quinta-feira, 3 de março de 2011

Isto aqui agora virou lugar de boiola?

Ti-ti-ti está em seus capítulos finais, o que significa que está chegando a hora de Julinho (André Arteche) e Thales (Armando Babaioff) pararem de ficar fazendo cu-doce porque ninguém aguenta mais tanta indecisão. Esta fase de não-dá-nem-desce está ficando muito comprida. Mas como Maria Adelaide não costuma dar ponto sem nó, o final promete compensar a espera.

Enquanto isto Insensato Coração começa a engrenar a cruzada contra a homofobia, e já mostrou ontem um primeiro ataque homofóbico do personagem Kléber (Cássio Gabus Mendes) que entra em um bar, vê alguns gays e já solta "Isto aqui agora virou lugar de boiola, hein?!"

A cena foi bastante didática, terminando com um discurso do personagem Roni (Leonardo Miggiorin). Achei que tudo ficou em um tom assim meio institucional sala-de-aula, mas a mensagem foi muito boa e a oportunidade também. Principalmente considerando que havia milhões de bofes da seita do Marcelo Dourado assistindo à novela enquanto esperavam pelo futebol de quarta-feira que começou dez minutos depois.

(Se o seu browser não reproduzir o vídeo, a cena pode ser vista aqui).


12 comentários:

S.A.M disse...

Eu sempre perco essas coisas porque tô na faculdade essa hora...

Fantástico!

Rafa disse...

Que coisa boa! Super-didático mesmo, mas tem coisas que precisam ser assim pra ver se entram nas cabeças duras...

Bj

Anônimo disse...

Quando foi mesmo que tv e novela viraram escola, dando aula do politicamente correto? Triste do país em que o veículo de comunicação não é reflexo da sociedade, mas telecurso de civilidade.

Papai Urso do Interior disse...

A tv q.c.v. tá boiola plastificada, porque tem pencas de personagens gays só pra ser laboratório de ator que qd dá entrevista teoriza que o gay é fantástico, um personagem que TODO ator DEVE ter no currículo..., poucas cenas a gravar, sempre no núcleo do humor, sempre o cabeleireiro, o maquiador, o estilista, o produtor de moda, quando muito o fotógrafo, mas aí tem sempre alguem que diz mas isso é muito 'homenzinho', o público quer rir com essas bee e por aí vai.. palavra de quem já ouviu conversa de produdor de novela, argh, vomitei! Rede Globo, stop it, não faça média conosco, solta um beijo gay numa novela digna que ñ seja remake nem do Gilberto Braga, que tal João Emmanuel Carneiro? TODAS BEE MERECE O CARA DE COBRAS E LAGARTOS E A FAVORITA, REDIMA-SE TV BRASILEIRA!!!

Rodrigo disse...

valew por compartilhar.

SG disse...

Perfeito!

CIELLO disse...

de fato foi didático. aguardemos oq vem por ai... falta só deixarem a hipocrisia e liberarem um beijo gay

Anônimo disse...

Os diálogos foram muito ruins...a Maria Adelaide dá um banho nisso, mas de todo modo é muito valido

Lobo disse...

Achei o diálogo meio over the top. Não acho que, numa situação dessas, alguém consiga elaborar um discurso tão longo, pausado e didático. Mas tá valendo!

Anônimo disse...

vendo de maneira assim bem superficial thales e julinho tá prá lá de chato, mas maria adelaide sabe muito bem o que tá fazendo, tem respeitado o horário das 7 que é cômico, e até colocou cláudia raia como uma aliada, mas tem mostrado através de thales uma situação que se arrasta há séculos: gays no armário casados com mulher. se duvidar tão importante ou mais do que simplesmente mostrar um outro romance gay( já que o julinho-osmar já serviu e muito bem a esse propósito). na últimas cenas thales tem tentado fazer a linha hetero de dia e gay à noite. tenho escutado coisas nessas cenas que nenhuma tv ousou dizer. puxões de orelha em milhares de pessoas que escolhem essa vida dupla.
já quanto à cena de insensato foi chata como tem sido a novela como um todo.

Anônimo disse...

Acho o Julinho um personagem super do bem que de uma hora para outra virou um verdadeiro mala.
Um carinha tão bacana não teria mesmo que ajudar e dar um tempo para o outro ir processando tudo isso e, aos poucos, ir descobrindo o que quer para si?
Pow, o cara é um gato e, sinceramente, tem milhares de homens vivendo a mesma situação.
Qual o problema de não seguir um padrão e não ser tão bem resolvido?
Cada um com o seu cada um... Respeito a opção de todo mundo, inclusive de não querer seguir um padrão.
Já que ele não consegue aceitar que milhares de homens podem viver a mesma situação que a do Thales, isso para mim é prova de que ele não é tão tolerante assim.
Agora, um cara tão bem resolvido com a própria sexualidade pode ser tão intolerante assim em relação a sexualidade dos outros?
Acho estranho...
Gui.

Cara Comum disse...

Eu acho que a Maria Adelaide mudou o personagem Julinho pra dar conflito, como disse o anônimo (Gui) acima. E é por essas e outras que não tenho saco pra novela.

Sobre a cena didática, creio que existiria mil fomas de passar o recado de uma forma melhor. talvez, por ter ficado tão artificial, essa cena não atingiu o objetivo de sensibilizar quem assiste...

Tô muito pessimista??

Abração!