no fundo são retrógrados e preconceituosos, além de falsos moralistas.
É um país que nunca me fez sonhar em visitá-lo. Reforça essa não-vontade e má impressão agora.
Abraços Luciano.

Anônimo disse...

A Margot disse tudo, pra mim so NY e olha la!!!

S.A.M disse...

Divido minha opnião a da Margot e também não me interesso nem em visitá-lo. Uma pena a Europa que é séculos avançada em direitos humanos a frente deles estar tão mal das pernas hoje.

P. Florindo disse...

Também concordo com a opinião da Margot. Enaltecem tanto a liberdade, mas que liberdade é essa que as pessoas não são nem livres para amar?