terça-feira, 10 de maio de 2011

Casa de ferreiro

Cher e o filho Chaz (à direita), que já foi Chastity (à esquerda)
Quando Cher foi escolhida musa dos gays ela jamais poderia imaginar que enfrentaria um problema de disfunção de gênero dentro de sua própria casa. Sua filha, que nasceu Chastity e durante muitos anos foi uma garotinha loira engraçadinha, virou o rapagão Chaz. O problema é muito mais complexo do que qualquer um de nós pode imaginar, e a metamorfose não foi fácil. O fato de ser filho da Cher não ajudou muito, e Chaz encontrou muita resistência e dificuldade de aceitação na própria família.









Verdade seja dita, os transgêneros não são considerados homossexuais por não sentirem, teoricamente, atração pelo mesmo sexo, mas por habitarem um corpo com o sexo oposto. Sentir atração pelo mesmo sexo não é fácil; viver no corpo trocado é com certeza infinitamente mais complicado.

Embora sua história esteja longe do fim, Chaz parece ter encontrado a felicidade e feito as pazes com a mamãe famosa. O documentário Becoming Chaz, que descreve a transformação de Chastity em Chaz, estreia hoje nos Estados Unidos.

9 comentários:

marta matui disse...

Ele diminuiu na altura ou só aumentou na largura depois que virou homem?

Luciano disse...

Marta,
Também me chamou a atenção a diferença na altura. Mas deve ser só devido ao ângulo, ou aos saltos dos sapatos.
**

Anônimo disse...

Ficou feio e a cher mesma cara ever.

Lucas T. disse...

Estou há meses esperando por esse doc! Espero que não demorem muito para upar depois que passar no OWN.

Flávio Amaral disse...

"Transgender nation", um excelente título sobre o tema, permite reflexões a respeito das questões de gênero que avaliam, inclusive, o papel das cirurgias transformadoras.

Sobre o livro:

"Gender is the mine field we pass through every day. In the United States, gender is all too often determined by one's anatomical sex. From birth we are bombarded with gender propaganda that supports a repressive dual gender system pitting the sexes and the genders against each other. Transgenderists as gender nonconformists challenge us to rethink traditional discourses on sex and gender. Transgender Nation dares to look at the male-to-woman transgenderist and transsexual from a sociocultural and sociopolitical perspective and maintains that it is not the individual transgenderist who is sick and in need of treatment but rather the culture that must be treated.
Transgender Nation explores historical sexological categories and decodes contemporary medical transsexual ideology, charging that contemporary "treatments" like sex reassignment surgery all too often encourage assimilation and negate differences. Proposals for endocrinological euthanasia are examined for what they reveal about personal and cultural attitudes about gender."

Link: http://www.amazon.com/Transgender-Nation-Gordene-Olga-MacKenzie/dp/0879725974

David ®... disse...

Vi no programa do Cabrini um rapaz q queria trocar de sexo e ainda assim era lésbico(?). Ele dizia sentir atração por mulheres mas q tb tinha certeza q estava no corpo errado.
Ou seja, preconceito em dobro?:ser trans e ser homo.

a sexualidade humana é mto complexa mesmo. vai entender.

http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/reportagens/reportagem.asp?id=28&t=A+POL%CAMICA+TROCA+DE+SEXO

Cara Comum disse...

Eu acho esse assunto muito interessante... Depois pretendo escrever sobre ele tb, mas por enquanto eu fico só na correria mesmo...

Abraços!!

Papai Urso do Interior disse...

Se fosse o filho de uma artista brasileira iam dizer que foi castigo, que foi isso e aquilo, tá vendo até onde vai o cultural? Toda aquela carga repressora que a gente cresce ouvindo... eta Brasil!! Acho Cher um tanto desapontada, acho que pra isso ela não tava preparada não... Lésbica? Claro, filhota! Transex? Nããããõ, pelamor, pense bem menina não vá ser cobaia de processos tão invasivos!! (Cena de novelão mexicano c/roteiro hollywoodiano, claro). Essa Chaz tb hein, muito loucona, deixa essa perereca em paz, vai implantar o quê ali? Um consolo de enxerto que nem ereto vai ficar?! Não é ser preconceituoso, é ser prático.

Anônimo disse...

Parece o pai da Cher, e a Cher parece uma adolescente, tudo invertido, kkkkk. Olha ela era uma lésbica bonita, certeza que umidificava muita sapa, num precisava disso não.