terça-feira, 19 de outubro de 2010

De héteros, cachorros e cadelas

Casamento de cachorros é uma coisa muito comum. Existem por aí um monte de madames com tempo sobrando e um monte de gente que gosta de torturar cachorrinhos de estimação, e que promovem grandes festas. Existem até buffets para este tipo de evento. Aqui e em outros países como os Estados Unidos existem centenas de lojas especializadas em organizar o evento e vender as roupinha e os apetrechos e adereços que os bichinhos usam no grande dia. Casamento de cachorros já é coisa bem antiga por aqui.

Agora, alguém me responda por favor: já viram algum político ou religioso reclamando de casamento de cachorros? Ou exigindo que este tipo de evento seja chamado de "união civil" para preservar a santidade da palavra "casamento"? Obviamente que não. Um cachorro e uma cadela podem se "casar" - duas pessoas do mesmo sexo é que não podem, porque aí é falta de respeito.

A "união civil" é a prima pobre do "casamento". É o casamento de segunda classe. Aceitar a "união civil" é aceitar que a ligação entre duas pessoas do mesmo sexo é algo menor.

Os dois candidatos a presidente dizem que são a favor da união civil e que casamento é assunto de religião. Errado. Erradíssimo. Casamento é assunto de cartório de registro civil - é lá que são registrados os atos e emitidas as certidões de casamento. Quando duas pessoas se casam todos os direitos e deveres previstos no código civil e na lei são automaticamente estendidos aos cônjuges. A união civil somente concede alguns dos direitos do casamento.

Eu queria muito fazer duas perguntas para os candidatos, para os políticos, e para os religiosos:
1. Você aceitaria anular seu casamento e trocar por uma união civil?
2. Por que você acha que casamento é coisa só para héteros, cachorros e cadelas?

16 comentários:

Andre disse...

Muito bom, gostei e concordo com seu ponto de vista. Acredito que estamos longe da igualdade, as coisas não evoluíram como deveriam, a forma de pensar da humanidade como um todo é atrasada. Ainda espero viver pra ver quando todos respeitarem o próximo e não pensar somente no seu próprio umbigo. A religião é o grande câncer do mundo, que consome idéias e atrapalha o desenvolvimento cultural, social e humano.

Rodrigo Teixeira disse...

num Brasil onde elegem Tiricas, não se espera outra coisa, não é mesmo?

AliKerouak disse...

Sensacional!

AliKerouak disse...

Sensacional!

Cleycianne Cover disse...

Cachórros nunca más!!!

Anônimo disse...

Luciano,

Achei ÓTIMO o seu post... Mas, pensando bem, acho que não vou querer um casamento para mim e meu companheiro, afinal de contas, não somos nem héteros nem caninos... estou comeeçando a achar que merecemos algo mais do que isso, então, em vez de nos diminuirmos por causa de uma "união civil", vamos estar acima dessas relações fugazes entre héteros, cães e cadelas.


Mais ainda, se o casamento é sagrado, então que os religiosos proibam a sua dissolução. Divórcio deve ser proibido no Brasil. Afinal de contas, não é o divórcio que acaba com as famílias? Ou somos mesmos nós, homossexuais?

Rennan Diniz disse...

Putz, você disse tudo! A questão é exatamente essa: "Você é homossexual, então você merece menos do que eu. Sua relações são 'clandestinas', não merecem o mesmo status que o casamento tem". É esse tipo de raciocínio homofóbico que tem pautado os debates no 2° turno. Abraços.

CriCo disse...

Ótima colocação! Eu, que sempre achei que união civil e casamento fossem a mesma coisa, hoje já penso diferente depois de vários exemplos. Acho que infelizmente vou ser obrigado a anular meu voto.

Papai Urso do Interior disse...

Gente, até cãezinhos passaram na nossa frente nessa hierarquia de direitos à felicidade, à afeição verdadeira, à tolerância externa (Pode UM TROÇO desses? Cachorros com tanta pompa e circunstancia? Ainda posam com liguinha pra fora, um verdadeiro acinte... rsrsrs... É COMO SE ESTIVESSEM NOS DIZENDO, NÓS PODEMOS E CONTAMOS C/ AS BÊNÇÃOS DE TODOS ESSES HUMANOS ESTÚPIDOS QUE APEDREJAM VOCÊS! Absurdo!!!) Tem ainda toda a bobajada do politicamente correto, mas, cá entre nós, a verdade é que não fizemos a lição de casa, it's our fault, sorry... Pra mudar tínhamos de, pelo menos, ter colocado nosso time em mais de uma, duas ou três míseras cadeirinhas de plenário, tínhamos de ter feito uma limpeza no senado e na camara, coisa que não fizemos, so this way, como diz o Abba, the winner takes it all... Vamos encarar, é fato... Enquanto não tivermos representação política tudo se emperrará nessa mesmice de preconceito e burrice e elevação de gays como subcategoria da raça humana, e tome outdoor do Mala no Rio e daqui a pouco em todas as outras capitais do país, e tome evangélicos ganhando adulação de candidatos na mídia... Todas as degradações morais que já estamos fartos de conhecer de teses e tb e principalmente da prática cotidiana só tendem a ser cada vez mais banalizadas... A propósito detesto donos de cãezinhos que os vestem como humanos e lhes dão festa de aniversário com bolos em forma de ossinho com corações, rsrsrs... É de uma breguice parishiltoniana, rsrsrs...

beto disse...

vou discordar.
pois vc está pregando só para os convertidos. e qual o resultado disso? os convertidos ficam se sentindo ótimos, com toda a razão do mundo... e, no fim, nenhum direito conquistado!

sou prático. pode chamar de casamento, união civil, mancebia, concubinato, o que for... o que me interessa são os DIREITOS... se forem iguais, tudo bem.

como 1x colocado no blog do Tony Goes, o termo "casamento" remete (erroneamente) à uma carga religiosa etc... Infelizmente, muita gente não consegue separar a ideia de casamento CIVIL do RELIGIOSO. Vamos conseguir mudar isso? Não muito rápido, dado o baixo nível educacional da população em geral.

então, deixemos de lado o termo casamento e foquemos no que realmente faz diferença: os direitos (e deveres...) associados a esse termo.

Luciano disse...

@beto:
O problema está justamente aí. Casamento e união civil não englobam os mesmos direitos. União civil é simplesmente um contrato, parecido com o que dois sócios fazem para abrir uma loja, só que no lugar da loja escreve-se "sociedade doméstica". O estado civil dos dois continua "solteiro". Resumindo, você ganha um 'sócio'. E se o seu companheiro morrer você pode, inclusive, ser proibido pela família dele de ir ao enterro porque você 'não é da família'.
Casamento é outra coisa e está definido na constituição e no código de processo civil.
**

Anônimo disse...

O termo está corretissimo, é CASAMENTO e no uniao civil; tenho um companheiro, marido sei la que nome se aplica mas sócio é que nao é.

beto disse...

@luciano: acho que eu devo escrever muito mal.

o que eu ACHEI que tinha falado era: o que me interessa são os DIREITOS... sendo iguais os direitos, pode se dar o nome que quiser.

se for mais fácil não usar o termo "casamento" para se conseguir os DIREITOS IGUAIS, que seja assim.

um exemplo: na Colômbia não existe casamento homossexual, mas em 2009 a Suprema Corte deu todos os direitos aos casais homossexuais, ao reconhecer "casamentos" gays como "união de fato". E "união de fato", seja hetero ou homossexual, lá tem os mesmos direitos civis que um casamento. Vc pode "casar" com um colombiano que terá direito a imigrar para lá, os mesmos direitos de herança, previdência social, seguro-saúde, direito a não depor contra o cônjuge na justiça, etc etc. Não sei se falta algum direito (até onde eu sei não falta, não sou especialista).

Então prefiro mil vezes poder ter uma "união de fato" do que ficar sem nada, brigando pelo termo "casamento", que só dá margem para religiosos conservadores ficarem misturando direitos civis com questões religiosas.

Luciano disse...

@beto:
Existe mesmo muita confusão sobre que tipos de direitos são concedidos na união civil. Vou me animar a escrever um post especificamente sobre este assunto.
Abraço,
**

Introspective disse...

Porque dois cães se casando é bonitinho de se ver. Já dois viados barbudos...

... é horroroso, além de uma aberração contra a vontade soberana de Deus bla bla bla whiskas sachê etc.

Cleycianne Cover disse...

Veados com 'e' são MÁS, viados com 'i' e tom de chacota são MENAS! Tb não suporto cachórros, apesar de serem criaturas de Deus, como nós e os veados com 'e'. Oremos pelo fim da homofobia, irmões! Que possamos passear com nossos amados varões sem levar pedradas, afinal pedradas doem, ferem, machucam e nos tiram a dygnydade! Sociedade brasileira, pare de nos perseguir NOW!!!!