segunda-feira, 6 de junho de 2011

Bonus track

Você já não morreu de raiva alguma vez depois de comprar um disco e descobrir que ele foi relançado com várias bonus tracks que não existiam na sua versão? Para quem não fala inglês: bonus track é uma expressão complexa que pode ter dois significados; quando está no disco que você comprou significa "que-sorte-a-minha", mas quando está no novo lançamento do disco que você já tem então significa "senta-e-chora". Em tempos de downloads digitais é um convite à pirataria.

Tome Adele, só para ficar em um único exemplo. A não ser que Madonna lance um disco de inéditas espetaculares com Mary J. Blige, Rihanna, Beyoncé, Jennifer Lopez, Britney Spears e Shakira fazendo backing vocals, o que é altamente improvável, 21 já é o álbum do ano. É perfeito, é delicioso. É tão bom que dá até raiva. Talvez a mais perfeita ode à dor-de-cotovelo que se tem notícia. É para ouvir sozinho na sala mal iluminada e cortar os pulsos em seguida. Mas só quem comprou a versão da loja iTunes ou a versão japonesa ficou com um fio de esperança no final, com a música I Found A Boy, que não aparece nas versões oficiais do disco. Depois de todo aquele chororô delicioso I Found A Boy soa como um bálsamo cicatrizante, a certeza que ela reencontrou alguém e vai continuar vivendo.

O disco oficial da Adele tem 11 faixas e se encerra com Someone Like You. A versão lançada no Reino Unido tem 13 faixas, incluindo também If It Hadn't Been For Love e Hiding My Heart. E existe também uma Target Deluxe Edition que inclui uma gravação de Need You Now que Adele canta em delicioso dueto ao vivo com Darius Rucker e que ficou ainda melhor do que o original com o Lady Antebellum, além das 3 versões acústicas extras que estão também na versão japonesa.

Aliás, esta Target Deluxe Edition não se contentou com as bonus tracks e incluiu um bonus CD (este disco extra da Target Deluxe Edition com 4 faixas pode ser baixado aqui, mas não fui eu que coloquei). Para quem não fala inglês, bonus CD significa aquilo que eu expliquei lá em cima para bonus track, só que elevado ao quadrado.

6 comentários:

Rafael disse...

Antigamente comprava-se singles para termos - eventualmente - uma faixa extra, as famosas b-sides. No final das contas, não necessariamente essas músicas estarão no mesmo nível do álbum, podendo ser bem abaixo ou mesmo bem melhores, como em muitos casos, mas que acabam não formando a obra que o artista quer criar.
O Take That está lançando o mini álbum Progressed no dia 13, com 8 faixas, mais o cd original de Progress, lançado em novembro. Os fãs estão de chororô por terem de comprar o mesmo álbum uma segunda ou até terceira vez (já que eles tb lançaram 2 versões deluxe). E assim funciona o mercado hoje em dia.

Daniel disse...

O Duran Duran tb lançou trocentas versões diferentes do mesmo álbum "All you need is now", dependendo da rede onde você comprou.

E o Depeche Mode vai fazer a mesma coisa com o seu 2º CD de remixes que sai hoje, mas pelo menos o álbum básico (edição tripla) vai ser o mesmo. São as 'retailers exclusives' que vão variar de loja para loja (mas é TANTA coisa que daria pra fazer um 4º CD só delas)

CIELLO disse...

Adele fez o inverso e tombou a Gagá!

Ultimos Dias disse...

Tem bonus track que é insuportável, sobra de estudio empacotado no deluxe edition.

CriCo disse...

Rolling in the Deep se tornou a mais recente música da minha vida.

Wallace R. disse...

Achei que era só eu que tinha percebido que a Adele lançou um deluxe edition diferente pra cada país do mundo. E o pior é que o infortúnio está se tornando frequente.