segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Os gays falam diferente?

Há muito que se discute sobre a forma como os gays falam. E não estou me referindo ao "dialeto gay" - aquele conjunto de vocábulos e gírias específicas que constituem o jargão do grupo, mas ao "sotaque gay" - aquele jeito de falar com afetação.

Nos Estados Unidos este "sotaque gay" já vem sendo estudado há um certo tempo, e me parece ser algo realmente muito mais marcante do que se vê no Brasil. Lá, alguns gays imprimiram uma afetação marcante ao modo de falar que normalmente vem acompanhado de ceceio - a pronúncia dos sons sibilantes como se a língua estivesse presa ("lisp", em inglês). Alguns fonoaudiólogos americanos estudaram o "ceceio gay" recentemente sem nenhuma conclusão definitiva sobre sua origem ou propósito. O fato interessante é que o modo afetado de falar é incorporado por muitos gays com tanta naturalidade que eles próprios não mais o percebem, da mesma forma que um estrangeiro dificilmente percebe o próprio sotaque ao falar outro idioma. Hollywood tem até  professores de oratória especializados na eliminação do "sotaque gay" que atendem pessoas interessadas em seguir a carreira artística.

A afetação dos gays americanos é muitas vezes comparada à afetação de alguns britânicos mais formais, o que acabou gerando uma frase de efeito humorístico bastante empregada pelos ingleses "I'm not gay; I'm just British".

Eu, pessoalmente, acho que o sotaque do gay brasileiro é muito mais sutil do que o dos gays americanos. E muito mais evidente quando os gays estão entre amigos, no seu próprio meio - tornando-se menos perceptível quando o ambiente é hostil, por razões óbvias. Mas para mim não é normalmente o sotaque gay que primeiro ativa o meu gaydar. É o "olhar de pombo".

15 comentários:

Daniel disse...

Olhar de pombo é aquele que se detém por um segundo num objeto e depois desvia o olhar? Se for, também é o que ativa o meu.

Luciano disse...

@Daniel,
O "olhar de pombo" merecia um post todinho dedicado a ele. É aquele jeito de olhar e examinar de cima a baixo com os olhos sem mexer a cabeça. Como quando você cruza com alguém na rua e não quer que a pessoa perceba que está sendo analisada. É especialidade da classe. Eu até já vi isto mencionado no filme francês "O Closet".
**

Sil disse...

kkkk muito bom o texto. Não sabia que tinha gente estudando isso, mas é uma questão interessante e que se repete independente da língua nativa. O texto que você linkou explica que as pessoas conseguem identificar homens gays pela fala, mas não conseguem identificar as lésbicas. Ou seja, sapas e hts falam do mesmo jeito.
Que coisa, hem.
Boiei no olha de pombo, mas ri muito. Deve ser um olhar que não pode ver um macho perto porque isso ativa meu gaydar 100%.
Bjs.

Introspective disse...

Podem dizer que é homofobia internalizada e blablablá, mas nada se compara à PINTA das beeshas norte-americanas, sempre ativada no créu five. Oh, it's suuuuperrrrrr!!!

Diego disse...

Depois, escreva sobre o "olhar de pombo"!

Gui disse...

Nunca vi um gay americano super afetado. Na verdade, os gays americanos que eu vi são tão heteros.

Acho que a pinta brasileira não é nem um pouco sutil. E o sotaque ativa meu gaydar na hora. O 'olhar de pombo' (gente, adorei essa expressão) também chama atenção, mas o sotaque, esse é o principal pra mim.

Papai Urso do Interior disse...

Não tem sotaque não, gente, tem mesmo é um irritante timbre de eterna alegria, muitos gestos e coisas como as que Adriana Bombom, Monique Evans e outras falam na mídia, isso acaba com meu ouvido... É o único traço homofóbico que há em mim, o da linguagem e das gírias, realmente desnecessárias, bobas, argh... Não entendo porque chamar pinto de neca, ou acontecimento de bafo, porque essa necessidade de se achar hype ou parte de um gueto... Ser gay excede essas bobajada...

wonderfulcauseiam disse...

@ Papai Urso
Já eu particularmente adoro essas pequenas sutilezas. Realmente, no nosso dia a dia, ao falar com pessoas da família ou colegas, não há a menor necessidade.
Mas entre "as gay" eu acho muito engraçado. Sei lá, acho que faz parte da diversão de ser gay.

Paulo Braccini disse...

Adorei o "olhar de pombo" ... já incorporei ... kkkkkkkkkkkk

bjux

;-)

Lobo disse...

Olhar de pombo foi o máximo hahaha! Tô me acabando de rir só de tanto pensar em como eu faço isso! :p

Super precisamos de um texto sobre o assunto XD.

Um beijo Lú!

Dêco disse...

Concordo com o Lobo. Precisamos de um texto sobre o Olhar de Pombo.
Faço isso MUITAS vezes e aida acho que ninguém percebeu,. exceto os amigos gays que estiverem perto. Fato!
Meu gaydar apita por cada detalhe besta. Funciona até em fotos.
kkkkkkkkkkkk
Bjs

Lucas T. disse...

Gotta love "olhar de Pombo" hahahahahaha

Marco disse...

Olhar de pombo na rolinha é tuda !!!

Anônimo disse...

Adoro seu blog.

Cara Comum disse...

Pois isso também é estudado na fonoaudiologia brasileira. Tem o caso de um cara que tinha muito sotaque gay e dizia que esse sotaque não condizia com sua "virilidade e masculinidade óbvia". Ele jurava que não era gay e a galera pensa até hoje se ele ainda não tinha se descoberto ou se aprendeu o sotaque gay de desavisado mesmo... hehehe... Abração!