segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O Rio está muito perigoso


A novela Lado a Lado que estreou hoje, além dos conflitos e dramas românticos obrigatórios, faz uma análise histórica romanceada da sociedade carioca do começo do século passado que a deixa extremamente interessante e que ajuda a entender porquê somos como somos hoje. A história se passa em 1903, época de grandes mudanças com os recentes fim da monarquia e abolição da escravatura, quando os negros buscam formas de se inserir na sociedade produtiva e os barões do café enfrentam o declínio de prestígio.

"O Rio está muito perigoso" foi uma frase ótima dita por um dos personagens no primeiro capítulo, servindo para destruir nossa visão normalmente idealizada do passado. "Esta batucada africana que chamam de samba nunca vai ter qualquer significação para a música brasileira" foi outra frase memorável para mostrar quão ridículas podem ser algumas profecias feitas no início do século passado quando analisadas em retrospecto.

A novela pretende mostrar também o surgimento da primeira favela no Rio como consequência direta da demolição dos cortiços, e a popularização do futebol entre os rapazes da sociedade que até então se dedicavam ao críquete. A elite carioca vivia nos elegantes bairros do Catete e Botafogo, e nem podia imaginar que mais de cem anos depois a disputa por status na novela das 9 seria entre a Zona Sul e o fictício bairro do Divino.

5 comentários:

o Humberto disse...

Tava louco pra ver essa novela, mas tenho saído pra trabahar bem na hora. Vou ver se consigo seguir via site.

Abraço pro sr, Seu Luciano, boa semana.

Luciano disse...

@Humberto,
A Globo não está economizando na caracterização e na ambientação - achei o primeiro capítulo muito bacana. Não sei se vou conseguir me interessar pela história romântica, mas o aspecto histórico é fascinante.
Abraço!
**

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

este contexto histórico chamou minha atenção ... não sou adepto de novelas, não tenho o menor saco para elas, mas esta eu pretendo ver alguma coisa ...

Ric disse...

O contexto histórico é equivocado e romanceado. O café só entrou em declínio depois da crise de 1929, tanto é que na república velha de 1889 a 1930, predominou a política do café com leite, alternando presidentes oriundos de São Paulo ou Minas Gerais.
Os únicos decadentes em 1903 eram os que plantavam café no vale do Paraíba, já que todo o cultivo se deslocou para o oeste paulista e saiu da esfera do Rio de Janeiro.
O café estimulou a migração da elite agrária para a cidade de São Paulo e gerou também o capital necessário para a industrialização de SP durante o mesmo período e depois.

Oliveira Santos disse...

Estou assistindo e acompanhando, gosto muito de novelas de época, pena que o nosso povo desconhece a nossa História, fiquei imaginando o sofrimento das pessoas perdendo o local de moradia os cortiços para dar lugar as grandes avenidas do RJ a Belle Époque!!!
Outra novela que foi excepcional foi Força de Um Desejo, foi espetacular.