segunda-feira, 9 de maio de 2011

Melody Gardot


Quando eu ouvi Melody Gardot pela primeira vez, há cerca de dois anos, fiquei absolutamente e perdidamente apaixonado pela sua voz. A ponto de ficar ouvindo seus discos ininterruptamente durante todo o dia. Com um nome de batismo lindo destes, esta americana de Filadélfia parecia mesmo predestinada a alcançar o sucesso por meio da música. Melody Gardot completou 26 anos em fevereiro, mas apesar da pouca idade já tem uma história de vida comovente.

Quando tinha 19 anos Melody Gardot sofreu um atropelamento violento enquanto andava de bicicleta, e teve que ficar presa a uma cama de hospital por mais de um ano se recuperando de lesões graves no cérebro e na coluna vertebral. Melody Gardot precisou reaprender a se comunicar de forma coerente, e teve a ajuda de terapia musical para estimular o cérebro - o que acabou contribuindo para que ela desenvolvesse suas habilidades e se transformasse na artista completa que é hoje. Ela tem, seguramente, uma das vozes mais bonitas entre as cantoras da atualilidade.

Melody Gardot - Baby I'm A Fool:


Melody Gardot - Your Heart Is As Black As Night:

8 comentários:

CIELLO disse...

jah a conhecia... e confesso... é FODALISTICAMENTE FODA! bom demais!

Flávio Amaral disse...

A voz dela é linda. Com toda a personalidade que tem, parece ainda uma mistura de Peggy Lee com Silvinha Telles.

Rodrigo disse...

Bom gosto define

Papai Urso do Interior disse...

Audição luxo.

Rafael Souza disse...

Eu comecei a ler seu blog depois de uma indicação do Tony Góes.
Hoje, se tivesse que escolher um ou outro, o seu ficaria facilmente.
Mas viva a democracia internética!

Enfim, quero agradecer por compartilhar o gosto musical refinado!

Há algum tempo não me ative em procurar novos artistas pq tudo, na minha visão, estava parecendo mais do mesmo.

E vc me vem com a Melody. Vício imediato.

Anônimo disse...

MUITO BOM!!!!

cronicas gulosas disse...

♥ Melody Gardot - voz suave mas presente, arranjos perfeitos, fraseado lindo. abs

Anônimo disse...

Não paro de ouví-la, no café, no almoço e agora na janta. Obrigado por me apresentá-la.