segunda-feira, 18 de julho de 2011

O livro sagrado

Depois de muitas guerras e catástrofes naturais grande parte da história estava perdida. O passado foi pouco a pouco sendo recuperando em escavações ao redor do mundo. E a humanidade voltou a ter esperança quando foram encontrados os escritos que descreviam a vida daquele Homem bom que vivera na Terra há muitos séculos e oferecera a própria vida para assegurar que o Bem triunfasse.

Os escritos vinham dos quatro cantos do planeta, em várias línguas, alguns até em idiomas já extintos. Foram sendo juntados para formar livros completos, e toda a humanidade passou a seguir as escrituras sagradas e a pautar suas vidas pelos ensinamentos daquele Livro e daquele Homem. O ano era 3.580 e o nome do Homem era Harry Potter.

12 comentários:

Paulo Braccini - Bratz disse...

Total falta de paciência com este tal de Harry Potter ... OMG!

marcelo disse...

Hehehehehe. Ótimo!!

AD disse...

a humanidade tem sempre a necessidade de seguir algo, problema são os dogmas gerais e abstratos com película de verdade absoluta.

S.A.M disse...

Sob o ponto de vista da crença em Harry Potter sou um ateu convicto! haha

#oremos

FOXX disse...

hauahauahua
ótimo
tow imaginando agora as pessoas encontrando os livros...
hauahuahaua

o Humberto disse...

Hehehe, eu ri Luciano. E faço minhas as palavras do S.A.M.

Abraço, bom dia!

((ADRIANO)) disse...

Eu entendi seu post como uma crítica ao fundamentalismo, hipocrisia e cegueira cristã; e não a Harry Potter. Mas posso estar enganado...

Vamos admitir, essa escritora tem seus méritos, ela conseguiu fazer crianças lerem livros da grossura de bíblias com o mesmo entusiasmo que um adolescente "lê" uma playboy.

E isso num tempo de videogame,computador, internet, dvd, TV. E não foi um livro foram 7.

Matì disse...

De fato,
concordo com o Adriano.

E acrescento: além de familiarizar a criança/adolescente com o livro, faz referências a outras leituras, livros, nomes,...
Então, apesar de não me interessar por esse tipo de leitura, acho bacana...

Luciano disse...

Isto mesmo. Eu não sou grande fã de Harry Potter, mas também não desgosto. O texto é uma crítica ao fundamentalismo, hipocrisia e cegueira cristã, e não a Harry Potter.
Abraços,

((ADRIANO)) disse...

Luciano,

Eu nunca li um livro do Harry Potter, vi alguns dos filmes e gostei.

Mas vou lhe confessar que tenho GRANDE CURIOSIDADE para ler pelo menos um, só para descobrir qual o DOCE que tem nesses livros para levar milhões de crianças no mundo a ficarem plantadas em frente a livrarias para comprá-los.

Por que se você pudesse enumerar coisas que criança gosta de fazer espontaneamente, ler e tomar remédio seriam uma das últimas posições.

Um abraço pra VOCÊ e outro pro MATI.

Thiago disse...

Harry Potter foi um achado precioso para quem pôde ler os livros (ou ver os filmes) na infância ou na adolescência.
Quem conheceu Harry já sendo adulto muito dificilmente se apegará à história, por isso não me espanta que tenha tanta gente "sem paciência".
Mas todos hão de convir que a obra de J.K. Rowling possui seus méritos.

Cara Comum disse...

Quando comecei a ler o post já senti o gosto da ironia que estava por vir... hehehe