quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Fala que eu te escuto

Eu fiquei completamente transtornado depois de assistir a este vídeo do Jean Wyllys ontem na Câmara combatendo a proposta da bancada evangélica de instituir a "cura gay" oficialmente como tratamento psicológico no Brasil. É um alento e um grande orgulho ver o Jean se posicionando de forma tão incisiva e afirmativa, mas eu me revolto com a infâmia dos canalhas travestidos de defensores da moral que insistem em afirmar que eu sou uma aberração. Eu me revolto com a necessidade de reafirmar o óbvio e com a torpeza destes pastores desprezíveis. Eu me revolto cada vez que me lembro que é o meu próprio dinheiro suado que sustenta na política estes canalhas da pior espécie.

8 comentários:

Anônimo disse...

Meu sonho é que um dia todo gay brasileiro tenha um terço da autoconsciencia de Jean Wyllys, esse homem enche a categoria de ORGULHO!

wair de paula disse...

Vi ontem pelo seu post no Facebook, e também me indignei com a retórica furada da bancada evangélica e adorei os argumentos precisos de Jean Willys.

railer disse...

dá raiva mesmo...

railer disse...

o jean é muito bom mesmo e que bom ter alguém como ele representando os gays nesses momentos.

Anônimo disse...

Jean Willys é um homem de muita coragem. Fala por milhões, mas são poucos os que o apoiam abertamente.
Eu me senti envergonhado. Aquela luta também é minha. Aliás, de todo cidadão de bem. E eu não levanto minha voz, diferentemente dos evangélicos, que se mostram e ecoam os pastores.


Oliveira Santos disse...

No Face tem esta mensagem:
"A idade média estás aqui.
Beto Maia

Ontem na Câmara vimos o quanto o Brasil ainda está distante de ser uma República laica e liberal, nas acepções plenas dos termos. Apesar da decisão do STF sobre a união homoafetiva e da comunidade médico-psicológico-científica já ter estabelecido que a homossexualidade e a bissexualidade não são doenças, nem disfunções psíquicas, mas sim uma condição sexual natural tal como a heterossexualidade, a bancada evanjélica e pastores obscurantistas como Malafaia deram um show de homofobia e intolerância ao defenderem a "cura gay". Foram questionados e anulados de forma contundente pelo presidente do Conselho Federal de Psicologia, pelo presidente da ABGLBT e por deputados contrários ao projeto (com destaque para os dep. Jean Willys, Erika Kokay e Jandira Feghali), que visa sustar a resolução do Conselho Federal de Psicologia que impede a reversão de condição sexual, associada ou não a curandeirismo religioso.Tal como já sabíamos, e os ativistas pró-cidadania deixaram claro mais uma vez, a resolução não impede o psicólogo de atender e de acolher um homossexual ou bissexual com sofrimento psíquico, mas sim veda o uso de terapias de conversão e bem como a propaganda de serviços curativos, quase sempre acompanhados por proselitismo cristianista.

Com mais esse episódio de intolerância e atraso consciencial, fica claro que as duas únicas "contribuições" da bancada evanja à democracia brasileira são: insistir no anti-científico e inconstitucional "cura gay", por um lado, e impedir a criminalização da homofobia, agindo, por tanto, como cúmplices, por outro lado. Ambas ações fazem parte de uma agenda política anti-gay, surgida devido a maior visibilidade social dos homossexuais e a sua luta por direitos civis plenos, que é contrária aos direitos humanos e à laicidade estatal, que tem como objetivo a eugenia social dos homossexuais (diminuição da população homoafetiva do país) e, por tabela, encher as arcas das igrejas com dinheiro dos homossexuais egodistônicos e iludidos com as falsas promessas de cura.

A bancada evanjélica no Congresso Nacional é o Hizbollá brasileiro"

Oliveira Santos disse...

Têm um vídeo do Jean muito bom mesmo vejam:
http://youtu.be/nSX0aIOJCgs

ivan disse...

se eu tivesse tempo - ou um blog famoso - eu gostaria de lançar a campanha

"OCUÉMEU"

para ver se Malafais e afins aprendem de uma vez por todas a definir suas prioridades.

beijos

ivan