quarta-feira, 8 de junho de 2011

Will you still need me
Will you still feed me
When I'm 64?


Sei que virá um tempo em que minha memória talvez falhe, minha lucidez resvale, minhas mãos fraquejem. Meus cabelos vão perder a cor, minha pele vai perder o viço, meu andar vai perder a força. Nada disto me apavora. Eu só me desesperaria se soubesse que estaria só.

Ser gay idoso não é necessariamente sinônimo de solidão. São emocionantes as cenas mostradas neste trailer do documentário Out In America que o canal PBS está lançando nos Estados Unidos, principalmente porque é rara a oportunidade de ver pessoas gays idosas tão de bem com a vida. Pensando bem, é rara a oportunidade de ver pessoas gays idosas, ponto. O apelo gay sempre foi muito associado ao vigor da juventude. É preciso que todos saibam que a vida não acaba aos 40.


Watch the full episode. See more PBS Specials.

11 comentários:

Lucas T. disse...

Do caralho. Sou viciado em docs e esse parece ser muito bom. Espero que não demore muito pra alguém upar.

Dino Costa disse...

Adoro PBS. Meu canal favorito aqui.

Lobo disse...

Eu vivo um dia de cada vez. Mas juro que a velhice não me passa pela cabeça, porque eu vivo tanto tempo doente que não acho que vá viver para a velhice XD.

CIELLO disse...

putz....a gene vive e cada vez mais... me lembrou do outro doc Gent Silent! muito bom..

Lucas T. disse...

A menos que você tenha uma bela de uma aposentadoria contruida durante toda sua vida desde cedo ou que tenha seu próprio negócio ou propriedades/investimentos, sua velhice vai ser miserável e vc não vai poder trabalhar, pq os mais jovens vão te atropelar profissionalmente. É um fenonemo que sempre ocorreu mas que agora com pessoas vivendo até os 80, 90 anos é cada vez mais frequente.

Envelhecer é uma merda, tanto acompanhado quanto sozinho.

Papai Urso do Interior disse...

Há mesmo carencia de documentários sobre gays old school e como estão lidando c/ esse processo natural e irreversível. Com exceção do Parágrafo 175 que só assisti (embevecido e lacrimoso) recentemente, não tinha ouvido falar de mais nada. Todo gay que ferve aos 21-25 parece fugir do óbvio: que quem ñ envelhece, morre. Fico triste qd entro em alguns ambientes lgbt e percebo q o adjetivo "idoso" é usado p/ menosprezar ou fazer chacota. Não tomaria conhecimento de coisas assim se não fosse pelo seu blog, Luciano. Mais que parabens, um obrigadão vem bem a calhar.

CriCo disse...

Isso é o meu maior sonho atualmente. Acho lindos esses casais, que devem ter enfrentado todo tipo de barreira e permanecem unidos. Vide Madge Tony. Cansei de me divertir com os errados, quero me divertir com UM certo agora... ;)

Dimas disse...

Pois é...semana que vem completo 5.3 bem vividos e espero chegar aos 7.3 bem acompanhado (estamos juntos há 13 anos e esperamos continuar até sempre).

Cara Comum disse...

Hehehe... Meu namorido é mais velho e a gente pretende envelhercer juntinhos pra um poder lamber a gengiva do outro... kkkkkk

Agora é sério: tirando a parte do "lamber a gengiva", adoro homens mais velhos. Tô louco pra ter cabelo grisalho que eu acho um charme só...

Abraços!!

Paulo do Sul disse...

Gostei do vídeo. E a vida não acaba aos 40, esta é a pior ilusão gay. Aliás aos 40 e 50 se tem muita lenha ainda para queimar em todos os sentidos. A maturidade física( falta de viço, etc) chega aos 60 não aos 40.

Daniel disse...

Meu maior medo é justamente envelhecer solteiro. Nosso meio é bem cruel com quem passa dos 35. Quero achar um marido NOW (agora, em inglês)