quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Live fast, die young

É realmente difícil de acreditar que Tim Buckley tinha só 22 anos quando escreveu Song To The Siren. Baseada na lenda que diz que as sereias cantam para atrair os marinheiros para a morte, Song To The Siren é o oposto - é a música do marinheiro para a sereia, entregando-se para morrer. A letra é uma poesia densa e complexa e o autor se refere à "minha noiva, a morte" através de seu canto sombrio.

"Long afloat on shipless oceans
I did all my best to smile..."

Tim Buckley não sabia, mas seu encontro com a morte estava agendado para pouco tempo depois que compôs a música. O cantor/compositor morreu em 1975, aos 28 anos de idade, de overdose.

Quando Tim Buckley morreu, seu filho Jeff Buckley tinha só 9 anos. Jeff cresceu e também virou cantor. Uma das gravações mais bonitas de Hallelujah, o clássico de Leonard Cohen, está registrada na voz de Jeff Buckley

Mas a morte na água e o encontro com a sereia previstos pelo pai estavam reservados para o filho. Jeff Buckley morreu aos 30 anos de idade. Afogou-se enquanto nadava em um rio na cidade de Memphis, no Tennessee, em 1997.

Em 2006 Song To The Siren, em uma linda gravação de Paula Arundell, foi usada na abertura do filme australiano Candy. O filme conta a história de Dan, um rapaz de coração bom que luta desesperadamente para se livrar das drogas e ser feliz. O papel de Dan era interpretado por Heath Ledger, que morreria 2 anos depois, com 28 anos de idade.

Esta é a cena de abertura de Candy, com Heath Ledger e a música Song To The Siren. Toda vez que eu assisto eu tenho vontade de chorar. Eu acho a morte de pessoas jovens uma das maiores crueldades imagináveis.

9 comentários:

Daniel disse...

Achei outra pessoa que viu esse filme! Eu vi no cinema e fiquei bastante comovido com a história. E mais ainda depois do que aconteceu com o Heath.

Paulo Braccini disse...

#tenso

;-)

Diego disse...

Gente, quando você fala de música, me sinto o mais ignorante dos homens.

Mas que coincidências terríveis!

Luiz disse...

Tim era eum gênio mas a voz do jeff é uma das coisas mais lindas que eu ja ouvi, Apeasr da semelhança física e vocal dos dois ser impressionante. Seria perfeito ouvir o jeff Buckley cantando Song to the Siren.

O filme tbm é lindo ;)

Luciano disse...

Oi, Diego
Você não é igorante. Você é jovem. Está aprendendo um monte de coisas. O segredo é a gente não parar de aprender nunca. Eu sempre costumo dizer que a única coisa que eu sei é que nada sei.
Eu gosto muito da música dos Buckleys, principalmente conhecendo toda a tragédia da vida deles. Baixe e veja se você gosta:
Tim Buckley - Song To The Siren
Tim Buckley - Once I Was
Jeff Buckley - Hallelujah

Depois me diga o que achou.
Abraço,
Luciano

João Pedro disse...

Fato constatado: de todos os blogs que acompanho, o seu é o meu favorito!

cronicas gulosas disse...

WOW!Adorei este momento cinco graus de separacao. Jeff Bucley plus Heath e esta delicia da Paula Arundell (confesso que desconhecia), e por estas e outras q adoro seu blog. TKS!!!

Marcelo disse...

Luciano,
Estava ontem zapeando o Telecine quando vi que Candy tinha acabado de comecar. Na hora lembrei do seu blog e assiti. Adorei o filme, apesar de meio indigesto e muito triste as vezes.

Uma pena mesmo que o Ledger tenha ido tao cedo. Com certeza ele era um dos melhores atores dessa geracao.

abraco

marcelo a

Luciano disse...

@Marcelo:
O filme é realmente bastante pesado. Mas, é até engraçado, tem um certo lirismo na interpretação do Heath Ledger, talvez por a gente saber que ele morreria pouco tempo depois.
Abraço,
**