segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

O Oscar e o futebol

Eu nunca consegui entender a paixão irracional dos homens fanáticos por futebol. A idolatria pelo time, as discussões intermináveis sobre se estava ou não impedido, e a impressionante memória para lembrar a escalação de todo o escrete do Corinthians naquele jogo contra o Piracicaba numa tarde de sábado de 1992. Francamente, isto é demais para a minha cabeça.

Mas acho que consegui encontrar um paralelo no mundo gay. O futebol do mundo gay é o Oscar. Nas últimas semanas eu presenciei a paixão irracional pelo cinema sacudir os fanáticos com a mesma intensidade que a bola sacode a rede na hora do gol. E ouvi comentários tão insensatos e absurdos quanto os proferidos pelos torcedores do Corinthians ou do Piracicaba.

Ouvi amigos saindo do cinema depois de O Cisne Negro decretando que estava ali o vencedor do Oscar. Mas quando questionados sobre como este filme se compara com os demais concorrentes não sabiam responder pelo simples motivo de não terem visto nenhum dos outros. Hello-o-o-o!!!

O filme que a gente acha que deve ganhar é sempre aquele que a gente adotou por puro gosto pessoal. Só isso. Opinião pura e absolutamente pessoal. Quando alguém escreve que houve injustiça, isso só significa mesmo que o filme que ganhou não foi o que ele queria que ganhasse. Basta comparar os palpites publicados por quem entende de cinema e que realmente viu todos os filmes e ver que não há o menor consenso. Exatamente como no futebol, em que o time que deve ganhar é sempre o time para o qual se torce independente de como ele jogue.

De qualquer forma, eu, pessoalmente, não gostei nem de O Cisne Negro nem de A Rede Social - achei ambos muito chatos. E adorei O Discurso do Rei. Então estou contente que o meu gosto pessoal tenha coincidido com o resultado.

Agora, de tudo isto, só não entendo porque a Rede Globo continua comprando os direitos de transmissão para apresentar aquela porcaria vergonhosa que ninguém assiste mesmo. A transmissão já começa no meio da festa. O foco principal são os dois comentaristas no estúdio, com José Wilker fazendo cara de José Wilker e dizendo obviedades do tipo "este filme é muito bom mesmo". Pelo menos as transmissões do futebol demonstram mais respeito pelo espectador.

11 comentários:

Lucas T. disse...

Agradeço a TNT e ao áudio original pela graça alcançada.

João disse...

para mim o paralelo gay ao futebol é o concurso de miss!

Papai Urso do Interior disse...

Adorei o Wilker fazendo cara de Wilker e dizendo obviedades, não é que o danado só consegue fazer isso mesmo por duas longas horas?! rsrsrs... Arrebatado por cinema mas nem tanto, nada de ser xiita c/ coisa alguma. Adorei o Colin Firth para Melhor Ator, tb.

Anônimo disse...

Realmente a transmissão da Globo é uma vergonha... E ainda preferia a Rede Social como vencedor, um filme que se apóia em sua história e seus personagens... Uma pena. A cerimônia mais chata que já vi em anos acompanhando a premiação... Outra vez, uma pena.

Rafa disse...

Eu estava torcendo pelo Natalie. Só vi Cisne Negro e o Discurso do Rei que adorei. E José Wilker ninguem merece...

Anônimo disse...

Caramba! Tem uma porção de coisas que a maioria dos gays gostam e que eu não dou muita importância... Há algo errado comigo?!

Daniel disse...

Gosto mais de futebol do que de Oscar. Onde eu me desfilio?

CIELLO disse...

Concordo em todos os pontos... sou passional... e com certeza defenderia meu ponto de vista mas nunca sem conhecer os demais... idem para qq outra coisa dessa vida que a gente segue!

AD disse...

além dos filmes em si, tem os vestidos das atrizes, rsrs.

Papai Urso do Interior disse...

Tb acho que o equivalente gay pode ser concurso de miss, mas ñ nos esqueçamos dos desfiles de escolas de samba, afinal os carnavalescos gays ficam uma cooooisa numa pilha de nervos de foder qualquer um à sua volta, só conseguem falar de seus malditos adereços, alegorias, carros com estátuas cafonérrimas, rsrsrs... passam o ano só focados nisso... rsrsrsrs...

Anônimo disse...

Futebol acho um saco detesto, bem como corrida de carro, um saco, tem outros esportes mais interessantes, quanto ao Óscar virou uma porcaria, antigamente bem antigamente a Globo mostrava desde o início, agora esse lixo, ainda mais depois do maldito BBB lixo, só gosto da parte onde eles lembram quem faleceu in memoriam.
Quando o Rubens Evald Filho falava comentava era ótimo, tanto na Globo como no SBT, mas agora está insuportável. Só liguei a TV quando começou, ou melhor reprisou!
Ricardo-DF