terça-feira, 14 de setembro de 2010

Fala sério!

Uma das grandes dificuldades da luta pela igualdade dos direitos dos homossexuais no Brasil é que grande parte dos maiores interessados não está nem aí. Só estão mesmo interessados nas futilidades de se colocar, zoar, ficar, aparecer. Há pouca organização política. O nível de mobilização é geralmente bastante baixo, exceto se a festa incluir uma grande zoação como são as paradas gays daqui. Um imenso carnaval.

Poucos noticiários no Brasil registraram as companhias escolhidas por Lady Gaga para ir ao VMA receber seus merecidos prêmios no final de semana passada. Pouca gente por aqui ficou sabendo que ela estava escoltada por Mike Almy, ex-major da força aérea, Stacy Vazques, ex-primeira sargenta do exército, Katie Miller, ex-aluna da academia militar de West Point, e David Hall, ex-sargento da força aérea. Todos eles recentemente exonerados da carreira militar pelo simples fato de serem gays. Escolhê-los como escolta de honra foi uma ótima forma de demonstrar apoio aos militares exonerados, aos gays tantas vezes discriminados não só na carreira militar mas também na vida civil, e uma clara forma de repúdio à política americana do "Don't Ask Don't Tell" que determina que um gay só pode atuar na carreira militar se permanecer no armário. Também uma forma de homenagear seu grande número de fãs gays militares que apareceram em vídeos dublando suas músicas enquanto serviam no Iraque ou no Afeganistão.

Uma pena que o fato passou batido no noticiário daqui. Os fãs brasileiros de Lady Gaga parecem mais interessados na descrição de seus trajes provocantes e de suas caretas. Estava na hora de aprenderem também com suas posições políticas. Embaixo daquelas fantasias tem um cérebro.

9 comentários:

ADRIANO disse...

Meu nome é Adriano, gosto do seu blog Luciano, confesso que o que me atraiu para acessá-lo foi o nome MUQUE DE PEÃO que além de ser de um bom humor engloba significados interessantes.

GOSTARIA DE AGRADECER A DIVULGAÇÃO DESSA NOTÍCIA SOBRE A LADY GAGA(EU MESMO NÃO SABIA), TODO MUNDO FOCOU NA ROUPA, SÓ QUE ELA CONSEGUIU FAZER UM PROTESTO E CONSCIENTIZAÇÃO DE MANEIRA ÚNICA E ELEGANTE.
E OLHA QUE NÃO SOU FÃ, APESAR DE GOSTAR DELA.

LUCIANO... UM ABRAÇÃO !

cronicas gulosas disse...

Ela acaba de subir no meu conceito. Obvio,desconfiado que sou, sempre fico com receio de que seja uma atitude estudada, resultado de um elaborado projeto de imagem, marketing mesmo. Mas mesmo assim, levantou o assunto. 10 para ela.

cronicas gulosas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Obrigado Lu ( Eu gosto de lhe chamar assim ... eh com carinho visse ) pelo recadinho basico. Tah na hora da "Tchurma" acordar prah JESUS e lutar pelos direitos de cabeca erguida. Nao somos cidadaos de segunda classe. Todos sao iguais perante a lei.

M :-)

Diego disse...

Eu mesmo não sabia! Bacana isso. Obrigado pela informação.

Anônimo disse...

Martin Luther King disse: "O que me assusta não é o grito dos violentos, mas o silêncio dos bons." E é exatamente assim que me sinto: assustado com o silêncio da comunidade intelectual gay, que se deixa representar por militantes gays estúpidos com baixo nível de escolaridade. Estou criando o movimento: DIGA NÃO A PARADA!

Introspective disse...

Eu também nem imaginava e adorei saber! Um oferecimento Muque de Peão ;)

Rafael disse...

Vi algumas notícias sobre o VMA, vi que ela usou vestido de carne e nem quis ler mais nada.

Obrigado pela informação. Divulgarei também.

Papai Urso do Interior disse...

CERTÍSSIMO em tudo! Eu in person odeio paradas d orgulho, pois ñ há orgulho d fato, há gente exibida e disposta a pagar mico do lado d drags e go-go boys depilados (a textura d uma lagartixa! Ui! Corpo d macho q é bom, ninguém sabe ninguém viu!)É SEMPRE + do mesmo: celebração à futilidade, ao grotesco, à generalização! Uma verdadeira perpetuação do estereótipo d que nossas profissões e/ou interesses estão sempre restritos nas opções cabeleireiro, maquiador, estilista, decorador, diretor d enredo d escola d samba, bailarino, e por aí vai... GaGa sempre tenta jogar luz sobre a causa gay, mas sempre é chamada d oportunista, mas sem querer encher a bola dela (q já tá chegando na estratosfera d tão cheia!) na verdade acho q ela é sincera e tem mesmo esse olhar carinhoso para nós os diferentes do senso comum. Pena, como vc colocou, q a visibilidade p/ atos dessa magnitude em eventos como VMAs e tantos outros seja sufocada por questões como quem vestiu o q, quem chegou c/ quem, quem foi + mal-vestido... O eterno e odioso hype... TO BE GAY SOMETIMES IS VERY SAD!