quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

As redes

O verdadeiro Zuckerberger não era
assim tão soturno
Não entendi todo o hype em torno de "A Rede Social" - achei o filme muito chato. E provavelmente muito falso. Basta googlar Zuckerberger para ver que em 90% das imagens ele é um cara risonho e alegre - nada a ver com aquele menino taciturno e chato mostrada no filme. Sem contar que uma história baseada em um personagem que muito provavelmente sofre de Síndrome de Asperger seria mais interessante se tivesse sido focada no que ele tem de melhor: os desafios técnicos da construção do Facebook - que certamente não foram poucos. Mas o filme é centrado na batalha legal para provar quem foi o pai da ideia - um assunto no qual o próprio personagem principal não tem o menor interesse.

Orkut e o maridão Holbrook
Também achei muito falso dividir estudantes universitários entre nerds que passam a noite inteira no computador e farristas que vivem em uma vida de festas intermináveis. Nerds são geralmente consumidores compulsivos de pornografia digital, mas não há no filme uma única cena de um deles se masturbando em frente do computador - o que teria deixado o filme um pouco mais realista e interessante. E também não colou a cena em que um aluno nerd chega atrasado e assiste a uma palestra de mais de 1 hora sem saber que era o Bill Gates quem estava falando. Um nerd pode não saber quem é Angelina Jolie mas jamais deixaria de reconhecer o Bill Gates.

Resta esperar que logo alguém tenha a ideia brilhante de fazer um filme sobre o Orkut Büyükkokten, o criador do Orkut. O cara é gay assumido e se casou há algum tempo com o namorado Derek Holbrook.  E parece ter uma vida muito mais interessante que a do Zuckerberger. Ele teria, por exemplo, a oportunidade de explicar sobre a foto abaixo, que ele mesmo postou em sua página. Tenho certeza que a explicação deve ser muito interessante.

Orkut e Holbrook

5 comentários:

Daniel disse...

o Orkut (site) é um fracasso, tanto que a Google deve lançar outra rede social (e rezar pra não ser invadida por brasileiros). já o Orkut (nerd), esse sim se deu muito bem vendendo o site pro Google.

Olhando as duas fotos, a gente pensa: o casamento engorda. O marido dele que o diga.

TONY GOES disse...

Jura que você preferia um filme sobre os DESAFIOS TÉCNICOS da construção do Orkut?? That's entertainment!

Não sabia que o Orkut era gay. Good for him.

tommie disse...

Nem batalha judicial de nerd é interessante, assisti o filme no ff, as cenas de "farra" daquela gente é um tédio só.

Dêco disse...

Achei mais interessante o que você escreveu do que o filme. Fato!

beto disse...

tb não achei o filme esse terror assim. só queria saber o quanto é verdade e o quanto é ficção.

um filme sobre o Orkut ia ter um grande problema: só no Brasil, Índia e Estônia se sabe o que é Orkut... Bollywood meets Tropa de Elite via Skype?