terça-feira, 7 de setembro de 2010

Tem aquela...

Tem aquela que vive de tailleur vermelho. Ela deve ter gastado uma fortuna em operação plástica para eliminar a cara de bulldog. Agora tem cara de poodle. Ela é bem ensinada. O barbudo fala 'pula!' e ela pula. O barbudo fala 'senta!' e ela senta. Ela tinha a delicadeza de uma caminhoneira búlgara bêbada. Agora parece uma caminhoneira búlgara bêbada que exagerou no Prozac. Você deve ter recebido um montão de e-mails dizendo que ela é ex-terrorista, mas não acredite nesta gente mal informada que fica espalhando mentiras pela internet. De "ex" ela não tem nada. Ela me aterroriza até hoje.

Tem também o careca com cara de adolescente punheteiro - aqueles que vivem amarelos, com olheiras profundas e constante cara de anemia. Ele parece que está fazendo um esforço tremendo para manter a fisionomia séria enquanto imagina um montão de bobagens e perversões. Às vezes nem consegue conter um sorrisinho travesso no canto da boca. Deve estar imaginando a caminhoneira búlgara só de calcinha de couro, bota e chicote.

Tem aquela do coque. A que adora usar colares indígenas. É a única que tem uma solução concreta para todos os problemas do país. Mas esta solução envolve todos os brasileiros dando-se as mãos e repetindo 'Xô, satanás!' três vezes, então não estou pondo muita fé. Ela acredita em Adão, Eva, céu, e inferno. E em serpentes que falam e expulsam casais do paraíso. Eu tenho muita dificuldade em botar fé em pessoas que acreditam em serpentes que falam. Não é nada contra o bicho. Eu também não ponho fé em pessoas que acreditam em macacos falantes, cachorros falantes, ou corujas falantes.

Ah, e tem também aquele outro velhinho enfezado que parece doido para chutar o pau da barraca. Tem cara de quem ainda tem um poster do Che enfeitando o quarto, escrito embaixo 'Hay que endurecerse pero sin perder la ternura jamás'. O 'hay que endurecer' eu até topo, mas em outro contexto. Antigamente diziam que eles comiam criancinhas. Hoje em dia estão tão desprestigiados e fora de moda que já não podem mais se dar ao luxo - estão comendo qualquer coisa mesmo.

Ah, e tem aquele...

6 comentários:

Lord V. disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
adorei!!!
o careca é o melhor...

abraços
voy

Paulo Braccini disse...

kkkkkkkkkkkkkkk ... tenho que rir para não chorar ...

eu quero mais é rosetar ...

bjux

;-)

ps: onde tem um duro eim?

Papai Urso do Interior disse...

As femeazinhas tão fraquinhas (a caminhoneira búlgara - vc é ótimo na escolha dos adjetivos, rsrsrs... - tem a sutileza de um elefante, rsrsrs... e a outra, uma ecochata evangélica e xiita do meu estado, o Acre, portanto sei do q tô falando, xô satanás 3x repreendido o preconceito da fé q ela professa!), assim sendo e por gostar (MUUUUITO) de energia masculina bombando EM TODAS AS ÁREAS vou com o único machinho, ainda q tenha cara de 'aborrecente' punheteiro... rsrsrs...

Marcos Rocha disse...

Luciano,
parabens pela cronica... inteligente e sagaz. Gostei mesmo... e estou rindo até agora..

Introspective disse...

Estamos num mato sem cachorro mesmo... mas pelo menos isso rendeu um texto divertido :)

Jamiro Pinheiro disse...

Esse ano está difícil!!! Ótimo texto.