quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Fé demais não cheira bem

Padre Cutié flagrado no maior amasso
Em maio de 2009 o padre católico Alberto Cutié sacudiu os alicerces da Igreja ao ser fotografado no maior amasso com uma mulher na praia em Miami. Cutié era considerado uma celebridade internacional e fazia muito sucesso na mídia principalmente pela cara de galã e pelo desembaraço, e ainda tinha um programa na televisão. Para se ter uma ideia do escândalo, é mais ou menos assim como se pegassem o padre Marcelo ou o padre Fábio de Melo de sunga na praia encoxando alguma loira oxigenada ou, melhor ainda, um encoxando o outro em uma sauna gay.



O padre gostosão acabou deixando a Igreja e casando com a moça da praia, hoje sra. Ruhama Cutié. Mas a história não para por aí. Alberto Cutié lançou oficialmente ontem o livro Dilemma: A Priest's Struggle with Faith and Love (algo mais ou menos como Dilema: O Conflito de Um Padre entre a Fé e o Amor). No livro o ex-padre acusa a Igreja de misoginia, e hipocrisia em relação à homossexualidade, e diz ainda que não passa de "uma instituição que continua promovendo ideias velhas".

E vai mais além: "Há uma quantidade tão grande de homossexuais, tanto praticantes quanto celibatários, em todos os níveis do clero e da hierarquia da Igreja, que a Igreja jamais conseguiria funcionar se todos fossem excluídos do ministério".

Alguém está surpreso?

9 comentários:

Daniel disse...

o padre da igreja que eu frequentava quando fiz catecismo tinha namorada e o bairro todo sabia. Até que o Méier era moderno nesse ponto e as matronas do bairro não se importavam muito.

ADRIANO disse...

Provavelmente a Igreja deve ser a organização mais hipócrita que eu conheço na vida. Durante séculos essa se tornou refúgio de gays enrustidos e covardes portadores de um dos tipos de homofobia interna mais maléficas que existe.

Nós aqui fora tomando lâmpada na cara e eles desfrutando de seu paraiso gay particular, e ainda incentivando indiretamente esse tipo de violência.

EU ADORO QUANDO ALGUÉM EXPÕE DE MANEIRA PORNOGRÁFICA AS VERDADES MAIS AMARGAS E NECESSÁRIAS.

TONY GOES disse...

A Igreja não parece se dar conta do risco iminente que corre. Acha que por ter sobrevivido dois mil anos vai durar para sempre. Não dou 50 anos para que aconteça uma mudança radical, tipo fim do celibato ou aceitação da homossexualidade. Caso contrário vai se tornar uma seita às margens da sociedade.

Cocada.g disse...

Acho que esse lance de celibato deveria se opcional. Acredito que ninguem se importaria que um padre fosse casado ou não. As igrejas evangelicas tem pastores e pastoras casados e com familias, e mantem tantos fiéis quanto a igreja católica. Acho que tentar lutar quanto o desejo de amar alguem é horrivel e ninguem deveria ser forçado a isso.

Abraços!

Luciano disse...

Um dos grandes problemas da Igreja em relação ao celibato está relacionado com "bens". Imagine esposas e filhos de padres falecidos entrando na Justiça para partilha de bens, direitos adquiridos, etc...
**

wilson disse...

Esse livro será vendido no Brasil? Procurei desesperadamente nos sites de busca e nada. Preciso saber!

[ joe ] disse...

Poxa, minha visão da igreja, e das religiões cristãs de modo geral, batem muito com a dele, quando ele diz que "não passa de uma instituição que continua promovendo ideias velhas". É bem assim que vejo a igreja Catolica, principalmente.

E de fato, não é surpresa sua ultima afirmação, mas gosto de como ele enfatiza que "a Igreja jamais funcionaria se todos eles fosse excluídos do ministério". Ta aí, uma outra forma interessante de analisar a hipocrisia da igreja.

[j]

Anônimo disse...

sim, o celibato é opcional, quando vc decidi em ser padre vc tem que já ter a conciencia que vai largar tudo isso
casamento,familia,amigos, e muitos então não critiquem nós catolicos pq é opinião nossa pois escolhemos não casar-se.pois não juguem pq só Deus poderá jugarmos. Se Deus não me ama por ser padre e ter dexado de se casar é somente ele que vai me disser.

Vivendo disse...

Penso q a igreja Católica, atrai os homens que são oprimidos por seus pais e que tem vergonha de assumir sua sexualidade perante a sua família por sentir atração por outros homens, e ter recebido de seus pais carinho demais ou de menos e encarar isso perante familia, amigos e algo duro e complicado..la entre eles existe uma disciplina q pune até q com o tempo náo tem mais efeito...e eles passam a ser expor e perder a pró
pria dignidade e trazendo escândalo...nada com a fé...como um padre pode falar de paternidade...se não teve um bom pai...e nunca será um....