quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Amigo de fé, irmão, camarada


O grande sucesso do Roberto Carlos está intimamente ligado à falta de sobressaltos. Entra ano e sai ano, entra década e sai década, todo mundo sabe o que esperar. Roberto Carlos é a personificação da mesmice, um dos valores mais arraigados na tradicional família brasileira.

Por isso é bastante significativo o seu apoio público ao casamento entre homossexuais anunciado no Programa do Jô que deve ir ao ar em breve. Sinal que os valores da tradicional família brasileira também estão mudando.

"Todo ser humano tem direito a felicidade. Se um gay casa com outro e não me causa problema algum, sou a favor. Porque ser contra o que é felicidade é loucura. São pessoas do mesmo tipo que nós. Temos que parar com esse tipo de preconceito", disse o cantor. É isso aí, meu amigo de fé, meu irmão, camarada.


ATUALIZAÇÃO EM 17/09/2011: Agradeço ao amigo Eduardo pela publicação do trecho da entrevista, que incluo abaixo:

11 comentários:

Mike disse...

Ninguém é Rei a toa!!!!

Dan disse...

isso mostra que a mesmice dele tem limite.
gostei!

Papai Urso do Interior disse...

C***lho!! Achei um avanço f.d.p. da parte dele, porque passando um raio-x no currículo real de sua majestade, apesar dos excessos e da breve fase rocker da jovem guarda, basicamente quase toda sua vida artística foi tradicional-chatinha-comportada, e do final dos 70 pra cá o corte de cabelo e as roupas são praticamente a mesma coisa, o cara é católico ferrenho como sua ex-Myrian Rios (ou a vadia do "vivemos numa democracia e eu sou preconceituosa, dá licença?!"). O repertório que por vezes foi até de protesto ou "up music" na minha infancia anos 80 ("Verde e Amarelo", "Evidências", "Amazônia" etc. etc.), na atualidade converteu-se em hinos de autoajuda motivacional (já versou sobre gordas, taxistas, idosas, baixinhos) ou ainda trilha sonora de missas ao ar livre... Já gostei mais do RC, influencia direta de minha mamã e guilty pleasure da pre-adolescencia, tem composições dele (muito boas) que são cult entre alguns artistas, mas só vão virar mito mesmo quando ele fechar os olhinhos (mesmo que aconteceu c/ Raul Seixas que era considerado "maldito"). Bom temos de reconhecer que esse apoio é fofo e pode lhe custar muitos fãs fundamentalistas que c/ certeza ele tem. Achei digno de rei.

CriCo disse...

Jamais imaginei tal declaração vinda dele, já que é tão católico. Não virei fã (prefiro a fase 60/70) mas com certeza ganhou vários pontos da minha pessoa.

marcos guinoza disse...

Roberto é Rei porque, em parceria com Erasmo, compôs algumas das mais belas canções da música popular brasileira. Ao apoiar o casamento gay, ele atinge diretamente as senhoras católicas que curtem sua música e respeitam sua fé. Valeu, Roberto. Como disse o Mike, "ninguém é Rei à toa".
Abs.

S.A.M disse...

Quando li, caí da cadeira.

Melhor a quebra de mesmice dele que a da Sandy.

Vou confessar, sempre ouvi Roberto, e sendo religioso ele como é, essa frase é muito mais que um marco.

TONY GOES disse...

Não é a primeira vez que Roberto Carlos se declara favorável ao casamento gay. Mas esta declaração na TV vai ter mais repercussão que as anteriores, que bom.

Cara Comum disse...

Se eu já amava esse cara...

Anônimo disse...

Jogada de assessor de imprensa. Ponto pro assessor, porque o povo caiu direitinho. Papagaiada

Papai Urso do Interior disse...

Dormi 2 e pouco da manhã, assisti toda a entrevista só dando play no MUTE quando Jô lhe pedia que cantasse as músicas da fase mais recente que eu detesto, mas tb cantou seus standards (olha que chique, que coisa mais Presley, mais Sinatra, mais Bennett, quem mais senão ele?). Não vejo lance nenhum de assessor, o cara tem 50 de carreira, 70 de idade, tá nem aí pro mundo e pra quem fica fritando ele na mídia, tem boeing, iate... o escambau, carreira consolidada dentro e fora do Brasil, não deve nada a ninguem, ou seja, tá curtindo o tempo de dizer o que pensa sem precisar ficar se justificando por dias e dias (o mesmo que fez FHC de forma brilhante recentemente). RC foi incrível c/ a plateia, se soltou, falou das neuras do TOC c/ bom humor, que não é católico ortodoxo como muita gente pensa, riu de si mesmo o tempo todo e na questão dos gays foi mais além e disse que ninguem deve adiar sua felicidade por conta dos outros. Lindo, ninguem faria melhor! Digno de rei [2].

Bruno Malta disse...

Gosto do RC. Gosto da fase 60/70 e até mesmo de algo early 80´s. Indiscutivelmente ele sempre me pareceu um sujeito muito tranquilo e de idéias pacificadoras... portaanto seria surpresa se ele pregasse a intolerância! Já este Jô Soares... por favor! Qualquer criança de 4 anos sabe que dos teletubbies, o Jô Soares é o Tinky Winky... e no entanto ele vive fazendo piadinhas ridículas sobre gays... como se ele não fosse! Essa do "nao me afeta em nada desde que eu não seja padrinho"... soa péssimo! E as pessoas da platéia dão risada por que o consideram "cult". Já tem muito tempo que eu desistí de assistir o programa do Jô, e certamente as piadas ridicularizando ou afastando gays (como esta que ele fez na entrevista do RC) estão entre os meus motivos para mudar de canal!