terça-feira, 6 de setembro de 2011

Nunca vi rastro de cobra nem couro de lobisomem

Um dos maiores benefícios da recente visibilidade conquistada por todos os espectros das diferentes sexualidades é, sem dúvida alguma, a coragem que muitos têm tido de se assumir e mostrar a cara - coisa impensada num passado recente. Tome os transexuais, por exemplo. Até bem pouco tempo atrás ninguém nem imaginava que era possível que alguém pudesse nascer no corpo do sexo errado. Mas nos últimos tempos, do participante no Big Brother argentino a Lea T., a exposição positiva de transexuais tem ajudado a desmistificar estas pessoas tão mal compreendidas.


Nesta semana, Chazz Bono, o filho da Cher, está no centro de uma grande polêmica nos Estados Unidos depois de ter confirmado sua presença no programa Dancing With The Stars. Grupos conservadores acham que a presença do rapaz que já foi menina vai incentivar a "prática do transexualismo". Tá bom. Eles acham que as crianças vão olhar para ele e subitamente desejar trocar de sexo. Não tem nem como responder a isto.

Da Austrália, outra surpresa. Paige Elliot Phoenix, candidato no programa The X Factor, confessa, para surpresa de todos, que já foi mulher e está completando a transição para a forma masculina.

11 comentários:

O filho da Chiquita. disse...

o avanço foi grande mesmo mas o mentalidade de alguns ou estagnou ou não avançou na mesma proporção.

DPNN disse...

Também teve a Ariadna no Big Brother daqui.

Acho que o avanço social acompanhou o avanço científico, na medida em que surgem explicações racionais para os fenômenos que as pessoas veem no cotidiano - inclusive a transexualidade.

FOXX disse...

pois é, as pessoas acham q uma dismorfia sexual como a transexualidade e a interssexualidade são coisas que vc decide fazer... ignorância.

Cara Comum disse...

Gente, esse povo tá certo!! Não é ignorância não!! Depois que eu vi essas notícias também me deu uma vontade dukaray de trocar de sexo... Acho que vou virar homem... rs

Abraços!!

RICARDO AGUIEIRAS disse...

Tenho muito medo de falar uma coisa e ser , novamente, queimado em praça pública. Claro que, para mim, há @s transexuais e ponto. E o SUS têm que atender toda a demanda dessa população. Mas vejo também, entre as trans e travestis que conheço uma busca pela heteronormatividade. E , veja, quem me chamou a atenção sobre isso foi justamente uma travesti transgressora, que infelizmente já faleceu: Cláudia Wonder. Ela falava sempre: Por que um homem não pode ser feminino? Por que uma mulher não pode ser masculina? Repito, sei que as questões são muito mais profundas, eu sei. Mas acho, também que , em algumas pessoas as operações visam uma aproximação às possibilidades "homem x mulher", mas posso estar errado.
Beijos,
Ricardo Aguieiras
aguieiras2002@yahoo.com.,br

Dimas disse...

Rastro de cobra já ví muitos aqui no Ceará , em nosso terreno...ainda quero ver couro de lobisomem.

Papai Urso do Interior disse...

...Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come...

Anônimo disse...

mas o nome desta música é qual mesmo? help

Luciano disse...

@Anônimo:
O nome da música é "Homem com H". Por isto eu selecionei este trecho para servir de título à postagem.
**

railer disse...

muito bem escrito, luciano.
linda história.
valeu!

raileronline

[ joe ] disse...

é emocionante ele contando, né? é bacana que o assunto seja explorado mesmo, taí um dos lados positivos dessa coisa toda.
e ele é um gracinha, né? e mora não muito longe de onde eu estou, alguns kilometros ao sul da Gold Coast.

[j]