quinta-feira, 29 de julho de 2010

Homens superlativos

Meu falecido amigo Hernâni costumava dizer que os gays vivenciam emoções com muito mais intensidade - uma teoria que nunca conseguimos provar apesar de os exemplos práticos abundarem entre os amigos. Segundo ele, era devido à repressão que os gays precisam normalmente imprimir a seus sentimentos que, quando liberados, os faziam explodir feito um vulcão avassalador.

Um dos sintomas que ele costumava apontar para comprovar sua teoria era o fato de os gays serem adeptos de superlativos para descrever algo. O produto não é muito caro, é caríssimo! Ela não é chata, é chatérrima, ou melhor ainda - chatésima!!!! De preferência assim mesmo, com um monte de exclamações. Homens héteros raramente usam superlativos.

Mas era no comportamento amoroso dos amigos que a gente mais encontrava confirmações para a tal teoria. E o nosso amigo Serginho fornecia, sozinho, material para uma verdadeira tese de doutorado para validar a tal doutrina. O Serginho era daquele tipo que costumava ligar no meio da noite chorando para tirar uma pequena dúvida: ele não sabia se cortava os pulsos ou se pulava do 15º andar. O namoro de 3 meses, 2 semanas e 4 dias tinha acabado. E justamente no dia seguinte àquele jantar que eles deram para todos os amigos para comemorar os 3 meses, 2 semanas e 4 dias. O mundo acabou. Ele estava ligando só mesmo para se despedir e para desculpar qualquer coisa.

O pior é que depois de uma ou duas semanas, quando a gente começava a ficar preocupado com o sumiço dele, chegava a notícia: "Estou aqui em Ilhabela com um cara ma-ra-vi-lho-so que eu conheci na boate na semana passada. Finalmente encontrei minha alma gêmea, o amor da minha vida, estou apaixonadíssimo!" E a gente sempre pensava "quanto tempo será que vai levar para ele me ligar no meio da noite desta vez?".

Perdi o contato com o Serginho há vários anos. Mas tenho certeza que ele não cortou os pulsos nem pulou do 15º andar. Muito provavelmente está, neste exato momento, em lua-de-mel. De novo.

3 comentários:

Diego disse...

Assunto complexo. Adoro essas abordagens leves.

Hugo B. disse...

Invejo pessoas que vivem apaixonadas (apesar do drama querr do Serginho).

Introspective disse...

Ser bee é saber se reinventar a cada dia, mas tem gente que leva isso ao extremo... ;)