sexta-feira, 11 de março de 2011

Os graus do processo de se assumir

Um homem gay tímido pode realmente se sentir constrangido ao lado do namorado muito atirado. Por isso faz muito sentido o argumento do personagem Julinho (André Arteche) na cena de hoje (mostrada abaixo do texto) de Ti-ti-ti para não aceitar o amor de Thales (Armando Babaioff). Thales é muito tímido - a timidez excessiva pode ser um entrave para quem pretende viver uma vida às claras.

Este mesmo argumento foi utilizado na primeira temporada de Brothers & Sisters. O Scotty não tinha problemas em demonstrar afeto em público. O Kevin, apesar de assumido para a família,  não se sentia à vontade com demonstrações de afeto em público. Por isso eles discutiram e se separaram. Depois ficaram novamente numa boa e até acabaram se casando na terceira temporada, e estão juntos até hoje.

O casal gay de Modern Family passa pelo mesmo. O Cameron é mais atirado e o Mitchell mais tímido. O segundo episódio desta segunda temporada foi exatamente "The Kiss", que explicava as razões para Mitchell ser esquivo a demonstrações de afeto em público.

De qualquer forma, é claro que na novela, antes do final feliz no último capítulo, é preciso criar assuntos para que a trama se desenvolva. E é interessante que em um programa das 7 da noite esteja sendo discutido este assunto dos diferentes graus do processo de se assumir. Como a torcida é para que os dois terminem juntos, as pessoas inconscientemente torcem para que o Thales ache as forças necessárias para avançar no processo de se assumir para finalmente ser feliz.

11 comentários:

David ®... disse...

Entendo o Julinho perfeitamente, mas tb acredito q ele, com essa atitude, tá perdendo uma grande oportunidade. Não se trata de carregar o outro nas costas mas sim de dar aquela famosa força pro cara. Afinal, em todo relacionamento, em algum momento, um parceiro sempre acaba ajudando o outro, não é?.
Bjão

Rodrigo disse...

concordo com o David, e é uma pena não poder acompanhar o folhetim

CIELLO disse...

a Globo faria um bem necessario se colocasse logo um beijo gay no ar. Quebraria muitos tabus e deixaria as claras que existe amor entre pessoas do mesmo sexo... tanto na ficçao como tentativa de refletir um cotidiano.

Rafa disse...

Pena que eu não acompanho, o texto é ótimo!

Bj

Anônimo disse...

Tenho uma opinião um pouco diferente. Permita-me compartilhar:
Não acho que uma pessoa precisa se assumir para ser feliz.
Conheço pessoas que, assim como eu,não são assumidas e esbanjam felicidade por todos os lados.
Poder manifestar publicamente algum tipo de sentimento e comportamento pode ser importante para alguns e para outros não. Saber viver bem com essas diferenças é que torna a vida feliz.
Gui.

Cara do ES. disse...

Não sou assumido perante a família, mas curto caras do estilo de Thalles, meio vergonhoso, meio na dele....
Pelo menos eu acho bom ter um relacionamento assim, parecendo ser "amigos"..
traduzindo: um relacionamento discreto perante aos outros.

Dimas disse...

Sempre tive relacionamentos duradouros, o atual já dura 13 anos, e nunca senti necessidade de demonstrar afeto em público. Nunca precisei disso, acho que a discrição tem que estar sempre presente. Afeto se dá entre na intimidade, não em público...
Não é a questão de assumir ou não, apenas ser discreto, não dar bandeira.

David disse...

Bonitinhos eles...

Anônimo disse...

existe um forte rumor a bastante tempo que o caio castro é bi? alguem sabe algo? babaiof sim, pitombo sim, arteche nao sei!algum outro? marrone??

Anônimo disse...

Concordo com a opinião do David aí de cima, e do anônimo que diz que não precisa ficar demonstrando afetuosidade em público saber viver eis a questão.
Ricardo-DF

thyagoloppez disse...

lindo