sábado, 21 de abril de 2012

A morte


Minha bisavó Cristina viveu até os 104 anos. Lembro-me dela sempre velha, vestindo preto, sempre sorridente. Meu pai era um ótimo contador de piadas e minha bisavó dava grandes gargalhadas - depois escondia a boca com as mãos, como se estivesse envergonhada. Ela casou cedo, enviuvou cedo, nunca se casou de novo, e passou a maior parte da vida como viúva.

Uma vez, aos 97 anos de idade, ainda com saúde boa apesar de frágil, ela pediu que a deixassem na porta do cemitério para ver se a morte se lembrava dela. Ela dizia que o mundo era dos jovens, que a morte a havia esquecido. Sentia-se pronta para partir mas não era chamada. Como ela viveu muito, quatro gerações da minha família conseguem se lembrar dela com muita saudade.

E foi dela que eu me lembrei assistindo a este curta espanhol muito bonitinho que foi indicado ao Oscar em 2010 sobre a velha senhora que vive esperando a morte para se encontrar com o falecido marido, mas é sempre salva por um médico presunçoso. Muito bom para a gente repensar nos limites da ciência.

6 comentários:

Daniel disse...

Eu hein! Tô fora! Por mim eu teria vida eterna, igual a internet. Não quero morrer. Além do que, nesse filminho mostra uma vida após a morte, com influências bem kardecistas por sinal. Qdo a gente bem sabe que na verdade não existe nada depois daqui. Abraço.

Ricardo Marques disse...

E hj é o niver da minha vovó, 87 anos e com ótima saúde. E fazendo planos prá festa de 90 anos. ;-)

Marcos Rocha disse...

a minha avó tem 99 anos. É o próprio Munn-rá dos Thundercats... Eu tenho certeza de que esqueceram dela...

Margot disse...

Hoje é aniversário de minha mãe. 95 anos. A senhora do comercial me lembra ela.... só que no caso ela está fugindo da morte... e não indo de encontro a ela. Minha mãe quer viver.... rsrs.

Abraços Luciano

railer disse...

minha avó morreu com 95... fez 4 anos este mês... obrigado pelo vídeo. gostei de ver.

Anônimo disse...

Nossa coitado desse Daniel achando que não axiste nada além, coitado!
Imaginem viver para sempre aqui na terra que caos seria para a humanidade!
Outra coisa o espiritismo não é religião é filosofia de vida.
Se ele acredita assim fazer o quê não é mesmo. Cada um na sua!