quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Lidando com a morte na novela

As novelas brasileiras são, no geral, um produto muito bom. E mesmo sem ter feito nenhum curso é possível apontar as várias formas de interpretação, desde o jeitão escrachado e mais caricato dos personagens dos núcleos cômicos até a interpretação mais contida dos atores dos núcleos sérios que lidam com os grandes dramas do roteiro.

Mas tem uma coisa que até hoje eu não consegui entender como a teledramaturgia brasileira ainda não aprendeu: as cenas de alguém recebendo uma notícia muito ruim - de alguma morte, por exemplo. Todos os resultados que tenho visto são, para mim, risíveis. Por que será que o personagem grita, esperneia, estrebucha, e se debate daquele jeito? E fica repetindo "diz que não é verdade!!". Sinceramente, me dá vontade de rir.

Eu já recebi e já dei notícias muito tristes. Também já vi outras pessoas recebendo notícias terríveis. A primeira sensação é normalmente de incredulidade. A pessoa fica parado por alguns segundos esperando um desmentido, como se aquilo fosse só uma pegadinha. Logo se dá conta de que o assunto é muito sério para ser motivo de piada. Aí vem uma espécie de estado de choque. A pessoa pede mais detalhes, fica com um nó na garganta, as pernas falham, vem um aperto enorme no peito, uma sensação de desorientação, a voz falha, vem um princípio de soluçar, talvez um choro contido ou descontrolado. Mas sair gritando com as mãos para o céu? Só na novela.

E não é só coisa de gente pobre escandalosa. Insensato Coração teve uma cena com o Jônatas Faro no velório da mãe que ficou involuntariamente cômica. Pensei até que ele fosse derrubar o caixão da falecida, tamanha a comoção. Tudo bem que ele é um ator inexperiente (eufemismo para canastrão), mas o diretor deve ter pedido aquilo e acho que nenhum outro ator teria conseguido salvar a cena.

O pior é que acabaram lançando uma moda. Muita gente vê aquilo e deve achar que é normal. Quando há coberturas de grandes tragédias nos telejornais a gente percebe que muita gente começa a gritar e se espernear quando as câmeras se aproximam. Mas, grito e choro escandaloso nunca foram parâmetros para se avaliar a dor.

6 comentários:

João Pedro disse...

Não sei não, Lu. Eu já dei várias notícias ruins e também presenciei muitas transmissões do tipo. Realmente há um momento de choque, mas na maioria dos casos a pessoa fazia um escândalo.


Sempre me lembro do velório de meu avô. Minha avó chorava tão alto e gritava tanto que eu tive muito, muito, muito medo. HAHAHA

Papai Urso do Interior disse...

No jornalismo é o inverso, nenhuma emoção que denote que o apresentador é humano ou que pode, eventualmente, ficar estarrecido com algo. Exemplo: Fátima Bernardes olha pra camera e dispara "hoje no estado fulano de tal uma criança de 11 anos foi encontrada num cárcere onde por três anos foi torturada por uma empresária que lhe aplicava choques, a mantinha amarrada e arrancava suas unhas com alicates ao mesmo tempo em que a fazia lamber pimenta e apagava cigarros em seu corpo..." (sempre com cara plácida e sobrancelhas erguidas como uma diabólica vilã de fairy tale), corte abrupto e no momento seguinte vira p/ outra camera, abre um sorrisão e diz "e o Brasil se classificou p/ as semifinais..." Alguém entende isso, porque pra mim ó, tá difícil... A qualidade das novelas caiu porque diretores agora são estrelas e tem seu proprio núcleo, são sempre queridinhos de algum autor, que por sua vez tem sempre o mesmo elenco escalado e salvo raras exceções, contam sempre a mesma historia.

Anônimo disse...

"Mas sair gritando com as mãos para o céu? Só na novela."

NOT

Já vi muitoooooo escândalo e muita mão na cabeça de quase arrancar os cabelos, gritos estridentes e descontrolados. Talvez este escandalo na novela, seja para mostrar o quão o personagem está chocado com a noticia. Conter-se é sempre ligado a frieza, daí não convence o telespectador.

Daniel disse...

Eu já comecei discordando da 1ª frase. A última novela que eu acompanhei foi Pedra sobre Pedra.

Luciano disse...

Oi, @Daniel:
Foi por isso que eu usei a palavra "produto". Eu também não gosto de todas as novelas. Mas elas têm audiência invejável, influenciam costumes e se vendem no mercado internacional. São um ótimo produto das emissoras de TV.
Abraço,
**

Cara Comum disse...

Adoro o Papai Urso do interior... Hahahahaha

Um dos dias mais cômicos da minha vida foi o dia do enterro da minha vó. É mesmo engraçado ver as pessoas não sabendo lidar com a situação...

Abraços!!