segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Você aceita se unir civilmente comigo?

Algumas pessoas acharam que oferecer uma alternativa meia-boca de união para os gays - a tal "união civil" - calaria a boca desse pessoal barulhento e os faria parar com esta maldita insistência de redefinir o casamento, esta instituição que deve ser reservada apenas para um casal de primeira classe formado por um homem e uma mulher.

O vídeo abaixo usa de bastante sarcasmo para esclarecer definitivamente que "união civil" e "casamento" não são a mesma coisa. Minhas cenas favoritas: o rapaz pedindo de joelhos "você aceita se unir civilmente comigo?" e a mocinha romântica: "meus filmes favoritos são todos sobre união civil: Quatro Uniões Civis e Um Funeral, .... (etc)"

Tem vezes que o sarcasmo é a melhor arma!

4 comentários:

Gui disse...

"O humor mata mais que a homofobia", já dizia os DPNN.

;)

Daniel disse...

O pior é que o já ultrapassado projeto da Marta só equipara a "união civil" à união estável. só que desde 2003, a união estável perdeu um pouco o status de "equiparada" ao casamento. a pobre da companheira, por exemplo, se deu mal na partilha dos bens, caso o companehiro morra e tenha filhos ou pais vivos, comparada a um 'casamento de papel passado'.
Isso porque o atual Código civil, na parte de direito de família e sucessões, levou mais de 30 anos para ser votado. As leis soltas que tinham antes eram mais modernas que o código que foi aprovado depois.

E o projeto da Marta, se aprovado hoje, só ia permitir justamente esse casamento de 2a classe. Melhor do que nada? deixo a pergunta no ar...

beto disse...

Eu sou dessas pessoas que acha melhor uma união civil meia-boca do que NADA.

Se nem um projeto meia-boca consegue ser aprovado, quem dirá algo além?

Sou adepto de ir comendo pelas beiradas, deixar o povo ir se acostumando com a ideia e ir progressivamente aumentando os direitos.

sabe aquele ditado "o ótimo não pode ser inimigo do bom"? Acho que se aplica nesse caso. Prefiro ficar com o BOM agora e ir me posicionando para o ÓTIMO mais pra frente do que ficar anos no RUIM.

Acho que a blogaysfera está muito fechada no seu mundo e não quer enxergar a realidade: somos uma minoria, malvistos por muitos. Isso é injusto? Claro. mas não adianta ficar tentando alcançar o nirvana e deixar passar oportunidades que significam algum avanço para nós. A política do tudo-ou-nada é derrota na certa.

Além do mais, somos ALTAMENTE desmobilizados para defender nossos interesses. Se um ataque à base de lâmpadas levou umas poucas centenas de pessoas à Paulista e ao Mackenzie - enquanto um Acquaplay by TW na mesma semana leva 8000 pessoas pros confins da periferia da Grande São Paulo e o Hell & Heaven levou 2500 pro Sauípe - me parece que não tem muita gente no mundo gay interessada em brigar pelos seus direitos.
[P.S. nada contra se divertir - tb faço isso - mas não custa tanto assim dedicar uma parte do tempo à outras causas]

[ joe ] disse...

De fato. Tem horas que essa briga cansa, e é melhor parar pra rir um pouco.

[j]