segunda-feira, 4 de julho de 2011

Preconceito de homofóbico o faz chafurdar no ódio

A frase do título é do ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal, em entrevista publicada hoje na Folha de S. Paulo (aqui para assinantes Folha e UOL). Na entrevista o ministro defende publicamente a criminalização da homofobia e esclarece sobre a interpretação do STF que permitiu a equiparação das uniões estáveis homoafetivas às uniões heteroafetivas.

Alguns trechos da entrevista são dignos de nota:

Miguel Roncato
"Se nós, os homens, engravidássemos, a autorização para a interrupção da gravidez de feto anencéfalo estaria normatizada desde sempre".
...
"...no caso da homoafetividade, interpretamos os artigos da Constituição na matéria à luz de princípios como igualdade, liberdade, combate ao preconceito e pluralismo."
...
"A isonomia entre uniões estáveis heteroafetivas e homoafetivas é para todos os fins e efeitos. Em linha de princípio, é isso. Assim foi pedido pela Procuradoria-Geral da República quando propôs a ação. Não pode haver legislação infraconstitucional, parece evidente, que amesquinhe ou nulifique essa isonomia."
...
"A decisão foi claramente no sentido da igualdade de situações entre os parceiros do mesmo sexo e casais de sexos diferentes."
...
"O homofóbico exacerba tanto o seu preconceito que o faz chafurdar no lamaçal do ódio."


É bastante oportuno que o debate sobre a criminalização da homofobia volte aos holofotes. A novela Insensato Coração, que tem batido recordes de audiência nesta reta final, mostrará nos próximos dias um ataque homofóbico que vai terminar em morte. A vítima não será nenhum dos personagens atualmente na trama, mas um rapaz novo que será interpretado por Miguel Roncato (que interpretou o italianinho com cabelo ruivo em Passione). Miguel Roncato transmite a fragilidade e a doçura necessárias para o personagem ganhar a simpatia dos espectadores e fazer com que a mensagem contra a homofobia seja eficiente.

10 comentários:

jamesp. disse...

A sociedade precisa entender(especialmente certos grupos religiosos) que ninguém pode ter mais ou menos direitos,daí a mais que correta PEC da homofobia.Que seja aprovada em breve.
Abraço.

((ADRIANO)) disse...

Luciano,

**E POR FALAR em gente inteligente e nobre a nosso favor, você viu o belo artigo que o DR DRÁUZIO VARELLA escreveu em nossa defesa??
Muito bom.
Isso ajuda a colocar o ÓDIO RELIGIOSO no seu devido lugar e com a sua devida pequenez.

**E POR FALAR em comentar no seu blog, acho que estou ficando viciado em escrever aqui... É melhor eu maneirar...

strohdiek disse...

é ótimo saber isso de lá do STF, é ótimo saber que não serão barrados todos os projetos. Nem tudo está perdido, têm muita gente consciente no Supremo. That's new.

Paulo Braccini - Bratz disse...

Parabéns ao Ministro ...

marcos guinoza disse...

Existem dois Brasis: o do ministro Ayres Britto e o do deputado Jair Bolsonaro. Precisamos decidir qual Brasil queremos desse embate: o Brasil da diversidade e da inteligência (Britto) ou o Brasil do ódio e da burrice (Bolsonaro). Não duvide: a vitória de um ou outro depende de cada de um nós, de como nos posicionamos diante da questão. Abs.

Anônimo disse...

tem alguns politicos querendo derrumar a decisao do STF alegando uma serie de coisas, mas acho que o legislativo nao vai consiguir derrumar uma decisao do STF.

Fabricio disse...

E por falar em direitos, a Sen. Marta Suplicy e seus aliados, retiraram da pauta o projeto da PL 122, porque????, por que se fosse levada ao plenário da Camara, os Fundamentalistas Religiosos, vão simplesmente modifica-la do jeito que interessam à eles. E querem saber,,,,,ela fez o certo. Não podemos rastejar perante esse povinho.
E só pra lembrar---- sem representantes na política = sem direitos politicos.

Abs
PS - Que tal alguém começar a investigar essas ONGs religiosas.
Até em Angola já começaram a faze-lo. Seria interessante né????

S.A.M disse...

Adorei a informação da entrevista, vou buscar na Folha.

Dêco disse...

Eu sou fã deste Ministro. De verdade.
E que a sociedade aprenda com ele e com esses casos irreais, mas que retrata a realidade.

Pedro Bitencourt disse...

Aires Brito?? Meu conterrânio... hehehe

Orgulho de ser sergipano!!
:D